O dissídio de Padronizador de Velas de Embarcações 2024 já saiu. Veja aqui o salário mínimo, piso salarial e salário médio em todos os estados, capitais e principais cidades brasileiras de acordo com a convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados em carteira com o CBO 765225 no cargo de Padronizador de Velas de Embarcações.

Estado com maior salário médio

Rio de Janeiro

R$ 2.261,50

(últimos 12 meses)

Estado que mais contrata

São Paulo

232 admissões

(últimos 12 meses)

Cidade com maior salário médio

Arapongas - PR

R$ 2.069,08

Cidade que mais contrata

São Paulo - SP

36 admissões

Descrição sumária do cargo

O colaborador no cargo de Confeccionador de velas náuticas, barracas e toldos confecciona velas náuticas, barracas e toldos, desenhando os moldes, preparando e executando o corte de materiais, costurando as peças de tecidos, realizando o acabamento e fazendo a montagem final Planeja o trabalho, estabelecendo a sequência das atividades, selecionando equipamentos e ferramentas e especificando materiais.

Controla a qualidade dos produtos Realiza manutenção produtiva de máquinas e equipamentos Cumpre normas técnicas e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho, de combate a incêndio e de preservação ambiental.

O que faz um Padronizador de Velas de Embarcações

O Confeccionador de velas náuticas, barracas e toldos planeja a confecção de velas náuticas, barracas e toldos, estabelecendo a sequência de atividades e selecionando materiais, ferramentas e equipamentos Faz a especificação de materiais, tais como cintas de reforço, colas e aviamentos.

Desenha os moldes para a confecção de velas náuticas, barracas e toldos.

Recorta e testa os moldes Identifica e acondiciona os moldes, de acordo com o produto e o tipo de peça.

Prepara o corte de materiais, definindo posicionamento do molde no tecido e transferindo informações do molde para a peça a ser cortada Executa corte radial ou horizontal no material, de acordo com a especificação do produto.

Usa ferramentas manuais e opera máquinas de corte, fazendo o melhor aproveitamento possível do material.

Identifica as peças cortadas para a utilização na montagem do produto Prepara materiais para confecção das velas náuticas, barracas e toldos, usando cintas de reforço, colas, aviamentos e outros recursos de acordo com as especificações de cada produto a ser produzido e levando em conta as características dos materiais, tais como baixa elasticidade, resistência à flexão e resistência aos raios ultravioletas.

Posiciona os componentes e alinhava as peças para costura.

Costura as peças de tecidos, fazendo a junção das partes Arremata as bordas das peças e fixa acessórios e etiquetas de identificação Rebita os artefatos de tecidos nas estruturas.

Pode grampear componentes para montagem Realiza a montagem final, limpando artefatos, fechando as peças, colando, reforçando com cintas e adornando Controla a qualidade do produto, revisando-o e verificando o acabamento, a qualidade da costura e as dimensões.

Preenche planilhas com os resultados Conserva o local de trabalho limpo e organizado.

Mantém ferramentas, instrumentos e acessórios de trabalho limpos, organizados, acondicionados e em plenas condições de uso e funcionamento Afia as ferramentas de corte Controla o estoque de materiais, requisitando reposição.

Executa manutenção produtiva de máquinas e equipamentos, fazendo sua limpeza, regulagem e lubrificação Substitui peças danificadas Realiza reaproveitamento de material.

Faz o descarte de resíduos de acordo com as normas ambientais Trabalha com segurança, prevenindo acidentes e incêndios.

Funções do Confeccionador de velas náuticas, barracas e toldos

O profissional Padronizador de Velas de Embarcações deve realizar acabamentos e montagem final, planejar a confecção e instalação de artefatos de tecidos, couros e sintéticos, cortar materiais, revisar artefatos, confeccionar artefatos de tecidos, couros e sintéticos, criar moldes, demonstrar competências pessoais, preparar materiais para confecção, realizar manutenção produtiva de máquinas e equipamentos.

Condições de trabalho da profissão

Trabalhadores da confecção de artefatos de tecidos, couros e sintéticos atuam em empresas de fabricação e reparação de artefatos de tecidos, couros e sintéticos, geralmente como autônomos. A grande maioria desses profissionais trabalha em equipe. Trabalham no período diurno, em ambientes fechados, alguns sob supervisão e outros sem supervisão.

Exigências do mercado de trabalho para a profissão

Atividades exercidas por um Confeccionador de velas náuticas, barracas e toldos

Um Confeccionador de velas náuticas, barracas e toldos deve buscar novos conhecimentos, preparar o local de trabalho, recortar moldes, posicionar componentes para confecção, fechar peças, substituir peças com defeitos, marcar moldes, adornar com passamanarias e marinharias, testar tração, selecionar ferramentas e equipamentos, identificar moldes, acondicionar moldes, demonstrar responsabilidade, operar máquinas para corte de materiais, definir posicionamento dos moldes, controlar dimensões do produto (controle dimensional), demonstrar credibilidade, demonstrar criatividade, testar instalação de produtos, arrematar bordas em peças de tecidos cortados, afiar, manualmente, ferramentas de corte, pré-escolher tecidos de algodão, selecionar materiais para confecção, regular máquinas e equipamentos, utilizar ferramentas manuais para corte de materiais, demonstrar capacidade de concentração, desenhar moldes, costurar peças de tecidos, couros e sintéticos, à máquina, demonstrar iniciativa, limpar máquinas e equipamentos, lubrificar máquinas e equipamentos, demonstrar habilidade manual (coordenação motora), costurar peças de tecidos, couros e sintéticos, à mão, grampear componente para montagem, alinhavar as peças para costura, substituir componentes danificados, testar moldes, demonstrar interesse pelo trabalho, demonstrar capacidade de observação, identificar peças cortadas, rebitar artefatos de tecidos, couros e sintéticos nas estruturas, transferir informações do molde para a peça a ser cortada, demonstrar capacidade de negociação, limpar artefatos, selecionar ferramentas de corte, especificar materiais, fixar etiquetas de identificação, no produto, estabelecer sequência de operações.

Aumento do piso salarial e reajuste 2024 da categoria

O reajuste salarial 2024 para Padronizador de Velas de Embarcações ficou em 7.90%, obedecendo os índices de inflação do INPC - Índice Nacional de Preços ao Consumidor no período de um ano, esse é o critério para estipular o piso salarial 2024 e o início das negociações salariais entre o sindicato dos trabalhadores no cargo de Padronizador de Velas de Embarcações e os sindicatos patronais.

Em algumas localidades houve aumento real do salário, ou seja, acima do índice de correção salarial e acima até mesmo do reajuste médio da categoria dos Trabalhadores da confecção de artefatos de tecidos, couros e sintéticos que ficou em 7.90% para 2024.

Uma observação importante é que nem sempre o aumento salarial do Padronizador de Velas de Embarcações em 2024 está atrelado a acordos e convenções coletivas, o salário base pode ser estipulado de acordo com o salário mínimo 2024 ou o piso salarial mínimo regional se houver.

Reajuste e valor do vale refeição 2024

O reajuste médio do vale refeição 2024 para Padronizador de Velas de Embarcações ficou em 5.20% de acordo com acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios registrados no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho do SRT - Subsecretaria de Relações do Trabalho.

Com isso o valor médio do vale refeição para 2024 observado em instrumentos coletivos de todo Brasil ficou em R$ 22,00 por dia efetivamente trabalhado.

Como é feito o cálculo dos reajustes e pisos salariais dos Trabalhadores da confecção de artefatos de tecidos, couros e sintéticos 2024

O salário de Padronizador de Velas de Embarcações mostrado aqui é resultado do levantamento de 703 salários em admissões de empresas de todo o Brasil em 2024, além de dissídios, convenções e acordos coletivos da categoria em sindicatos nacionais ou regionais de Trabalhadores da confecção de artefatos de tecidos, couros e sintéticos que foram registrados no sistema Mediador da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, que registra os instrumentos coletivos.

Encontre o seu estado logo abaixo e saiba quanto ganha um Padronizador de Velas de Embarcações com salários atualizados em 2024. A ordem dos salários obedece a sigla dos estados em ordem alfabética. Confira:

Dissídio salarrial de Padronizador de Velas de Embarcações CBO 765225 salário

Valor do salário na CCT 2024 de Padronizador de Velas de Embarcações em todos os estados

Dados de dissídios coletivos para Padronizador de Velas de Embarcações por estado
UF Jornada Piso Média Teto Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo 44h 1.846,75 1.918,33 2.707,20 8,79 6.90%
Minas Gerais 44h 1.651,64 1.715,66 2.421,18 7,88 6.20%
Paraná 44h 1.842,52 1.913,93 2.700,99 8,70 7.00%
Goiás 44h 1.615,29 1.677,89 2.367,89 7,70 6.60%
Rio Grande do Sul 44h 1.701,41 1.767,35 2.494,14 8,08 7.20%
Santa Catarina 44h 1.892,73 1.966,09 2.774,61 8,95 8.30%
Mato Grosso 43h 1.796,38 1.866,00 2.633,35 8,68 4.90%
Espírito Santo 43h 1.587,55 1.649,08 2.327,23 7,64 6.30%
Pernambuco 44h 1.398,17 1.452,36 2.049,61 6,60 4.70%
Rondônia 44h 1.379,21 1.432,67 2.021,82 6,51 5.50%
Distrito Federal 44h 1.519,51 1.578,40 2.227,49 7,17 6.20%
Bahia 44h 1.360,86 1.413,60 1.994,91 6,43 6.40%

Fonte: Dados CAGED, PNAD e instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego que mencionem a profissão de Padronizador de Velas de Embarcações.

Dissídio de Padronizador de Velas de Embarcações por cidade

Quanto ganha um Padronizador de Velas de Embarcações nas principais cidades

Salários segundo dados do CAGED e instrumentos coletivos registrados que citem a profissão de Padronizador de Velas de Embarcações na localidade
Cidade Carga Horária Piso Salarial Média Salarial Maior Salário Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo, SP 44 1.701,90 1.767,87 2.494,86 8,06 6.90%
São José do Rio Preto, SP 44 1.966,20 2.042,40 2.882,30 9,33 6.40%
Goiânia, GO 43 1.616,39 1.679,04 2.369,51 7,77 4.40%
Arapongas, PR 44 1.991,88 2.069,08 2.919,95 9,40 7.00%
Itumbiara, GO 44 1.563,20 1.623,79 2.291,54 7,38 7.00%
Venâncio Aires, RS 43 1.786,13 1.855,36 2.618,34 8,58 7.50%
Sorriso, MT 44 1.716,32 1.782,84 2.516,00 8,10 4.30%
Santa Rosa, RS 44 1.383,22 1.436,83 2.027,70 6,53 5.90%
Franca, SP 44 2.053,09 2.132,66 3.009,67 9,69 6.40%
Ribeirão Preto, SP 41 1.667,25 1.731,86 2.444,06 8,46 6.10%
Porto Ferreira, SP 44 1.768,31 1.836,85 2.592,21 8,35 4.60%
Vilhena, RO 44 1.379,21 1.432,67 2.021,82 6,51 7.50%
Divinópolis, MG 44 1.536,31 1.595,86 2.252,12 7,25 8.10%
Chapeco, SC 44 1.796,38 1.866,00 2.633,36 8,48 7.00%
Patos de Minas, MG 44 1.726,36 1.793,27 2.530,72 8,15 4.20%
Ourinhos, SP 44 2.055,15 2.134,80 3.012,69 9,70 7.90%
Brasília, DF 44 1.519,51 1.578,40 2.227,49 7,17 4.50%

Os valores de piso salarial e porcentagem de dissídio referem-se a média observada em instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego com abrangência na cidade ou na região e que citem a profissão de Padronizador de Velas de Embarcações. Instrumentos coletivos: Acordos, convenções ou dissídios coletivos.

Empresas que mais contratam Padronizador de Velas de Embarcações no Brasil

Pisos salariais por setores das empresas
Segmento Piso Média Teto Dissídio 2024 (%)
Fabricação de tecidos especiais, inclusive artefatos 1.834,51 1.905,61 2.689,26 7.60%
Comércio a varejo de peças e acessórios novos para veículos automotores 1.695,00 1.760,69 2.484,74 5.80%
Manutenção e reparação de equipamentos e produtos 1.523,03 1.582,05 2.232,64 7.90%
Comércio varejista de outros artigos de uso doméstico 1.644,25 1.707,98 2.410,35 5.80%
Comércio varejista de artigos de tapeçaria, cortinas e persianas 1.718,12 1.784,71 2.518,64 7.50%
Comércio atacadista de máquinas e equipamentos para uso industrial 1.991,88 2.069,08 2.919,95 8.00%
Fabricação de artefatos de tapeçaria 2.008,58 2.086,43 2.944,43 4.40%
Aluguel de palcos, coberturas e outras estruturas de uso temporário, exceto andaimes 1.769,85 1.838,45 2.594,47 6.60%
Comércio varejista de artigos de colchoaria 1.786,13 1.855,36 2.618,34 4.90%
Comércio varejista de outros produtos 1.856,04 1.927,98 2.720,82 4.80%
Fabricação de artigos de serralheria, exceto esquadrias 1.537,93 1.597,54 2.254,49 7.60%
Fabricação de estruturas metálicas 1.852,97 1.924,79 2.716,32 8.30%
Serviços de instalação, manutenção e reparação de acessórios para veículos automotores 1.560,82 1.621,31 2.288,04 5.10%
Serviços de borracharia para veículos automotores 1.379,21 1.432,67 2.021,82 8.00%
Transporte rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudanças, intermunicipal, interestadual e internacional 1.923,10 1.997,63 2.819,11 7.40%
Fabricação de máquinas e equipamentos para a agricultura e pecuária, peças e acessórios, exceto para irrigação 1.373,41 1.426,64 2.013,31 4.70%
Obras de irrigação 1.660,75 1.725,11 2.434,53 5.70%
Serviços de organização de feiras, congressos, exposições e festas 2.433,29 2.527,60 3.567,03 4.80%
Instalação de painéis publicitários 1.394,83 1.448,89 2.044,72 4.30%
Serviços de manutenção e reparação mecânica de veículos automotores 1.942,23 2.017,50 2.847,16 8.00%
Fonte: Contratações formais indicadas pelas empresas ao sistema Novo CAGED e convenções coletivas patronais.