O dissídio de Operador de Área de Corrida 2024 já saiu. Veja aqui o salário mínimo, piso salarial e salário médio em todos os estados, capitais e principais cidades brasileiras de acordo com a convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados em carteira com o CBO 821245 no cargo de Operador de Área de Corrida.

Estado com maior salário médio

Espírito Santo

R$ 3.004,14

(últimos 12 meses)

Estado que mais contrata

Santa Catarina

170 admissões

(últimos 12 meses)

Cidade com maior salário médio

Sangao - SC

R$ 2.145,36

Cidade que mais contrata

Sangao - SC

168 admissões

Descrição sumária do cargo

O colaborador no cargo de Operador de área de corrida executa os serviços de preparação da área de corrida dos altos-fornos, para possibilitar a continuidade do fluxo de produção da gusa e do processamento da escória Prepara máquinas, equipamentos e materiais.

Realiza manutenção do material refratário Controla parâmetros físico-químicos no processo Pode operar sistemas de monitoramento de deformação e desgaste, equipamentos de configuração flexível e sistemas de automação e controle.

Cumpre normas técnicas e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho e de preservação ambiental

O que faz um Operador de Área de Corrida

O Operador de área de corrida prepara máquinas, equipamentos e materiais, comunicando-se com as áreas envolvidas, inspecionando visualmente máquinas e equipamentos e conferindo a disponibilidade de matérias-primas e insumos Pesa minérios e fundentes.

Solicita manutenção de máquinas e equipamentos, quando necessário.

Executa os serviços de preparação da área de corrida de altos-fornos, operando equipamentos auxiliares, limpando e revestindo os canais de gusa e escória Desobstrui os canais de corrida e repara – com areia e massa – sua moldagem, efetuando a secagem e os desvios nos canais de escórias, observando os declives necessários, para mantê-los em condições de corrida.

Verifica a posição e as condições dos carros-torpedo Pode confeccionar os canais móveis, fixos e basculantes - colocando massas, secando-os e queimando-os - ou substituí-los conforme a necessidade.

No carregamento e no descarregamento das panelas no convertedor, orienta as manobras da ponte-rolante, comunicando-se com o operador por meio de sinais convencionais.

No vazamento do ferro-gusa, efetua a abertura do furo, para dar início ao processo Remove comporta de escória e controla o fluxo do metal e da escória.

Controla a altura da comporta que separa a escória da gusa, observando o fluxo do vazamento.

Adiciona carvão mineral ou similar no carro-torpedo, para conservação da temperatura do metal líquido Pode solicitar a troca do carro-torpedo e das panelas Inspeciona a refrigeração das ventaneiras, placas de refrigeração, lanças de injeção de óleo, caixas de refrigeração e algaravizes, cadinhos e a blindagem do forno.

Troca e limpa visores de ventaneira e desentope os olhais Desvia a escória líquida para o poço seco ou granulado Opera o granulador de escória.

Inspeciona e desobstrui telas dos silos de estocagem de escória granulada Inspeciona todo o sistema de granulação, com periodicidade definida.

Pode operar sistemas de monitoramento de deformação e desgaste, equipamentos de configuração flexível e sistemas de automação e controle, para executar os serviços de preparação na área de corrida dos altos-fornos Realiza a manutenção do material refratário, selecionando materiais e ferramentas, limpando o local a ser reparado, preparando a argamassa refratária e curvando o local, para possibilitar novo ciclo de operações de fusão Opera o equipamento de projeção de massa refratária.

Controla os parâmetros físico-químicos no processo, medindo a temperatura do metal líquido na panela e monitorando visualmente o metal e a escória Controla os parâmetros operacionais, tais como pressão, vazão e temperatura Pesa e registra a gusa e as panelas cheias e vazias, a fim de calcular a carga expedida.

Coleta amostra de gusa e escória durante a corrida, utilizando ferramenta apropriada, para enviar ao laboratório de análise Mantém o local de trabalho limpo e organizado Zela pela conservação e pela manutenção de máquinas e equipamentos.

Cumpre normas de segurança pessoal e ambiental, usando Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e Equipamentos de Proteção Coletiva (EPC), e coletando lixos e resíduos industriais Respeita sinalização de segurança e comunica acidentes e incidentes Opera sistema de despoeiramento.

Funções do Operador de área de corrida

O profissional Operador de Área de Corrida deve movimentar materiais, operar o alto-forno, realizar tratamentos secundários, controlar características físico químicas da matéria-prima e produto, preparar máquinas, equipamentos e materiais, demonstrar competências pessoais, vazar o ferro gusa, cumprir normas de segurança pessoal e ambiental, realizar manutenção refratária, dessulfurar o ferro gusa.

Condições de trabalho da profissão

Operadores de fornos de primeira fusão e aciaria profissionais nessa família CBO, exercem o cargo na fabricação de produtos de metal e Organizam-se em equipe, sob supervisão ocasional, em ambientes fechados e no sistema de rodízio de turnos (diurno/noturno). No exercício de algumas atividades podem permanecer em posições desconfortáveis durante longos períodos e expostos a materiais tóxicos, radiação, ruído intenso e altas temperaturas.

Exigências do mercado de trabalho para a profissão

Atividades exercidas por um Operador de área de corrida

Um Operador de área de corrida deve demonstrar consciência ecológica, conduzir o gusa até o carro torpedo ou lingoteiras, pesar minérios e fundentes, conferir disponibilidade de matérias-primas e insumos, medir a temperatura do metal líquido, inspecionar visulamente máquinas e equipamentos, comunicar-se com as áreas envolvidas, posicionar o carro torpedo, evidenciar pontualidade e assiduidade, evidenciar habilidades numéricas, comunicar acidentes e incidentes, trabalhar em equipe, respeitar sinalização de segurança, manifestar versatilidade, granular a escória, controlar o fluxo do metal e escória, demonstrar criatividade, revestir os canais de gusa e escória, manter o local de trabalho limpo e organizado, limpar os canais de gusa e escória, comunicar-se, retirar amostras de metal e escória, operar equipamento de projeção de massa refratária, selecionar materiais e ferramentas, preencher relatórios e formulários, aperfeiçoar-se profissionalmente, tratar metais não-ferrosos, controlar o nível do metal no carro torpedo, demonstrar iniciativa, regular cama do queimador sobre o canal de gusa, operar sistema de despoeiramento, remover a escória do metal, monitorar visualmente o metal e escória, desgaseificar os metais, coletar lixos e resíduos industriais, abrir furo de gusa, limpar o local a ser reparado, fechar o furo de gusa, preparar a argamassa refratária, curvar o local, operar equipamentos auxiliares, remover comporta de escória, usar equipamentos de proteção individual e coletiva (epi e epc), controlar parâmetros operacionais (pressão, vazão, temperatura), zelar por máquinas e equipamentos, solicitar manutenção.

Aumento do piso salarial e reajuste 2024 da categoria

O reajuste salarial 2024 para Operador de Área de Corrida ficou em 4.80%, obedecendo os índices de inflação do INPC - Índice Nacional de Preços ao Consumidor no período de um ano, esse é o critério para estipular o piso salarial 2024 e o início das negociações salariais entre o sindicato dos trabalhadores no cargo de Operador de Área de Corrida e os sindicatos patronais.

Em algumas localidades houve aumento real do salário, ou seja, acima do índice de correção salarial e acima até mesmo do reajuste médio da categoria dos Operadores de fornos de primeira fusão e aciaria que ficou em 4.80% para 2024.

Uma observação importante é que nem sempre o aumento salarial do Operador de Área de Corrida em 2024 está atrelado a acordos e convenções coletivas, o salário base pode ser estipulado de acordo com o salário mínimo 2024 ou o piso salarial mínimo regional se houver.

Reajuste e valor do vale refeição 2024

O reajuste médio do vale refeição 2024 para Operador de Área de Corrida ficou em 8.70% de acordo com acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios registrados no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho do SRT - Subsecretaria de Relações do Trabalho.

Com isso o valor médio do vale refeição para 2024 observado em instrumentos coletivos de todo Brasil ficou em R$ 21,00 por dia efetivamente trabalhado.

Como é feito o cálculo dos reajustes e pisos salariais dos Operadores de fornos de primeira fusão e aciaria 2024

O salário de Operador de Área de Corrida mostrado aqui é resultado do levantamento de 334 salários em admissões de empresas de todo o Brasil em 2024, além de dissídios, convenções e acordos coletivos da categoria em sindicatos nacionais ou regionais de Operadores de fornos de primeira fusão e aciaria que foram registrados no sistema Mediador da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, que registra os instrumentos coletivos.

Encontre o seu estado logo abaixo e saiba quanto ganha um Operador de Área de Corrida com salários atualizados em 2024. A ordem dos salários obedece a sigla dos estados em ordem alfabética. Confira:

Dissídio salarrial de Operador de Área de Corrida CBO 821245 salário

Valor do salário na CCT 2024 de Operador de Área de Corrida em todos os estados

Dados de dissídios coletivos para Operador de Área de Corrida por estado
UF Jornada Piso Média Teto Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
Santa Catarina 44h 2.059,25 2.139,06 3.018,71 9,73 5.30%
Minas Gerais 42h 1.856,53 1.928,49 2.721,54 9,28 6.10%
São Paulo 44h 2.009,20 2.087,07 2.945,33 9,50 4.70%
Rio de Janeiro 44h 1.594,80 1.656,61 2.337,86 7,58 7.80%
Bahia 43h 1.806,58 1.876,60 2.648,31 8,66 4.70%
Espírito Santo 41h 2.892,06 3.004,14 4.239,54 14,58 6.30%

Fonte: Dados CAGED, PNAD e instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego que mencionem a profissão de Operador de Área de Corrida.

Dissídio de Operador de Área de Corrida por cidade

Quanto ganha um Operador de Área de Corrida nas principais cidades

Salários segundo dados do CAGED e instrumentos coletivos registrados que citem a profissão de Operador de Área de Corrida na localidade
Cidade Carga Horária Piso Salarial Média Salarial Maior Salário Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
Sangao, SC 44 2.065,31 2.145,36 3.027,59 9,76 5.30%
Ipatinga, MG 42 2.025,68 2.104,19 2.969,49 10,00 4.70%
Passa Tempo, MG 42 1.603,66 1.665,81 2.350,84 7,93 6.50%
Rio de Janeiro, RJ 44 1.428,56 1.483,93 2.094,16 6,75 6.80%
São Gotardo, MG 37 1.617,26 1.679,94 2.370,78 9,16 5.00%
Pojuca, BA 44 1.915,73 1.989,98 2.808,32 9,05 4.90%

Os valores de piso salarial e porcentagem de dissídio referem-se a média observada em instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego com abrangência na cidade ou na região e que citem a profissão de Operador de Área de Corrida. Instrumentos coletivos: Acordos, convenções ou dissídios coletivos.

Empresas que mais contratam Operador de Área de Corrida no Brasil

Pisos salariais por setores das empresas
Segmento Piso Média Teto Dissídio 2024 (%)
Fabricação de peças e acessórios para o sistema de freios de veículos automotores 2.065,31 2.145,36 3.027,59 5.90%
Produção de ferroligas 1.856,91 1.928,88 2.722,09 8.00%
Produção de laminados planos de aço ao carbono, revestidos ou não 2.268,37 2.356,29 3.325,27 5.70%
Gestão de instalações de esportes 1.371,11 1.424,25 2.009,94 6.90%
Outras atividades de recreação e lazer não especificadas anteriormente 1.431,09 1.486,56 2.097,87 6.30%
Produção e promoção de eventos esportivos 1.590,09 1.651,71 2.330,95 7.70%
Comércio a varejo de automóveis, camionetas e utilitários novos 2.126,33 2.208,74 3.117,03 4.80%
Produção de carvão vegetal - florestas plantadas 1.463,67 1.520,40 2.145,63 4.30%
Fundição de ferro e aço 1.678,07 1.743,11 2.459,93 5.20%
Atividades de associações de defesa de direitos sociais 1.506,40 1.564,79 2.208,28 8.20%
Serviços de engenharia 2.453,89 2.549,00 3.597,23 5.70%
Locação de mão-de-obra temporária 1.549,93 1.610,00 2.272,08 5.40%
Exploração de apostas em corridas de cavalos 1.773,27 1.842,00 2.599,49 6.30%
Fabricação de artigos ópticos 2.868,81 2.980,00 4.205,47 5.40%
Estacionamento de veículos 1.496,98 1.555,00 2.194,46 5.00%
Fabricação de embalagens de cartolina e papel-cartão 1.636,57 1.700,00 2.399,09 4.90%
Serviços combinados de escritório e apoio administrativo 1.780,97 1.850,00 2.610,78 7.60%
Comércio varejista de materiais de construção em geral 1.439,22 1.495,00 2.109,79 7.80%
Produção de semi-acabados de aço 1.935,97 2.011,00 2.837,98 5.00%
Produção de laminados longos de aço, exceto tubos 3.559,06 3.697,00 5.217,32 6.90%
Fonte: Contratações formais indicadas pelas empresas ao sistema Novo CAGED e convenções coletivas patronais.