O dissídio de Engenheiro Pesquisador (materiais) 2024 já saiu. Veja aqui o salário mínimo, piso salarial e salário médio em todos os estados, capitais e principais cidades brasileiras de acordo com a convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados em carteira com o CBO 203225 no cargo de Engenheiro Pesquisador (materiais).

Estado com maior salário médio

Rio de Janeiro

R$ 19.102,50

(últimos 12 meses)

Estado que mais contrata

Minas Gerais

181 admissões

(últimos 12 meses)

Cidade com maior salário médio

São Paulo - SP

R$ 10.028,60

Cidade que mais contrata

Betim - MG

167 admissões

Descrição sumária do cargo

O colaborador no cargo de Pesquisador de engenharia metalúrgica, de minas e de materiais planeja e executa projetos de pesquisa de engenharia metalúrgica, de minas e de materiais, fazendo prospecção e observação de tendências tecnológicas, aplicando conhecimentos avançados - de matemática, física, química, pesquisa mineral, lavra, tratamento de minérios, instalações e equipamentos metalúrgicos, metalurgia física, extrativa e de transformação, materiais não metálicos, dentre outros -, analisando resultados e emitindo relatórios Administra recursos e supervisiona equipe.

Desenvolve materiais, produtos, processos e métodos Participa de atividades de qualificação, certificação e homologação, tais como de laboratórios e produtos Presta consultoria técnica.

Dissemina conhecimentos técnicos e científicos Gerencia informações de ciência e tecnologia Cumpre legislação, normas técnicas e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho e de preservação ambiental.

O que faz um Engenheiro Pesquisador (materiais)

O Pesquisador de engenharia metalúrgica, de minas e de materiais identifica oportunidades de pesquisa de engenharia metalúrgica, de minas e de materiais, realizando prospecção tecnológica, reconhecendo tendências e avanços em técnicas, metodologias e tecnologias no mercado e participando da formulação de políticas e diretrizes de pesquisa Identifica necessidades de novos produtos, processos e métodos ou seu aprimoramento.

Identifica interfaces entre tecnologias de mineração, geologia e metalurgia extrativa, bem como sua interação com o meio ambiente, com foco na sustentabilidade das operações.

Planeja projetos de pesquisa de engenharia metalúrgica, de minas e de materiais, definindo objetivos, escopo e metodologia Administra recursos, identificando e definindo equipe de trabalho, usos e fontes de recursos físicos e financeiros.

Elabora cronograma físico-orçamentário, analisa custo-benefício e capta recursos financeiros para a pesquisa Supervisiona equipe, avalia seu desempenho e faz sua capacitação.

Executa projetos de pesquisa de engenharia metalúrgica, de minas e de materiais, projetando experimentos, especificando insumos e realizando experimentos.

Gerencia projetos de pesquisa Participa da análise de viabilidade econômica de produto e analisa impacto ambiental da pesquisa e do produto.

Analisa resultados de pesquisa e emite relatórios.

Elabora pedidos de patente Desenvolve materiais, produtos, processos e métodos de engenharia metalúrgica, de minas e de materiais, especificando equipamentos, protótipos, materiais, processos e métodos, projetando e participando da construção de equipamentos e protótipos Realiza testes de equipamentos, protótipos, materiais, processos e métodos e analisa seus resultados.

Faz especificação, projeta, supervisiona instalação e testa parâmetros de operação de plantas-piloto Utiliza ferramentas computacionais e de modelagem física e matemática, além de técnicas de inteligência artificial Desenvolve métodos de teste para avaliar efeitos de variadas condições em materiais específicos ou novos materiais.

Desenvolve materiais – metálicos, cerâmicos, poliméricos e compósitos – com propriedades novas ou específicas, incluindo matérias-primas para processos de manufatura aditiva Desenvolve materiais inovadores, conforme demanda.

Desenvolve novos produtos, incluindo os de alta tecnologia, fazendo uso de avanços de pesquisas com estruturas e propriedades de materiais e de aperfeiçoamento de métodos de processamento, formação e queima de materiais Participa de atividades de qualificação, certificação e homologação – de laboratórios, produtos, métodos, processos, dentre outros – na área de engenharia metalúrgica, de minas e de materiais, calibrando equipamentos e elaborando manuais de qualidade, procedimentos, normas e especificações técnicas Avalia, certifica e homologa produtos, métodos e processos.

Certifica qualificação de pessoas (reconhecimento formal da capacidade para exercício de determinada atividade) Presta consultoria técnica de engenharia metalúrgica, de minas e de materiais, fazendo auditorias, emitindo laudos e pareceres, e avaliando tecnologias Presta assessoria a gestores de programas institucionais e governamentais.

Avalia projetos de pesquisa e participa de bancas examinadoras de teses, dissertações e concursos Fornece informações de ciência e tecnologia Participa de comitês técnicos.

Gerencia informações de ciência e tecnologia Elabora revisão bibliográfica Seleciona, analisa e armazena informações Dissemina conhecimentos da área de engenharia metalúrgica, de minas e de materiais, apresentando trabalhos em congressos, seminários, simpósios e outros eventos científicos, publicando artigos, ensaios, dissertações, teses, livros, entre outras produções científicas, coordenando seminários, congressos, cursos e outras atividades, e ministrando palestras, cursos e outras ações de formação Orienta trabalhos de pesquisa.

Participa de ações de transferência de tecnologia Participa de programas de cooperação técnica e científica.

Funções do Pesquisador de engenharia metalúrgica, de minas e de materiais

O profissional Engenheiro Pesquisador (materiais) deve gerenciar informações de ciência e tecnologia (c & t), desenvolver materiais, produtos, processos e métodos, planejar projetos de pesquisa, disseminar conhecimentos, executar projeto de pesquisa, prestar consultoria técnica, comunicar-se, participar de atividades de qualificação, certificação e homologação (laboratórios, produtos etc), identificar oportunidade de pesquisa, demonstrar competências pessoais.

Condições de trabalho da profissão

Pesquisadores de engenharia e tecnologia os profissionais atuam, principalmente, em universidades públicas ou em centros de pesquisas vinculados a grandes empresas públicas, em diversas áreas como, por exemplo, em pesquisa e desenvolvimento, ensino, administração pública, defesa e seguridade social, siderurgia, extração de petróleo, mineração. Costumam trabalhar em equipes interdisciplinares compostas, muitas vezes, por pesquisadores de várias instituições ou empresas, com supervisão ocasional. Os pesquisadores em engenharia química e tecnologia, em particular, podem estar expostos a altas temperaturas e a materiais tóxicos. Seu vínculo de trabalho predominante é como empregado registrado.

Exigências do mercado de trabalho para a profissão

Atividades exercidas por um Pesquisador de engenharia metalúrgica, de minas e de materiais

Um Pesquisador de engenharia metalúrgica, de minas e de materiais deve identificar necessidades de novos produtos, processos e métodos, desenvolver senso crítico, gerenciar projetos de pesquisa, desenvolver programas de computador (softwares) específicos, analisar custo-benefício da pesquisa, definir recursos humanos, físicos e financeiros, elaborar normas e especificações técnicas, participar de comitês técnicos, especificar insumos, participar de transferência de tecnologia, analisar resultados de testes, evidenciar credibilidade, avaliar tecnologias, identificar necessidades de aprimoramento de produtos, processos e métodos, projetar plantas-piloto, definir objetivos, escopo e metodologia da pesquisa, desenvolver trabalho em equipe, identificar fontes de recursos humanos, físicos e financeiros, desenvolver persistência, elaborar manuais de qualidade, analisar impacto ambiental da pesquisa e do produto, participar da formulação de políticas e diretrizes de pesquisa, capacitar equipe de trabalho, participar de bancas examinadoras (teses, dissertações, concursos), avaliar produtos e métodos, testar equipamentos, protótipos, materiais, processos e métodos, supervisionar instalação de plantas-piloto, certificar recursos humanos, desenvolver expressão oral, selecionar informações, assessorar programas institucionais e governamentais, desenvolver flexibilidade, desenvolver liderança, coordenar seminários, congressos, cursos etc, elaborar revisão bibliográfica, orientar trabalhos de pesquisa, projetar experimentos, participar da implantação de tecnologias, participar da construção de protótipos e equipamentos, desenvolver expressão escrita, projetar equipamentos e protótipos, ministrar cursos, palestras etc., realizar auditorias técnicas, certificar produtos e métodos, realizar prospecção tecnológica, realizar experimentos, cultivar raciocínio indutivo, captar recursos financeiros, apontar tendências de tecnologias no mercado, avaliar projetos de pesquisa, participar da análise de viabilidade econômica do produto, apresentar trabalhos em congressos, seminários etc., demonstrar iniciativa, analisar resultados de pesquisa, armazenar informações de ciência e tecnologia, demonstrar curiosidade, analisar informações, testar parâmetros de operação de plantas-piloto, especificar plantas-piloto, especificar equipamentos, protótipos, materiais, processos e métodos, elaborar pedidos de patente, fornecer informações de ciência e tecnologia, elaborar procedimentos, emitir laudos e pareceres técnicos, elaborar cronograma físico-orçamentário, emitir relatórios, homologar produtos, processos e métodos, evidenciar criatividade, publicar teses, artigos e dissertações, livros etc, calibrar equipamentos, participar de programas de cooperação técnica e científica, desenvolver raciocínio dedutivo.

Aumento do piso salarial e reajuste 2024 da categoria

O reajuste salarial 2024 para Engenheiro Pesquisador (materiais) ficou em 5.30%, obedecendo os índices de inflação do INPC - Índice Nacional de Preços ao Consumidor no período de um ano, esse é o critério para estipular o piso salarial 2024 e o início das negociações salariais entre o sindicato dos trabalhadores no cargo de Engenheiro Pesquisador (materiais) e os sindicatos patronais.

Em algumas localidades houve aumento real do salário, ou seja, acima do índice de correção salarial e acima até mesmo do reajuste médio da categoria dos Pesquisadores de engenharia e tecnologia que ficou em 5.30% para 2024.

Uma observação importante é que nem sempre o aumento salarial do Engenheiro Pesquisador (materiais) em 2024 está atrelado a acordos e convenções coletivas, o salário base pode ser estipulado de acordo com o salário mínimo 2024 ou o piso salarial mínimo regional se houver.

Reajuste e valor do vale refeição 2024

O reajuste médio do vale refeição 2024 para Engenheiro Pesquisador (materiais) ficou em 6.40% de acordo com acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios registrados no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho do SRT - Subsecretaria de Relações do Trabalho.

Com isso o valor médio do vale refeição para 2024 observado em instrumentos coletivos de todo Brasil ficou em R$ 36,00 por dia efetivamente trabalhado.

Como é feito o cálculo dos reajustes e pisos salariais dos Pesquisadores de engenharia e tecnologia 2024

O salário de Engenheiro Pesquisador (materiais) mostrado aqui é resultado do levantamento de 330 salários em admissões de empresas de todo o Brasil em 2024, além de dissídios, convenções e acordos coletivos da categoria em sindicatos nacionais ou regionais de Pesquisadores de engenharia e tecnologia que foram registrados no sistema Mediador da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, que registra os instrumentos coletivos.

Encontre o seu estado logo abaixo e saiba quanto ganha um Engenheiro Pesquisador (materiais) com salários atualizados em 2024. A ordem dos salários obedece a sigla dos estados em ordem alfabética. Confira:

Dissídio salarrial de Engenheiro Pesquisador (materiais) CBO 203225 salário

Valor do salário na CCT 2024 de Engenheiro Pesquisador (materiais) em todos os estados

Dados de dissídios coletivos para Engenheiro Pesquisador (materiais) por estado
UF Jornada Piso Média Teto Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
Minas Gerais 44h 8.995,19 9.343,82 13.186,28 42,69 7.80%
São Paulo 44h 9.534,51 9.904,04 13.976,88 45,47 4.40%
Rio Grande do Norte 44h 4.813,45 5.000,00 7.056,15 22,73 7.10%
Pernambuco 44h 5.505,67 5.719,05 8.070,90 26,27 5.60%
Rio Grande do Sul 44h 5.700,13 5.921,05 8.355,97 26,91 5.60%

Fonte: Dados CAGED, PNAD e instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego que mencionem a profissão de Engenheiro Pesquisador (materiais).

Dissídio de Engenheiro Pesquisador (materiais) por cidade

Quanto ganha um Engenheiro Pesquisador (materiais) nas principais cidades

Salários segundo dados do CAGED e instrumentos coletivos registrados que citem a profissão de Engenheiro Pesquisador (materiais) na localidade
Cidade Carga Horária Piso Salarial Média Salarial Maior Salário Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
Betim, MG 44 8.723,84 9.061,95 12.788,50 41,24 6.70%
São Paulo, SP 43 9.654,42 10.028,60 14.152,65 46,18 5.90%
Mossoró, RN 44 4.813,45 5.000,00 7.056,15 22,73 4.90%

Os valores de piso salarial e porcentagem de dissídio referem-se a média observada em instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego com abrangência na cidade ou na região e que citem a profissão de Engenheiro Pesquisador (materiais). Instrumentos coletivos: Acordos, convenções ou dissídios coletivos.

Empresas que mais contratam Engenheiro Pesquisador (materiais) no Brasil

Pisos salariais por setores das empresas
Segmento Piso Média Teto Dissídio 2024 (%)
Fabricação de automóveis, camionetas e utilitários 8.654,65 8.990,08 12.687,07 6.90%
Comércio por atacado de automóveis, camionetas e utilitários novos e usados 9.064,38 9.415,68 13.287,70 6.50%
Extração de petróleo e gás natural 7.001,88 7.273,25 10.264,23 6.50%
Atividades de organizações associativas patronais e empresariais 14.255,38 14.807,88 20.897,32 7.30%
Fabricação de caldeiras geradoras de vapor, exceto para aquecimento central e para veículos 20.747,87 21.552,00 30.414,83 7.50%
Fabricação de compressores para uso não-industrial, peças e acessórios 8.025,17 8.336,20 11.764,30 7.70%
Produção de laminados planos de aços especiais 12.200,74 12.673,60 17.885,36 8.00%
Fabricação de outras peças e acessórios para veículos automotores não especificadas anteriormente 5.768,82 5.992,40 8.456,65 5.80%
Testes e análises técnicas 4.663,27 4.844,00 6.836,00 8.30%
Fabricação de produtos de padaria e confeitaria com predominância de produção própria 1.309,26 1.360,00 1.919,27 7.40%
Produção de laminados longos de aço, exceto tubos 14.028,95 14.572,67 20.565,38 6.20%
Locação de mão-de-obra temporária 35.031,61 36.389,33 51.353,72 5.90%
Metalurgia do cobre 4.718,14 4.901,00 6.916,44 8.10%
Produção de laminados de alumínio 5.280,99 5.485,67 7.741,54 6.60%
Fabricação de máquinas e equipamentos para a agricultura e pecuária, peças e acessórios, exceto para irrigação 6.424,51 6.673,50 9.417,84 4.70%
Comércio atacadista especializado de materiais de construção 8.326,27 8.648,97 12.205,69 7.20%
Fundição de ferro e aço 12.250,22 12.725,00 17.957,90 6.40%
Fabricação de máquinas e equipamentos para a prospecção e extração de petróleo, peças e acessórios 3.481,08 3.616,00 5.103,01 7.80%
Serviços de engenharia 11.415,57 11.858,00 16.734,37 7.50%
Fabricação de cabines, carrocerias e reboques para caminhões 4.832,70 5.020,00 7.084,37 7.70%
Fonte: Contratações formais indicadas pelas empresas ao sistema Novo CAGED e convenções coletivas patronais.