O dissídio de Trabalhador na Operação de Sistemas de Irrigação e Aspersão (canhão) 2024 já saiu. Veja aqui o salário mínimo, piso salarial e salário médio em todos os estados, capitais e principais cidades brasileiras de acordo com a convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados em carteira com o CBO 643020 no cargo de Trabalhador na Operação de Sistemas de Irrigação e Aspersão (canhão).

Estado com maior salário médio

Alagoas

R$ 3.137,13

(últimos 12 meses)

Estado que mais contrata

São Paulo

237 admissões

(últimos 12 meses)

Cidade com maior salário médio

João Pinheiro - MG

R$ 2.037,86

Cidade que mais contrata

João Pinheiro - MG

56 admissões

Descrição sumária do cargo

O colaborador no cargo de Trabalhador na operação de sistemas de irrigação e aspersão (autopropelido) realiza operação de sistema autopropelido de irrigação por aspersão, posicionando, acionando e controlando equipamento móvel com aspersor – geralmente do tipo canhão hidráulico -, para irrigar cultivos em terrenos planos ou levemente inclinados Prepara-se para a utilização do sistema, lendo e interpretando projeto de irrigação.

Executa a montagem do sistema autopropelido de irrigação por aspersão, composto basicamente por aspersor, suporte ou base do aspersor, conjunto motobomba, mangueira, e carretel enrolador Examina o funcionamento do equipamento e faz reparos no sistema de irrigação Cumpre legislação, normas técnicas, normas de qualidade e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho, de prevenção contra incêndios e de preservação ambiental.

O que faz um Trabalhador na Operação de Sistemas de Irrigação e Aspersão (canhão)

O Trabalhador na operação de sistemas de irrigação e aspersão (autopropelido) prepara-se para a utilização de sistema autopropelido de irrigação por aspersão, lendo e interpretando projeto, que apresenta a escolha e o dimensionamento do sistema, a relação custo-benefício do sistema escolhido, e as condições locais - tais como características topográficas, clima, fonte hídrica, análise da velocidade de infiltração da água nos solos, comprimentos e larguras das faixas de cultivo, e necessidades dos cultivos - onde ocorrerá o uso do sistema Examina a relação dos materiais a serem utilizados no sistema, especificados no projeto.

Pode montar diferentes modelos do sistema autopropelido de irrigação por aspersão.

Realiza a montagem do sistema de irrigação, geralmente, com aspersor do tipo canhão hidráulico, um conjunto motobomba, suporte ou base do aspersor (carretinha), mangueira, e carretel enrolador Instala o canhão sobre a plataforma móvel.

Usa mangueira de alta pressão, que fica enrolada no carretel Monta sistema de engrenagens e turbina, que enrola um cabo de aço preso à extremidade da faixa a ser irrigada, para deslocamento da plataforma com o canhão.

Pode usar no sistema, ao invés de canhão, uma barra irrigadora, com emissores de água distribuídos na sua extensão.

Utiliza o sistema de aspersão mecanizado em terrenos de topografia plana ou levemente inclinada, para irrigar principalmente áreas retangulares, com culturas de boa cobertura, como cana-de-açúcar, pomares e pastagem Pode aplicar o sistema em processo complementar de irrigação.

Posiciona, aciona e opera o sistema de irrigação, conforme normas, horários e procedimentos preestabelecidos.

Efetua o suprimento de água do emissor por meio de uma mangueira flexível, desenrolada por trator e conectada a um hidrante na linha principal Faz a irrigação com canhão hidráulico, que opera com pressão elevada e com alta taxa de aplicação de água Realiza a adequação da velocidade do deslocamento da plataforma, considerando que o tempo de irrigação e a lâmina de irrigação aplicada variam de acordo com a velocidade de deslocamento e com a vazão do canhão.

Ao final do percurso, desliga o sistema, desconecta a mangueira do hidrante e reboca a carretinha - com um trator - até a próxima área a ser irrigada Evita realizar a irrigação em horários com excesso de vento Pode fazer a aplicação de produtos químicos ou biológicos – tais como adubos, fertilizantes, entre outros – em áreas de cultivo, dosando e diluindo quantidades das substâncias na água.

Examina os problemas de funcionamento do equipamento de irrigação, para encontrar possíveis soluções Avalia constantemente os tubos flexíveis usados, trocando-os quando observa algum rompimento, entupimento ou vazamento.

Inspeciona o carretel enrolador e a carretinha, para calibração de pneus e reposição ou troca de óleo Substitui peça de conexão desgastada Lubrifica o canhão de irrigação e troca suas buchas e molas.

Ao constatar problemas no conjunto motobomba, faz limpeza e reparos no equipamento Instala manômetro na saída da motobomba Pode solicitar apoio de serviços de manutenção corretiva para solucionar os problemas mais complexos.

Mantém ferramentas e instrumentos limpos, acondicionados e em plenas condições de funcionamento Faz o descarte de resíduos de acordo com as normas ambientais Zela pela segurança, utilizando equipamentos de proteção individual e atuando na prevenção de acidentes.

Pode prestar primeiros socorros.

Funções do Trabalhador na operação de sistemas de irrigação e aspersão (autopropelido)

O profissional Trabalhador na Operação de Sistemas de Irrigação e Aspersão (canhão) deve reparar equipamentos de irrigação, adubar plantação, verificar equipamentos de irrigação, instalar sistemas de irrigação, controlar processo de irrigação, demonstrar competências pessoais, acionar sistemas de irrigação.

Condições de trabalho da profissão

Trabalhadores da irrigação e drenagem essas ocupações são exercidas por trabalhadores com carteira assinada, empregados na agricultura. Atuam em equipe, sob supervisão. As atividades são realizadas a céu aberto, em rodízio de turno, expostos à luz solar, exceto o trabalhador na operação de sistemas convencionais de irrigação por aspersão, que trabalha somente durante o dia.

Exigências do mercado de trabalho para a profissão

Atividades exercidas por um Trabalhador na operação de sistemas de irrigação e aspersão (autopropelido)

Um Trabalhador na operação de sistemas de irrigação e aspersão (autopropelido) deve medir umidade de solo, tomar decisões em situações de emergência, verificar vazamentos, verificar presença de ar em bomba, apertar gaxeta, misturar substâncias para adubação, selecionar produtos de adubação, abastecer motores de irrigação com combustível, encher mangote de água, deslocar tubulações, desentupir aspersor, ligar e desligar pivô e bomba de irrigação, abrir e fechar registros, instalar bombas e mangotes, medir nível de chuvas, verificar ocorrências de entupimentos, perceber alterações físicas no ambiente, trocar buchas e molas de canhões de irrigação, medir pressão de água, verificar parte elétrica de equipamentos de irrigação, verificar nível de óleo de motor, trocar filtro de motor, lubrificar canhões de irrigação, fixar registros, canos e aspersores, deslocar aspersores móveis e canhões, trocar óleo (motor e redutor de pivô), lubrificar rolamentos, trocar gaxeta, regular concentração de adubos, montar e desmontar bomba de irrigação, acrescentar aspersores em plantações, coletar amostra de folhas para análise, limpar rotor de bomba, trocar borrachas de vedação, higienizar reservatório de água, remendar tubo, mudar bicos de aspersores, coletar amostra de solo para análise, soldar cano, instalar válvula de retenção, lavar equipamentos de ferti-irrigação, zelar pelos equipamentos de irrigação, dar prova de resistência física.

Aumento do piso salarial e reajuste 2024 da categoria

O reajuste salarial 2024 para Trabalhador na Operação de Sistemas de Irrigação e Aspersão (canhão) ficou em 4.00%, obedecendo os índices de inflação do INPC - Índice Nacional de Preços ao Consumidor no período de um ano, esse é o critério para estipular o piso salarial 2024 e o início das negociações salariais entre o sindicato dos trabalhadores no cargo de Trabalhador na Operação de Sistemas de Irrigação e Aspersão (canhão) e os sindicatos patronais.

Em algumas localidades houve aumento real do salário, ou seja, acima do índice de correção salarial e acima até mesmo do reajuste médio da categoria dos Trabalhadores da irrigação e drenagem que ficou em 4.00% para 2024.

Uma observação importante é que nem sempre o aumento salarial do Trabalhador na Operação de Sistemas de Irrigação e Aspersão (canhão) em 2024 está atrelado a acordos e convenções coletivas, o salário base pode ser estipulado de acordo com o salário mínimo 2024 ou o piso salarial mínimo regional se houver.

Reajuste e valor do vale refeição 2024

O reajuste médio do vale refeição 2024 para Trabalhador na Operação de Sistemas de Irrigação e Aspersão (canhão) ficou em 9.60% de acordo com acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios registrados no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho do SRT - Subsecretaria de Relações do Trabalho.

Com isso o valor médio do vale refeição para 2024 observado em instrumentos coletivos de todo Brasil ficou em R$ 20,00 por dia efetivamente trabalhado.

Como é feito o cálculo dos reajustes e pisos salariais dos Trabalhadores da irrigação e drenagem 2024

O salário de Trabalhador na Operação de Sistemas de Irrigação e Aspersão (canhão) mostrado aqui é resultado do levantamento de 612 salários em admissões de empresas de todo o Brasil em 2024, além de dissídios, convenções e acordos coletivos da categoria em sindicatos nacionais ou regionais de Trabalhadores da irrigação e drenagem que foram registrados no sistema Mediador da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, que registra os instrumentos coletivos.

Encontre o seu estado logo abaixo e saiba quanto ganha um Trabalhador na Operação de Sistemas de Irrigação e Aspersão (canhão) com salários atualizados em 2024. A ordem dos salários obedece a sigla dos estados em ordem alfabética. Confira:

Dissídio salarrial de Trabalhador na Operação de Sistemas de Irrigação e Aspersão (canhão) CBO 643020 salário

Valor do salário na CCT 2024 de Trabalhador na Operação de Sistemas de Irrigação e Aspersão (canhão) em todos os estados

Dados de dissídios coletivos para Trabalhador na Operação de Sistemas de Irrigação e Aspersão (canhão) por estado
UF Jornada Piso Média Teto Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo 44h 1.714,69 1.781,15 2.513,61 8,14 4.50%
Minas Gerais 44h 1.805,19 1.875,15 2.646,27 8,56 7.20%
Goiás 44h 1.635,61 1.699,00 2.397,68 7,72 4.60%
Maranhão 44h 1.483,48 1.540,97 2.174,67 7,03 5.10%
Bahia 44h 1.745,75 1.813,41 2.559,13 8,24 7.70%
Espírito Santo 44h 1.748,86 1.816,64 2.563,69 8,30 6.40%
Mato Grosso 44h 2.869,16 2.980,36 4.205,98 13,55 8.10%

Fonte: Dados CAGED, PNAD e instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego que mencionem a profissão de Trabalhador na Operação de Sistemas de Irrigação e Aspersão (canhão).

Dissídio de Trabalhador na Operação de Sistemas de Irrigação e Aspersão (canhão) por cidade

Quanto ganha um Trabalhador na Operação de Sistemas de Irrigação e Aspersão (canhão) nas principais cidades

Salários segundo dados do CAGED e instrumentos coletivos registrados que citem a profissão de Trabalhador na Operação de Sistemas de Irrigação e Aspersão (canhão) na localidade
Cidade Carga Horária Piso Salarial Média Salarial Maior Salário Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
João Pinheiro, MG 44 1.961,83 2.037,86 2.875,89 9,26 4.40%
Queiroz, SP 43 1.428,82 1.484,20 2.094,55 6,88 5.40%
Holambra, SP 44 1.818,94 1.889,44 2.666,43 8,59 5.60%
Avanhandava, SP 44 1.845,19 1.916,71 2.704,91 8,71 4.70%
Campestre do Maranhão, MA 44 1.471,09 1.528,10 2.156,50 6,95 7.90%
Acreúna, GO 44 1.396,89 1.451,03 2.047,74 6,60 4.60%
Paracatu, MG 44 1.500,99 1.559,17 2.200,34 7,14 8.20%
Fernandópolis, SP 44 1.748,27 1.816,03 2.562,83 8,25 7.30%
Pirajuba, MG 44 1.336,85 1.388,67 1.959,73 6,31 7.70%
Cristalina, GO 44 2.002,96 2.080,59 2.936,19 9,46 7.90%
Tupaciguara, MG 44 1.642,66 1.706,32 2.408,01 7,78 5.50%
Itápolis, SP 44 1.668,27 1.732,93 2.445,56 7,88 7.00%
Linhares, ES 44 1.662,94 1.727,39 2.437,75 7,85 4.60%
Riachão das Neves, BA 44 1.942,23 2.017,50 2.847,16 9,17 6.00%
Lençóis Paulista, SP 44 1.468,80 1.525,73 2.153,15 6,94 6.90%
Colômbia, SP 44 2.021,66 2.100,02 2.963,61 9,55 5.60%

Os valores de piso salarial e porcentagem de dissídio referem-se a média observada em instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego com abrangência na cidade ou na região e que citem a profissão de Trabalhador na Operação de Sistemas de Irrigação e Aspersão (canhão). Instrumentos coletivos: Acordos, convenções ou dissídios coletivos.

Empresas que mais contratam Trabalhador na Operação de Sistemas de Irrigação e Aspersão (canhão) no Brasil

Pisos salariais por setores das empresas
Segmento Piso Média Teto Dissídio 2024 (%)
Fabricação de açúcar em bruto 1.591,64 1.653,33 2.333,22 5.70%
Fabricação de álcool 1.750,78 1.818,64 2.566,52 5.10%
Cultivo de cana-de-açúcar 1.529,05 1.588,31 2.241,47 5.90%
Fabricação de equipamentos para irrigação agrícola, peças e acessórios 1.818,94 1.889,44 2.666,43 6.30%
Cultivo de soja 2.300,35 2.389,50 3.372,13 4.50%
Cultivo de alho 1.962,44 2.038,50 2.876,79 5.40%
Atividades de apoio à agricultura não especificadas anteriormente 1.550,89 1.611,00 2.273,49 8.10%
Cultivo de coco-da-baía 1.590,27 1.651,90 2.331,21 8.30%
Instalação e manutenção elétrica 1.721,18 1.787,89 2.523,12 4.10%
Cultivo de outras plantas de lavoura temporária não especificadas anteriormente 2.989,68 3.105,56 4.382,65 4.90%
Cultivo de café 2.162,56 2.246,38 3.170,15 4.10%
Obras de irrigação 1.984,63 2.061,55 2.909,33 4.10%
Instalação de máquinas e equipamentos industriais 1.419,04 1.474,04 2.080,21 8.20%
Manutenção e reparação de máquinas e equipamentos para agricultura e pecuária 1.925,38 2.000,00 2.822,46 6.10%
Cultivo de morango 1.358,03 1.410,67 1.990,78 5.90%
Horticultura, exceto morango 1.286,66 1.336,53 1.886,15 6.10%
Serviço de pulverização e controle de pragas agrícolas 2.406,72 2.500,00 3.528,08 4.80%
Cultivo de frutas de lavoura permanente não especificadas anteriormente 1.471,63 1.528,67 2.157,30 8.10%
Criação de suínos 2.068,82 2.149,00 3.032,73 4.30%
Comércio atacadista de frutas, verduras, raízes, tubérculos, hortaliças e legumes frescos 1.365,41 1.418,33 2.001,59 5.30%
Fonte: Contratações formais indicadas pelas empresas ao sistema Novo CAGED e convenções coletivas patronais.