O dissídio de Vendedor Interno 2024 já saiu. Veja aqui o salário mínimo, piso salarial e salário médio em todos os estados, capitais e principais cidades brasileiras de acordo com a convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados em carteira com o CBO 521110 no cargo de Vendedor Interno.

Estado com maior salário médio

São Paulo

R$ 1.890,09

(últimos 12 meses)

Estado que mais contrata

São Paulo

552.749 admissões

(últimos 12 meses)

Cidade com maior salário médio

Guaicara - SP

R$ 6.894,95

Cidade que mais contrata

São Paulo - SP

167.828 admissões

Descrição sumária do cargo

O colaborador no cargo de Vendedor de comércio varejista vende produtos em estabelecimentos de comércio varejista Planeja as ações de venda.

Utiliza recursos e técnicas de vendas e de negociação, durante o atendimento ao cliente Emite notas ou cupons fiscais e registra os dados relativos à venda efetuada Realiza ações de pós-venda.

Cadastra ou atualiza os dados cadastrais do comprador Atua de acordo com os procedimentos e as políticas da empresa e cumpre as normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho e de preservação do meio ambiente

O que faz um Vendedor Interno

O Vendedor de comércio varejista planeja ações de venda, pesquisando mercado e identificando as necessidades dos clientes, de acordo com o público-alvo Organiza a exposição das mercadorias, conforme leiaute da loja.

Verifica o prazo de validade e o estado físico das mercadorias expostas.

Recepciona o cliente, consultando-o sobre sua intenção de compra e sobre suas preferências Orienta o cliente na escolha do produto.

Apresenta as características, os benefícios e o preço de cada opção de produto Pode demonstrar o funcionamento, pesar e medir o produto, para atender às solicitações dos clientes.

Detalha as formas de pagamento e a oferta de garantia estendida.

Consulta a disponibilidade, no estoque, dos produtos escolhidos Pode embalar a mercadoria vendida, colocando-a em caixas ou embrulhando-a, para facilitar seu transporte ou manuseio pelo comprador.

No caso de a mercadoria não poder ser transportada pelo comprador, apresenta o prazo e a forma de entrega pela empresa.

Emite notas ou cupons fiscais Registra em formulário ou dispositivo eletrônico os dados relativos à venda efetuada, para possibilitar o pagamento pelo cliente e para viabilizar o controle do movimento das mercadorias, de acordo com os procedimentos fiscais e da empresa Pode concretizar vendas por meio eletrônico ou por telefone.

Realiza ações de pós-venda, a partir dos resultados de pesquisas de satisfação Efetua troca de mercadorias e encaminha, aos fornecedores, os produtos que apresentam defeitos dentro da garantia, conforme legislação e normas vigentes Cadastra ou atualiza os dados cadastrais do comprador, em sistema informatizado.

Repõe mercadorias de venda normal e de promoções, nos pontos de venda e nas gôndolas Participa da realização de inventário físico de mercadorias e produtos, no ponto de venda (PDV).

Funções do Vendedor de comércio varejista

O profissional Vendedor Interno deve vender produtos, trabalhar com segurança, promover a venda de produtos, demonstrar competências pessoais, comunicar-se, expor mercadorias nos pontos de venda, atender clientes, demonstrar produtos, controlar entrada e saída de mercadorias, preparar mercadorias para venda.

Condições de trabalho da profissão

Operadores do comércio em lojas e mercados trabalham como assalariados, com carteira assinada ou como autônomos, em empresas comerciais. O ambiente de trabalho é fechado, exceto para o frentista que atua, geralmente, a céu aberto. Trabalham em equipe, com supervisão permanente ou ocasional, em horários diurnos, noturnos e em rodízio de turnos. Permanecem em pé, por longos períodos. Podem estar expostos a ruídos, temperaturas variadas e material tóxico.

Exigências do mercado de trabalho para a profissão

Atividades exercidas por um Vendedor de comércio varejista

Um Vendedor de comércio varejista deve utilizar ferramentais manuais e utensílios, examinar condições das mercadorias (validade e estado físico), repor mercadorias nos pontos de venda, estabelecer relacionamento com os clientes, oferecer brindes, sugerir opções de produtos, demonstrar habilidade sensorial (olfato, paladar), receber mercadorias, abordar clientes, listar mercadorias para reposição, oferecer garantia suplementar, lidar com o público, trabalhar em equipe, registrar entrada e saída de mercadorias, preencher relatório de vendas, demonstrar flexibilidade, avisar o cliente sobre promoções, emitir pedidos, notas ou cupons fiscais, preencher relatório de perda de produtos, realizar televendas, descrever qualidades e vantagens do produto, orientar clientes, identificar as necessidades do cliente, definir local para expor as mercadorias, distribuir folhetos, preencher relatório de pesquisas de preços, informar o cliente sobre a entrega do produto, demonstrar capacidade de comunicação verbal, abastecer pontos de venda e gôndolas, orçar produtos para clientes, cadastrar clientes, contornar situações adversas, transmitir confiança, manusear objetos cortantes, demonstrar credibilidade, lidar com diversidade, trocar mercadorias, contatar clientes para eventuais cobranças, informar preços e formas de pagamento, apresentar produtos, auxiliar clientes na prova de mercadorias e produtos (roupas, calçados, maquiagem, etc), zelar pela limpeza do ponto de exposição, organizar os produtos conforme leiaute da loja, demonstrar capacidade retórica, colher informações sobre as características e benefícios do produto, demonstrar dinamismo, alertar clientes sobre riscos, aplicar noções básicas de enfermagem, demonstrar objetividade, pesquisar preços do mercado, evidenciar as mercadorias em promoção, requisitar mercadorias.

Aumento do piso salarial e reajuste 2024 da categoria

O reajuste salarial 2024 para Vendedor Interno ficou em 7.90%, obedecendo os índices de inflação do INPC - Índice Nacional de Preços ao Consumidor no período de um ano, esse é o critério para estipular o piso salarial 2024 e o início das negociações salariais entre o sindicato dos trabalhadores no cargo de Vendedor Interno e os sindicatos patronais.

Em algumas localidades houve aumento real do salário, ou seja, acima do índice de correção salarial e acima até mesmo do reajuste médio da categoria dos Operadores do comércio em lojas e mercados que ficou em 7.90% para 2024.

Uma observação importante é que nem sempre o aumento salarial do Vendedor Interno em 2024 está atrelado a acordos e convenções coletivas, o salário base pode ser estipulado de acordo com o salário mínimo 2024 ou o piso salarial mínimo regional se houver.

Reajuste e valor do vale refeição 2024

O reajuste médio do vale refeição 2024 para Vendedor Interno ficou em 7.90% de acordo com acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios registrados no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho do SRT - Subsecretaria de Relações do Trabalho.

Com isso o valor médio do vale refeição para 2024 observado em instrumentos coletivos de todo Brasil ficou em R$ 18,00 por dia efetivamente trabalhado.

Como é feito o cálculo dos reajustes e pisos salariais dos Operadores do comércio em lojas e mercados 2024

O salário de Vendedor Interno mostrado aqui é resultado do levantamento de 1978807 salários em admissões de empresas de todo o Brasil em 2024, além de dissídios, convenções e acordos coletivos da categoria em sindicatos nacionais ou regionais de Operadores do comércio em lojas e mercados que foram registrados no sistema Mediador da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, que registra os instrumentos coletivos.

Encontre o seu estado logo abaixo e saiba quanto ganha um Vendedor Interno com salários atualizados em 2024. A ordem dos salários obedece a sigla dos estados em ordem alfabética. Confira:

Dissídio salarrial de Vendedor Interno CBO 521110 salário

Valor do salário na CCT 2024 de Vendedor Interno em todos os estados

Dados de dissídios coletivos para Vendedor Interno por estado
UF Jornada Piso Média Teto Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo 43h 1.819,57 1.890,09 2.667,35 8,69 8.30%
Minas Gerais 43h 1.457,35 1.513,84 2.136,37 6,99 8.20%
Rio de Janeiro 43h 1.530,55 1.589,87 2.243,67 7,42 7.40%
Paraná 44h 1.744,18 1.811,78 2.556,83 8,32 7.60%
Santa Catarina 43h 1.795,29 1.864,87 2.631,76 8,59 4.20%
Rio Grande do Sul 44h 1.685,81 1.751,15 2.471,27 8,04 6.40%
Bahia 43h 1.409,90 1.464,54 2.066,80 6,74 4.90%
Goiás 43h 1.453,75 1.510,09 2.131,09 6,96 4.90%
Pernambuco 43h 1.443,24 1.499,18 2.115,69 6,90 4.60%
Ceará 44h 1.403,00 1.457,38 2.056,70 6,68 4.30%
Espírito Santo 43h 1.440,98 1.496,83 2.112,37 6,95 6.50%
Mato Grosso 44h 1.552,71 1.612,89 2.276,15 7,39 8.20%
Pará 43h 1.440,41 1.496,24 2.111,53 6,92 6.60%
Mato Grosso do Sul 44h 1.596,07 1.657,93 2.339,72 7,58 7.30%
Distrito Federal 44h 1.498,19 1.556,25 2.196,23 7,15 4.40%
Maranhão 43h 1.427,41 1.482,73 2.092,48 6,87 7.70%
Rondônia 44h 1.471,07 1.528,08 2.156,48 6,98 5.20%
Paraíba 44h 1.423,70 1.478,87 2.087,03 6,78 4.40%
Rio Grande do Norte 44h 1.356,41 1.408,98 1.988,39 6,46 7.90%
Amazonas 43h 1.388,17 1.441,97 2.034,95 6,70 7.60%
Alagoas 44h 1.355,45 1.407,99 1.986,99 6,47 4.50%
Piauí 43h 1.378,84 1.432,28 2.021,27 6,63 4.90%
Sergipe 43h 1.364,90 1.417,80 2.000,84 6,58 4.20%
Tocantins 44h 1.407,74 1.462,30 2.063,64 6,70 7.10%
Acre 44h 1.373,55 1.426,78 2.013,51 6,53 4.10%
Roraima 43h 1.344,25 1.396,35 1.970,57 6,45 5.60%
Amapá 44h 1.346,72 1.398,92 1.974,20 6,42 7.30%

Fonte: Dados CAGED, PNAD e instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego que mencionem a profissão de Vendedor Interno.

Dissídio de Vendedor Interno por cidade

Quanto ganha um Vendedor Interno nas principais cidades

Salários segundo dados do CAGED e instrumentos coletivos registrados que citem a profissão de Vendedor Interno na localidade
Cidade Carga Horária Piso Salarial Média Salarial Maior Salário Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo, SP 43 1.893,38 1.966,76 2.775,55 9,09 4.90%
Rio de Janeiro, RJ 43 1.570,97 1.631,86 2.302,93 7,62 8.10%
Belo Horizonte, MG 43 1.525,92 1.585,06 2.236,88 7,31 7.90%
Curitiba, PR 43 1.754,12 1.822,10 2.571,41 8,39 6.90%
Brasília, DF 44 1.498,19 1.556,25 2.196,23 7,15 6.00%
Fortaleza, CE 44 1.426,00 1.481,27 2.090,41 6,79 5.90%
Goiânia, GO 43 1.440,56 1.496,39 2.111,75 6,91 4.80%
Porto Alegre, RS 43 1.708,81 1.775,04 2.504,99 8,19 4.60%
Recife, PE 43 1.530,56 1.589,88 2.243,68 7,32 7.20%
Campinas, SP 44 1.905,95 1.979,82 2.793,98 9,10 5.00%
Salvador, BA 44 1.460,78 1.517,39 2.141,39 6,97 7.50%
Florianópolis, SC 43 1.811,92 1.882,14 2.656,14 8,72 5.70%
Manaus, AM 43 1.395,58 1.449,66 2.045,81 6,74 4.60%
Ribeirão Preto, SP 43 1.796,40 1.866,02 2.633,39 8,59 8.30%
São Bernardo do Campo, SP 44 1.704,36 1.770,42 2.498,46 8,10 4.80%
Santo André, SP 43 1.698,87 1.764,71 2.490,41 8,13 5.60%
Belém, PA 43 1.418,25 1.473,22 2.079,05 6,88 6.80%
Campo Grande, MS 44 1.595,43 1.657,27 2.338,78 7,59 5.40%
Uberlândia, MG 43 1.549,56 1.609,62 2.271,55 7,41 6.20%
Joinville, SC 43 1.896,08 1.969,57 2.779,52 9,11 5.10%
São Luís, MA 43 1.471,40 1.528,43 2.156,97 7,12 8.20%
São José dos Campos, SP 44 1.774,13 1.842,89 2.600,75 8,44 4.90%
São José do Rio Preto, SP 43 1.815,10 1.885,45 2.660,80 8,74 6.90%
Londrina, PR 44 1.773,59 1.842,33 2.599,95 8,46 8.00%
Guarulhos, SP 44 1.906,42 1.980,30 2.794,66 9,08 7.60%
Cuiabá, MT 43 1.491,80 1.549,62 2.186,87 7,13 6.30%
Natal, RN 44 1.351,74 1.404,12 1.981,54 6,45 7.90%
Maceió, AL 43 1.368,25 1.421,28 2.005,75 6,54 4.80%
Sorocaba, SP 44 1.796,99 1.866,64 2.634,26 8,58 6.90%
Maringá, PR 43 1.834,47 1.905,57 2.689,20 8,78 5.10%

Os valores de piso salarial e porcentagem de dissídio referem-se a média observada em instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego com abrangência na cidade ou na região e que citem a profissão de Vendedor Interno. Instrumentos coletivos: Acordos, convenções ou dissídios coletivos.

Empresas que mais contratam Vendedor Interno no Brasil

Pisos salariais por setores das empresas
Segmento Piso Média Teto Dissídio 2024 (%)
Comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios 1.548,53 1.608,55 2.270,03 4.40%
Comércio varejista de calçados 1.548,37 1.608,38 2.269,80 4.40%
Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios - supermercados 1.574,07 1.635,08 2.307,47 5.90%
Comércio varejista de cosméticos, produtos de perfumaria e de higiene pessoal 1.567,58 1.628,34 2.297,96 7.20%
Comércio varejista especializado de equipamentos de telefonia e comunicação 1.530,74 1.590,07 2.243,95 6.50%
Comércio varejista de artigos de óptica 1.564,12 1.624,74 2.292,88 4.90%
Comércio varejista de materiais de construção em geral 1.595,13 1.656,95 2.338,34 8.00%
Comércio varejista de suvenires, bijuterias e artesanatos 1.530,78 1.590,11 2.244,02 7.20%
Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios - minimercados, mercearias e armazéns 1.546,30 1.606,23 2.266,76 8.20%
Comércio varejista de móveis 1.594,78 1.656,59 2.337,82 4.10%
Locação de mão-de-obra temporária 1.688,31 1.753,74 2.474,94 7.70%
Serviços combinados de escritório e apoio administrativo 1.668,97 1.733,66 2.446,59 6.40%
Comércio a varejo de peças e acessórios novos para veículos automotores 1.713,41 1.779,81 2.511,72 5.90%
Comércio varejista de produtos alimentícios em geral ou especializado em produtos alimentícios 1.579,56 1.640,78 2.315,52 4.80%
Comércio varejista de outros produtos 1.702,38 1.768,36 2.495,56 8.00%
Comércio varejista de produtos farmacêuticos, sem manipulação de fórmulas 1.536,94 1.596,50 2.253,04 7.60%
Comércio varejista de doces, balas, bombons e semelhantes 1.558,75 1.619,16 2.285,01 4.50%
Comércio varejista de artigos de papelaria 1.513,45 1.572,11 2.218,61 8.20%
Outras atividades de serviços prestados principalmente às empresas não especificadas anteriormente 1.613,37 1.675,90 2.365,08 6.90%
Padaria e confeitaria com predominância de revenda 1.532,22 1.591,61 2.246,12 7.80%
Fonte: Contratações formais indicadas pelas empresas ao sistema Novo CAGED e convenções coletivas patronais.