O dissídio de Forneiro de Material de Construção (telhas e Tijolos) 2024 já saiu. Veja aqui o salário mínimo, piso salarial e salário médio em todos os estados, capitais e principais cidades brasileiras de acordo com a convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados em carteira com o CBO 823315 no cargo de Forneiro de Material de Construção (telhas e Tijolos).

Estado com maior salário médio

São Paulo

R$ 2.367,56

(últimos 12 meses)

Estado que mais contrata

São Paulo

841 admissões

(últimos 12 meses)

Cidade com maior salário médio

Cordeirópolis - SP

R$ 4.625,35

Cidade que mais contrata

Tatuí - SP

167 admissões

Descrição sumária do cargo

O colaborador no cargo de Forneiro (materiais de construção) realiza a queima de peças de cerâmica vermelha – tais como tijolos, telhas e pisos -, limpando e abastecendo o forno com combustível, fazendo o carregamento das peças, posicionando os instrumentos de controle de temperatura, efetuando o aquecimento gradativo, controlando a queima, desligando os queimadores e promovendo o resfriamento para retirada das peças Planeja as atividades, verificando a ordem de produção.

Cumpre normas técnicas e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho, de combate a incêndio e de preservação ambiental

O que faz um Forneiro de Material de Construção (telhas e Tijolos)

O Forneiro (materiais de construção) planeja as atividades, verificando a ordem de produção e selecionando materiais e instrumentos de trabalho Prepara o forno para a queima de peças de cerâmica vermelha, limpando-o e abastecendo-o com combustível.

Realiza ou orienta a distribuição das peças no forno, para o melhor aproveitamento do espaço sem prejudicar a qualidade da queima do material.

Posiciona os instrumentos de controle de temperatura Preaquece o forno, instalando e acendendo os queimadores, regulando as chamas e aumentando a temperatura gradativamente.

Atua nos controles de alimentação de combustível e no jato de ar, para manter a temperatura necessária e o bom rendimento do forno Realiza a queima de peças de cerâmica vermelha, controlando a temperatura do forno por meio do pirômetro e verificando o tempo de permanência das peças no forno, para dar aos materiais as características requeridas.

Desliga os queimadores e efetua o resfriamento gradativo do forno, para fazer a retirada das peças.

Pode aplicar produtos para vitrificar e dar brilho às peças Pode utilizar forno com painel de controle.

Mantém o local de trabalho limpo e organizado, acondicionando os instrumentos de trabalho.

Descarta os resíduos, de acordo com os procedimentos ambientais adotados pela empresa Zela pela segurança, prevenindo acidentes e incêndios Utiliza equipamentos de proteção individual.

Sinaliza as áreas de risco, orientando as pessoas para evitá-las.

Funções do Forneiro (materiais de construção)

O profissional Forneiro de Material de Construção (telhas e Tijolos) deve preparar fornos para queima de cerâmica vermelha (tijolos, telhas e pisos), demonstrar competências pessoais, realizar queima de peças de cerâmica vermelha (tijolos, telhas e pisos), realizar acabamentos em peças de concreto armado, pedras artificiais e cimento amianto.

Condições de trabalho da profissão

Operadores de instalações e equipamentos de fabricação de materiais de construção atuam na fabricação de produtos de minerais não metálicos e de materiais de construção como empregados com carteira assinada. Organizam-se de forma individual ou na forma de trabalho corporativo, sob supervisão permanente, em ambiente fechado no período diurno e em turnos fixos. Podem permanecer em posições desconfortáveis durante longos períodos, realizar atividades em grandes alturas ou em ambiente subterrâneo. No desenvolvimento de algumas atividades podem permanecer expostos a materiais tóxicos, ruído intenso, altas temperaturas, poeira e umidade.

Exigências do mercado de trabalho para a profissão

Atividades exercidas por um Forneiro (materiais de construção)

Um Forneiro (materiais de construção) deve acender queimadores a gás combustível e óleo, desligar queimadores, lacrar forno, abastecer fornos com combustível, demonstrar habilidade manual (coordenação motora), posicionar instrumentos para controle de temperatura, medir temperatura dos fornos, efetuar o resfriamento gradativo de fornos para descarga, instalar queimadores, inspecionar disposição das peças no forno, aplicar produtos para dar o vitrificado e brilho da peça, agir com responsabilidade, regular chamas dos queimadores, limpar forno, adaptar-se a circunstâncias e situações variadas (flexibilidade), evidenciar dinamismo, posicionar amostras no forno, examinar amostras, quanto a cor e brilho, relacionar-se com outras pessoas, adaptar-se a situações novas, tomar iniciativa, retirar rebarbas, demonstrar assiduidade, comunicar-se, pré-aquecer fornos, aumentando a temperatura gradativamente.

Aumento do piso salarial e reajuste 2024 da categoria

O reajuste salarial 2024 para Forneiro de Material de Construção (telhas e Tijolos) ficou em 5.80%, obedecendo os índices de inflação do INPC - Índice Nacional de Preços ao Consumidor no período de um ano, esse é o critério para estipular o piso salarial 2024 e o início das negociações salariais entre o sindicato dos trabalhadores no cargo de Forneiro de Material de Construção (telhas e Tijolos) e os sindicatos patronais.

Em algumas localidades houve aumento real do salário, ou seja, acima do índice de correção salarial e acima até mesmo do reajuste médio da categoria dos Operadores de instalações e equipamentos de fabricação de materiais de construção que ficou em 5.80% para 2024.

Uma observação importante é que nem sempre o aumento salarial do Forneiro de Material de Construção (telhas e Tijolos) em 2024 está atrelado a acordos e convenções coletivas, o salário base pode ser estipulado de acordo com o salário mínimo 2024 ou o piso salarial mínimo regional se houver.

Reajuste e valor do vale refeição 2024

O reajuste médio do vale refeição 2024 para Forneiro de Material de Construção (telhas e Tijolos) ficou em 7.70% de acordo com acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios registrados no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho do SRT - Subsecretaria de Relações do Trabalho.

Com isso o valor médio do vale refeição para 2024 observado em instrumentos coletivos de todo Brasil ficou em R$ 26,00 por dia efetivamente trabalhado.

Como é feito o cálculo dos reajustes e pisos salariais dos Operadores de instalações e equipamentos de fabricação de materiais de construção 2024

O salário de Forneiro de Material de Construção (telhas e Tijolos) mostrado aqui é resultado do levantamento de 3473 salários em admissões de empresas de todo o Brasil em 2024, além de dissídios, convenções e acordos coletivos da categoria em sindicatos nacionais ou regionais de Operadores de instalações e equipamentos de fabricação de materiais de construção que foram registrados no sistema Mediador da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, que registra os instrumentos coletivos.

Encontre o seu estado logo abaixo e saiba quanto ganha um Forneiro de Material de Construção (telhas e Tijolos) com salários atualizados em 2024. A ordem dos salários obedece a sigla dos estados em ordem alfabética. Confira:

Dissídio salarrial de Forneiro de Material de Construção (telhas e Tijolos) CBO 823315 salário

Valor do salário na CCT 2024 de Forneiro de Material de Construção (telhas e Tijolos) em todos os estados

Dados de dissídios coletivos para Forneiro de Material de Construção (telhas e Tijolos) por estado
UF Jornada Piso Média Teto Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo 44h 2.279,22 2.367,56 3.341,17 10,81 5.60%
Goiás 43h 1.557,06 1.617,41 2.282,54 7,46 6.40%
Minas Gerais 43h 1.704,79 1.770,86 2.499,09 8,21 5.40%
Pernambuco 41h 1.328,74 1.380,24 1.947,83 6,69 7.50%
Maranhão 43h 1.345,74 1.397,89 1.972,75 6,46 4.10%
Piauí 44h 1.421,18 1.476,26 2.083,34 6,72 4.70%
Pará 44h 1.531,73 1.591,10 2.245,41 7,31 8.20%
Paraná 41h 1.896,68 1.970,19 2.780,40 9,68 5.30%
Santa Catarina 42h 2.152,36 2.235,78 3.155,19 10,60 6.70%
Rio Grande do Norte 44h 1.641,08 1.704,68 2.405,70 7,76 6.40%
Sergipe 43h 1.344,87 1.396,99 1.971,47 6,56 6.90%
Ceará 44h 1.397,09 1.451,24 2.048,03 6,64 5.40%
Tocantins 43h 1.362,75 1.415,57 1.997,69 6,51 4.90%
Mato Grosso 43h 1.920,69 1.995,13 2.815,59 9,31 4.40%
Rondônia 42h 1.488,11 1.545,78 2.181,45 7,31 6.20%
Bahia 44h 1.451,81 1.508,07 2.128,24 6,91 5.20%
Rio de Janeiro 41h 1.837,44 1.908,65 2.693,55 9,38 6.30%
Espírito Santo 41h 1.408,77 1.463,37 2.065,14 7,18 6.10%
Rio Grande do Sul 41h 1.897,78 1.971,33 2.782,01 9,60 4.10%
Paraíba 44h 1.503,93 1.562,22 2.204,65 7,13 7.30%
Amapá 44h 1.364,98 1.417,88 2.000,96 6,44 6.20%
Distrito Federal 44h 1.484,95 1.542,50 2.176,82 7,09 8.30%
Acre 44h 1.346,21 1.398,38 1.973,44 6,36 6.10%
Roraima 42h 1.476,37 1.533,59 2.164,24 7,38 6.60%

Fonte: Dados CAGED, PNAD e instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego que mencionem a profissão de Forneiro de Material de Construção (telhas e Tijolos).

Dissídio de Forneiro de Material de Construção (telhas e Tijolos) por cidade

Quanto ganha um Forneiro de Material de Construção (telhas e Tijolos) nas principais cidades

Salários segundo dados do CAGED e instrumentos coletivos registrados que citem a profissão de Forneiro de Material de Construção (telhas e Tijolos) na localidade
Cidade Carga Horária Piso Salarial Média Salarial Maior Salário Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
Tatuí, SP 44 2.184,10 2.268,75 3.201,72 10,31 8.00%
Paudalho, PE 40 1.315,89 1.366,89 1.928,99 6,85 6.30%
Itu, SP 44 2.158,97 2.242,64 3.164,89 10,30 5.40%
Vargem Grande do Sul, SP 44 1.651,04 1.715,03 2.420,30 7,81 4.10%
Nazaria, PI 44 1.450,46 1.506,68 2.126,27 6,86 5.70%
Conchas, SP 44 2.031,68 2.110,43 2.978,30 9,60 7.50%
Colombo, PR 38 1.759,77 1.827,97 2.579,69 9,63 8.30%
Laranjal Paulista, SP 44 2.101,55 2.183,00 3.080,72 9,92 5.10%
Salinas, MG 43 1.681,54 1.746,71 2.465,02 8,07 7.30%
Vianópolis, GO 43 1.464,28 1.521,03 2.146,53 7,13 4.90%
São Miguel do Guamá, PA 43 1.505,39 1.563,74 2.206,79 7,20 5.30%
Itabaiana, SE 43 1.338,14 1.390,00 1.961,61 6,40 5.80%
Cesário Lange, SP 44 1.909,84 1.983,86 2.799,68 9,02 6.10%
Teresina, PI 44 1.457,12 1.513,59 2.136,03 6,88 6.80%
Carnaúba dos Dantas, RN 44 1.671,67 1.736,46 2.450,54 7,89 6.70%
Araguari, MG 44 1.861,72 1.933,88 2.729,14 8,84 5.70%
Itapecuru Mirim, MA 43 1.309,35 1.360,10 1.919,42 6,26 4.50%
Imperatriz, MA 42 1.464,90 1.521,68 2.147,44 7,30 5.90%
Icara, SC 44 2.197,05 2.282,20 3.220,71 10,37 6.20%
Estrela do Norte, GO 44 1.532,83 1.592,24 2.247,01 7,24 8.20%
Rosário, MA 44 1.311,88 1.362,73 1.923,12 6,21 6.50%
Sangao, SC 44 2.216,10 2.301,99 3.248,63 10,53 5.40%
Panorama, SP 44 1.873,63 1.946,24 2.746,60 8,85 7.90%
Igaratinga, MG 44 1.760,82 1.829,07 2.581,24 8,31 7.40%
Criciúma, SC 37 2.350,44 2.441,54 3.445,57 13,06 4.40%
Campo Limpo de Goiás, GO 43 1.674,55 1.739,46 2.454,77 8,06 6.90%
Nova Ipixuna, PA 44 1.725,47 1.792,34 2.529,41 8,15 7.40%
Campos dos Goytacazes, RJ 41 1.842,58 1.913,99 2.701,08 9,40 4.70%
Cordeirópolis, SP 44 4.452,77 4.625,35 6.527,43 21,02 5.90%
Uberaba, MG 44 1.636,24 1.699,65 2.398,60 7,73 4.80%

Os valores de piso salarial e porcentagem de dissídio referem-se a média observada em instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego com abrangência na cidade ou na região e que citem a profissão de Forneiro de Material de Construção (telhas e Tijolos). Instrumentos coletivos: Acordos, convenções ou dissídios coletivos.

Empresas que mais contratam Forneiro de Material de Construção (telhas e Tijolos) no Brasil

Pisos salariais por setores das empresas
Segmento Piso Média Teto Dissídio 2024 (%)
Fabricação de artefatos de cerâmica e barro cozido para uso na construção, exceto azulejos e pisos 1.672,87 1.737,71 2.452,31 6.00%
Fabricação de produtos cerâmicos refratários 1.708,18 1.774,38 2.504,06 6.20%
Fabricação de azulejos e pisos 3.658,05 3.799,82 5.362,42 4.20%
Fabricação de cal e gesso 1.773,22 1.841,94 2.599,41 4.90%
Fabricação de produtos cerâmicos não-refratários 1.532,59 1.591,99 2.246,67 5.40%
Fabricação de artefatos de cimento para uso na construção 1.454,32 1.510,69 2.131,93 7.70%
Outras atividades de serviços prestados principalmente às empresas não especificadas anteriormente 1.589,76 1.651,38 2.330,47 6.10%
Transporte rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudanças, intermunicipal, interestadual e internacional 1.550,90 1.611,01 2.273,51 6.70%
Extração de argila e beneficiamento associado 1.817,71 1.888,16 2.664,63 6.90%
Tratamento e disposição de resíduos perigosos 1.636,24 1.699,65 2.398,60 7.30%
Comércio varejista de materiais de construção em geral 1.507,00 1.565,41 2.209,16 8.20%
Fabricação de outros produtos de minerais não-metálicos 2.560,09 2.659,31 3.752,89 5.60%
Serviços combinados de escritório e apoio administrativo 1.496,31 1.554,30 2.193,48 4.70%
Fabricação de material sanitário de cerâmica 2.969,88 3.084,98 4.353,62 5.80%
Preparação de massa de concreto e argamassa para construção 1.420,13 1.475,17 2.081,80 4.50%
Atividades de limpeza não especificadas anteriormente 1.900,06 1.973,70 2.785,34 7.50%
Comércio varejista de plantas e flores naturais 1.451,43 1.507,68 2.127,69 4.80%
Comércio varejista de cal, areia, pedra britada, tijolos e telhas 1.948,39 2.023,90 2.856,19 4.10%
Fabricação de produtos de padaria e confeitaria com predominância de produção própria 1.453,69 1.510,04 2.131,01 4.20%
Fabricação de outros artefatos e produtos de concreto, cimento, fibrocimento, gesso e materiais semelhantes 1.786,48 1.855,71 2.618,84 7.30%
Fonte: Contratações formais indicadas pelas empresas ao sistema Novo CAGED e convenções coletivas patronais.