O dissídio de Tecnólogo em Gestão Hospitalar 2024 já saiu. Veja aqui o salário mínimo, piso salarial e salário médio em todos os estados, capitais e principais cidades brasileiras de acordo com a convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados em carteira com o CBO 131215 no cargo de Tecnólogo em Gestão Hospitalar.

Estado com maior salário médio

Rio Grande do Norte

R$ 12.912,40

(últimos 12 meses)

Estado que mais contrata

São Paulo

70 admissões

(últimos 12 meses)

Cidade com maior salário médio

São Paulo - SP

R$ 11.181,95

Cidade que mais contrata

São Paulo - SP

48 admissões

Descrição sumária do cargo

O colaborador no cargo de Tecnólogo em gestão hospitalar Planeja, organiza, gerencia, coordena, controla e avalia as atividades operacionais e ações de saúde de uma empresa ou instituição, de um estabelecimento ou de um departamento de serviços de saúde hospitalares, sob a direção de um diretor ou gerente geral, visando à manutenção do funcionamento e ao atendimento dos usuários com qualidade e segurança Gerencia os serviços e as atividades relacionadas à assistência à saúde, contratos e projetos, custos e a qualidade de entrega de serviços hospitalares.

Atua conforme normas técnicas e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho, de qualidade e de preservação ambiental

O que faz um Tecnólogo em Gestão Hospitalar

O Tecnólogo em gestão hospitalar planeja, organiza, gerencia, coordena, controla e avalia atividades das equipes de produção e operação envolvendo a área de serviços de saúde hospitalares, garantindo que todas as tarefas, operações e processos sigam os procedimentos definidos, com o objetivo de maximizar os resultados estabelecidos em metas Planeja as ações de saúde, analisando indicadores de saúde e sociodemográficos, operacionalizando ações e normas de autoridades sanitárias, aplicando normas legais referentes aos serviços de saúde hospitalares e adequando o funcionamento das unidades às normas para garantir o atendimento com segurança e de acordo com a legislação.

Gerencia os serviços de assistência à saúde, monitorando o cumprimento de normas técnicas, administrativas e legais, implementando programas de saúde, utilizando práticas de saúde baseadas em evidências, visando à manutenção do funcionamento e ao atendimento dos usuários com qualidade e segurança.

Organiza o fluxo de atendimento aos usuários, estabelecendo protocolos e critérios para otimização de atendimento, acompanhando processos de assistência à saúde e operacionalizando campanhas de saúde Pode atuar em hospitais públicos e privados, unidade básica de saúde (UBS), pronto-socorro, entre outras instituições, em atividades relacionadas aos serviços médico-hospitalares.

Gerencia riscos em tecnovigilância, hemoderivados e farmacovigilância Participa da definição de estratégias para unidades e programas de saúde, da elaboração de campanhas de promoção e da divulgação de serviços de saúde.

Elabora estudos de viabilidade técnica e econômica.

Avalia as necessidades de equipamentos, materiais e serviços Determina destinação dos resíduos de serviços hospitalares.

Presta assistência à direção da empresa ou aos seus departamentos, unidades ou programas de saúde, durante a elaboração de plano estratégico e da negociação de metas de produção do planejamento tático.

Estabelece interface com setores internos e com clientes e fornecedores externos, concilia interesses dos usuários de serviços de saúde, participa em conselhos, propõe auditorias, supervisiona convênios e parcerias e elabora relatórios Coordena projetos e programas de saúde e de qualidade em atendimento Avalia ações de saúde, estabelecendo critérios de avaliação, acompanhando processos, resultados e impactos das ações, a fim de manter a qualidade e segurança nos atendimentos de serviços de saúde hospitalares.

Avalia resultados de campanhas, o desempenho de equipamentos e de profissionais e as ações de vigilância de saúde Administra pessoas, finanças, suprimentos, operações de produção e fornece meios para a garantia de segurança no trabalho, de saúde dos trabalhadores e de preservação ambiental Promove e analisa estudo de custo de serviços de tratamento de saúde, calcula custo de tratamentos e verifica custos da prestação de serviço e por departamento.

Viabiliza a captação de recursos Identifica e dimensiona a necessidade de contratação, de capacitação e de qualificação de profissionais, propondo diretrizes para organização funcional, entre outras ações.

Identifica perfis profissionais Gerencia as atividades relacionadas aos serviços de saúde, como registro e armazenamento de informações, gestão administrativa, financeira e outras, utilizando sistemas informatizados e tecnologias de informação e comunicação Promove o desenvolvimento tecnológico e as inovações para o incremento da produtividade em unidades de saúde.

Gerencia contratos e projetos, observando conformidade de especificações e de prazos, para manter o funcionamento dos sistemas de saúde de acordo com as exigências operacionais e legais Atua conforme normas técnicas e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho, de qualidade e de preservação ambiental, promove programa de qualidade de vida no trabalho e implementa ações de segurança do trabalhador.

Funções do Tecnólogo em gestão hospitalar

O profissional Tecnólogo em Gestão Hospitalar deve coordenar ações de saúde, avaliar ações de saúde, coordenar interfaces com entidades sociais e profissionais, gerenciar recursos humanos, planejar ações de saúde, demonstrar competências pessoais, administrar recursos financeiros, definir estratégias para unidades e/ou programas de saúde.

Condições de trabalho da profissão

Gestores e especialistas de operações em empresas, secretarias e unidades de serviços de saúde os cargos dessa família CBO podem exercer suas funções em empresas públicas ou privadas de atividades da saúde e serviços sociais. São empregados na condição de assalariado com carteira assinada, organizam-se em equipe e atuam com supervisão ocasional ou sem supervisão, trabalham em ambientes fechados e em períodos noturnos e diurnos. Em algumas atividades podem trabalhar sob pressão, levando-os à situação de estresse constante.

Exigências do mercado de trabalho para a profissão

Atividades exercidas por um Tecnólogo em gestão hospitalar

Um Tecnólogo em gestão hospitalar deve aplicar as normas legais referentes ao funcionamento das unidades assistenciais e/ou atenção à saúde (farmácia, casa de apoio...), elaborar estudos de viabilidade técnica e econômica, gerenciar serviços de assistência à saúde, analisar indicadores sociodemográficos, avaliar resultados financeiros, propor diretrizes para organograma funcional, operacionalizar campanhas de saúde, propor alterações de cargos e salários, conciliar interesses dos usuários de serviços de saúde, viabilizar captação de recursos, implementar programas de saúde, analisar estudos de custo de serviços de saúde, demonstrar criatividade, demonstrar capacidade de negociação, levantar custo da prestação de serviços, levantar custo por departamento, gerenciar risco em farmacovigilância, demonstrar capacidade de estabelecer vínculos, evidenciar acessibilidade, demonstrar capacidade de observação, demonstrar capacidade de comunicação, demonstrar capacidade de comunicação não verbal, acompanhar processos de assistência à saúde, avaliar necessidades de aquisição/ contratação de equipamentos, materiais e serviços, implementar ações de saúde e segurança do trabalhador, gerenciar risco em hemoderivados, adequar funcionamento da unidade assistencial às normas, promover estudos de custo de serviços de saúde, supervisionar convênios e parcerias, identificar necessidades de capacitação e qualificação, avaliar desempenho dos profissionais, estabelecer critérios para otimização de atendimento, determinar destinação dos resíduos hospitalares, analisar indicadores de saúde, evidenciar capacidade crítica, acompanhar resultados de ação de saúde, liderar pessoas, avaliar ações de vigilância de saúde, avaliar resultados de campanhas, monitorar cumprimento de normas técnicas, administrativas e legais, demonstrar capacidade de tomar decisão, demonstrar iniciativa, dimensionar rede própria e/ou credenciada de serviços de saúde, estabelecer critérios de avaliação, acompanhar processos de ação de saúde, demonstrar capacidade de escuta, demonstrar capacidade de administrar o tempo, demonstrar capacidade analítica, propor diretrizes de planos de salários, propor diretrizes de planos de carreira, coordenar projetos de qualidade em atendimento, contornar situações adversas, delegar funções, propor auditorias, promover programa de qualidade de vida no trabalho, demonstrar empatia, participar em conselhos, coordenar projetos e/ou programas de saúde, operacionalizar ações e normas de autoridades sanitárias, prestar consultoria, estabelecer protocolos de atendimento, identificar perfis profissionais, de acordo com as necessidades, organizar fluxo de atendimento aos usuários, acompanhar fluxo financeiro, calcular custo de tratamentos, demonstrar capacidade de trabalhar em equipe, avaliar o impacto das ações de saúde, demonstrar capacidade de administrar conflitos, definir instruções de serviços internos, dimensionar necessidade de contratação, avaliar desempenho dos equipamentos de saúde, participar na elaboração de campanhas de promoção e divulgação de serviços de saúde, demonstrar capacidade retórica, elaborar relatórios, propor contratações e/ou demissões, gerenciar risco em tecnovigilância.

Aumento do piso salarial e reajuste 2024 da categoria

O reajuste salarial 2024 para Tecnólogo em Gestão Hospitalar ficou em 6.00%, obedecendo os índices de inflação do INPC - Índice Nacional de Preços ao Consumidor no período de um ano, esse é o critério para estipular o piso salarial 2024 e o início das negociações salariais entre o sindicato dos trabalhadores no cargo de Tecnólogo em Gestão Hospitalar e os sindicatos patronais.

Em algumas localidades houve aumento real do salário, ou seja, acima do índice de correção salarial e acima até mesmo do reajuste médio da categoria dos Gestores e especialistas de operações em empresas, secretarias e unidades de serviços de saúde que ficou em 6.00% para 2024.

Uma observação importante é que nem sempre o aumento salarial do Tecnólogo em Gestão Hospitalar em 2024 está atrelado a acordos e convenções coletivas, o salário base pode ser estipulado de acordo com o salário mínimo 2024 ou o piso salarial mínimo regional se houver.

Reajuste e valor do vale refeição 2024

O reajuste médio do vale refeição 2024 para Tecnólogo em Gestão Hospitalar ficou em 6.30% de acordo com acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios registrados no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho do SRT - Subsecretaria de Relações do Trabalho.

Com isso o valor médio do vale refeição para 2024 observado em instrumentos coletivos de todo Brasil ficou em R$ 37,00 por dia efetivamente trabalhado.

Como é feito o cálculo dos reajustes e pisos salariais dos Gestores e especialistas de operações em empresas, secretarias e unidades de serviços de saúde 2024

O salário de Tecnólogo em Gestão Hospitalar mostrado aqui é resultado do levantamento de 164 salários em admissões de empresas de todo o Brasil em 2024, além de dissídios, convenções e acordos coletivos da categoria em sindicatos nacionais ou regionais de Gestores e especialistas de operações em empresas, secretarias e unidades de serviços de saúde que foram registrados no sistema Mediador da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, que registra os instrumentos coletivos.

Encontre o seu estado logo abaixo e saiba quanto ganha um Tecnólogo em Gestão Hospitalar com salários atualizados em 2024. A ordem dos salários obedece a sigla dos estados em ordem alfabética. Confira:

Dissídio salarrial de Tecnólogo em Gestão Hospitalar CBO 131215 salário

Valor do salário na CCT 2024 de Tecnólogo em Gestão Hospitalar em todos os estados

Dados de dissídios coletivos para Tecnólogo em Gestão Hospitalar por estado
UF Jornada Piso Média Teto Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo 40h 9.498,82 9.866,97 13.924,56 49,87 5.80%
Rio de Janeiro 43h 4.966,51 5.159,00 7.280,53 23,73 7.30%
Ceará 43h 5.118,80 5.317,19 7.503,78 24,88 5.00%
Minas Gerais 41h 4.441,82 4.613,97 6.511,38 22,25 6.50%

Fonte: Dados CAGED, PNAD e instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego que mencionem a profissão de Tecnólogo em Gestão Hospitalar.

Dissídio de Tecnólogo em Gestão Hospitalar por cidade

Quanto ganha um Tecnólogo em Gestão Hospitalar nas principais cidades

Salários segundo dados do CAGED e instrumentos coletivos registrados que citem a profissão de Tecnólogo em Gestão Hospitalar na localidade
Cidade Carga Horária Piso Salarial Média Salarial Maior Salário Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo, SP 39 10.764,74 11.181,95 15.780,30 57,59 5.60%
Fortaleza, CE 43 5.220,86 5.423,20 7.653,39 25,26 6.90%
Duque de Caxias, RJ 44 3.835,91 3.984,58 5.623,16 18,11 5.80%

Os valores de piso salarial e porcentagem de dissídio referem-se a média observada em instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego com abrangência na cidade ou na região e que citem a profissão de Tecnólogo em Gestão Hospitalar. Instrumentos coletivos: Acordos, convenções ou dissídios coletivos.

Empresas que mais contratam Tecnólogo em Gestão Hospitalar no Brasil

Pisos salariais por setores das empresas
Segmento Piso Média Teto Dissídio 2024 (%)
Atividades de atendimento hospitalar, exceto pronto-socorro e unidades para atendimento a urgências 7.587,70 7.881,78 11.123,01 7.30%
Atividades de atenção ambulatorial não especificadas anteriormente 11.090,65 11.520,50 16.258,07 6.60%
Atividades de apoio à gestão de saúde 7.401,41 7.688,27 10.849,92 5.30%
Planos de saúde 4.402,23 4.572,85 6.453,34 8.00%
Atividades de atendimento em pronto-socorro e unidades hospitalares para atendimento a urgências 9.202,12 9.558,77 13.489,62 5.30%
Outras atividades de ensino não especificadas anteriormente 4.941,87 5.133,40 7.244,41 6.60%
Atividades de associações de defesa de direitos sociais 3.621,92 3.762,29 5.309,46 7.90%
Atividade médica ambulatorial com recursos para realização de exames complementares 10.979,66 11.405,20 16.095,36 5.80%
Atividades veterinárias 4.004,79 4.160,00 5.870,72 7.50%
Seleção e agenciamento de mão-de-obra 6.054,35 6.289,00 8.875,23 5.30%
Fornecimento e gestão de recursos humanos para terceiros 3.041,10 3.158,96 4.458,02 5.10%
Ensino médio 1.952,33 2.028,00 2.861,97 8.00%
Atividades de organizações religiosas 1.952,33 2.028,00 2.861,97 5.10%
Comércio atacadista de equipamentos elétricos de uso pessoal e doméstico 4.295,59 4.462,07 6.297,01 5.30%
Comércio atacadista de medicamentos e drogas de uso humano 14.444,19 15.004,00 21.174,09 6.30%
Fabricação de máquinas e equipamentos para saneamento básico e ambiental, peças e acessórios 2.479,89 2.576,00 3.635,33 7.90%
Atividade médica ambulatorial restrita a consultas 2.888,07 3.000,00 4.233,69 4.40%
Recuperação de sucatas de alumínio 4.332,10 4.500,00 6.350,54 5.20%
Educação infantil - pré-escola 2.502,99 2.600,00 3.669,20 6.60%
Atividades de apoio à educação, exceto caixas escolares 18.396,99 19.110,00 26.968,61 4.20%
Fonte: Contratações formais indicadas pelas empresas ao sistema Novo CAGED e convenções coletivas patronais.