O dissídio de Operador de Torno Semi-automático (cerâmica) 2024 já saiu. Veja aqui o salário mínimo, piso salarial e salário médio em todos os estados, capitais e principais cidades brasileiras de acordo com a convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados em carteira com o CBO 752315 no cargo de Operador de Torno Semi-automático (cerâmica).

Estado com maior salário médio

Rio Grande do Sul

R$ 2.768,00

(últimos 12 meses)

Estado que mais contrata

São Paulo

73 admissões

(últimos 12 meses)

Cidade com maior salário médio

Catanduva - SP

R$ 2.010,56

Cidade que mais contrata

Catanduva - SP

27 admissões

Descrição sumária do cargo

O colaborador no cargo de Ceramista (torno semiautomático) faz a produção em série de peças cerâmicas – tais como pratos, pires e adornos - nos tornos semiautomáticos, preparando massas cerâmicas, abastecendo os tornos com massa pastosa, instalando moldes e fixando ferramentas de perfis especiais nos equipamentos para dar a forma desejada às peças Controla o volume de produção armazenada.

Cumpre normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho e de preservação ambiental

O que faz um Operador de Torno Semi-automático (cerâmica)

O Ceramista (torno semiautomático) prepara massas cerâmicas, fazendo a filtro-prensagem e a extrusão da massa pastosa Seleciona o molde das peças, conforme ordem de produção.

Instala o molde e fixa a ferramenta de perfil adequado nos tornos semiautomáticos.

Abastece o torno com massa pastosa, em quantidade necessária à produção da peça Torneia a peça em torno semiautomático, controlando a rotação, o avanço e a temperatura do equipamento.

Regula os mecanismos automáticos da máquina, atuando em seus controles, para assegurar sua parada automática, quando o objeto adquirir a espessura requerida Usa a ferramenta de desbastar, para dar a forma desejada à peça.

Monitora o acabamento da peça torneada, controlando seu peso, suas dimensões e sua plasticidade.

Retira do torno a peça acabada, afastando a ferramenta de desbaste Envia a peça ao local de armazenamento.

Controla o volume de produção.

Controla o estoque de ferramentas e materiais, requisitando a reposição Faz reaproveitamento - reciclagem - de materiais Realiza o descarte de resíduos de acordo com as normas ambientais.

Mantém ferramentas e instrumentos de trabalho limpos, organizados, acondicionados e em plenas condições de uso Trabalha com segurança, prevenindo acidentes Utiliza equipamentos de proteção individual.

.

Funções do Ceramista (torno semiautomático)

O profissional Operador de Torno Semi-automático (cerâmica) deve demonstrar competências pessoais, modelar e formatar peças cerâmicas, preparar massa cerâmica.

Condições de trabalho da profissão

Ceramistas (preparação e fabricação) atuam principalmente em empresas de fabricação de produtos de minerais não-metálicos, de reciclagem e construção. Também podem trabalhar no comércio por atacado e intermediários do comércio. De modo geral, são trabalhadores assalariados com carteira assinada. Na ocupação de ceramista (torno de pedal e motor) é comum encontrar- se profissionais autônomos. Atuam de forma individual ou em equipe, em ambiente fechado, sob supervisão ocasional ou, dependendo da ocupação, sem supervisão. Trabalham em rodízio de turnos diurno/noturno ou em horários irregulares. Podem ficar expostos a ação de materiais tóxicos, ruído intenso e altas temperaturas.

Exigências do mercado de trabalho para a profissão

Atividades exercidas por um Ceramista (torno semiautomático)

Um Ceramista (torno semiautomático) deve tornear peças cerâmicas, controlar temperatura do equipamento, instalar moldes e fôrmas, desenvolver iniciativa, respeitar normas, agir com ética, abastecer prensas, moldes e tornos com massa cerâmica, trabalhar com segurança, selecionar moldes e fôrmas, controlar volume de produção, comprometer-se com o trabalho, controlar dimensões e peso da peça cerâmica, comunicar-se de forma clara e objetiva, realizar a filtro-prensagem e extrusão da massa, ajustar equipamentos (prensas e tornos), demonstrar dinamismo, monitorar acabamento, trabalhar em equipe, demonstrar senso de organização, atualizar-se na ocupação, demonstrar flexibilidade.

Aumento do piso salarial e reajuste 2024 da categoria

O reajuste salarial 2024 para Operador de Torno Semi-automático (cerâmica) ficou em 6.60%, obedecendo os índices de inflação do INPC - Índice Nacional de Preços ao Consumidor no período de um ano, esse é o critério para estipular o piso salarial 2024 e o início das negociações salariais entre o sindicato dos trabalhadores no cargo de Operador de Torno Semi-automático (cerâmica) e os sindicatos patronais.

Em algumas localidades houve aumento real do salário, ou seja, acima do índice de correção salarial e acima até mesmo do reajuste médio da categoria dos Ceramistas (preparação e fabricação) que ficou em 6.60% para 2024.

Uma observação importante é que nem sempre o aumento salarial do Operador de Torno Semi-automático (cerâmica) em 2024 está atrelado a acordos e convenções coletivas, o salário base pode ser estipulado de acordo com o salário mínimo 2024 ou o piso salarial mínimo regional se houver.

Reajuste e valor do vale refeição 2024

O reajuste médio do vale refeição 2024 para Operador de Torno Semi-automático (cerâmica) ficou em 6.80% de acordo com acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios registrados no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho do SRT - Subsecretaria de Relações do Trabalho.

Com isso o valor médio do vale refeição para 2024 observado em instrumentos coletivos de todo Brasil ficou em R$ 26,00 por dia efetivamente trabalhado.

Como é feito o cálculo dos reajustes e pisos salariais dos Ceramistas (preparação e fabricação) 2024

O salário de Operador de Torno Semi-automático (cerâmica) mostrado aqui é resultado do levantamento de 89 salários em admissões de empresas de todo o Brasil em 2024, além de dissídios, convenções e acordos coletivos da categoria em sindicatos nacionais ou regionais de Ceramistas (preparação e fabricação) que foram registrados no sistema Mediador da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, que registra os instrumentos coletivos.

Encontre o seu estado logo abaixo e saiba quanto ganha um Operador de Torno Semi-automático (cerâmica) com salários atualizados em 2024. A ordem dos salários obedece a sigla dos estados em ordem alfabética. Confira:

Dissídio salarrial de Operador de Torno Semi-automático (cerâmica) CBO 752315 salário

Valor do salário na CCT 2024 de Operador de Torno Semi-automático (cerâmica) em todos os estados

Dados de dissídios coletivos para Operador de Torno Semi-automático (cerâmica) por estado
UF Jornada Piso Média Teto Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo 44h 2.470,48 2.566,23 3.621,54 11,74 7.60%

Fonte: Dados CAGED, PNAD e instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego que mencionem a profissão de Operador de Torno Semi-automático (cerâmica).

Dissídio de Operador de Torno Semi-automático (cerâmica) por cidade

Quanto ganha um Operador de Torno Semi-automático (cerâmica) nas principais cidades

Salários segundo dados do CAGED e instrumentos coletivos registrados que citem a profissão de Operador de Torno Semi-automático (cerâmica) na localidade
Cidade Carga Horária Piso Salarial Média Salarial Maior Salário Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
Catanduva, SP 44 1.935,54 2.010,56 2.837,36 9,14 6.70%
Cordeirópolis, SP 44 3.308,00 3.436,21 4.849,29 15,62 6.60%
São Bernardo do Campo, SP 44 3.524,44 3.661,04 5.166,57 16,64 4.30%

Os valores de piso salarial e porcentagem de dissídio referem-se a média observada em instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego com abrangência na cidade ou na região e que citem a profissão de Operador de Torno Semi-automático (cerâmica). Instrumentos coletivos: Acordos, convenções ou dissídios coletivos.

Empresas que mais contratam Operador de Torno Semi-automático (cerâmica) no Brasil

Pisos salariais por setores das empresas
Segmento Piso Média Teto Dissídio 2024 (%)
Comércio atacadista de ferragens e ferramentas 1.855,06 1.926,96 2.719,38 6.30%
Fabricação de produtos cerâmicos não-refratários 1.891,02 1.964,31 2.772,10 7.80%
Locação de mão-de-obra temporária 3.226,20 3.351,24 4.729,37 6.00%
Fabricação de azulejos e pisos 3.191,97 3.315,68 4.679,19 4.60%
Fabricação de artefatos de cerâmica e barro cozido para uso na construção, exceto azulejos e pisos 1.680,24 1.745,36 2.463,11 8.20%
Fabricação de máquinas e equipamentos para a agricultura e pecuária, peças e acessórios, exceto para irrigação 2.170,86 2.255,00 3.182,32 7.20%
Fabricação de válvulas, registros e dispositivos semelhantes, peças e acessórios 2.266,81 2.354,67 3.322,98 5.70%
Fabricação de produtos de trefilados de metal, exceto padronizados 2.695,53 2.800,00 3.951,44 5.20%
Comércio varejista de ferragens e ferramentas 3.080,60 3.200,00 4.515,94 4.30%
Comércio varejista de suvenires, bijuterias e artesanatos 5.294,79 5.500,00 7.761,77 4.40%
Serviços de usinagem, tornearia e solda 2.664,72 2.768,00 3.906,28 5.10%
Fonte: Contratações formais indicadas pelas empresas ao sistema Novo CAGED e convenções coletivas patronais.