O dissídio de Aplicador de Inseticida 2024 já saiu. Veja aqui o salário mínimo, piso salarial e salário médio em todos os estados, capitais e principais cidades brasileiras de acordo com a convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados em carteira com o CBO 519910 no cargo de Aplicador de Inseticida.

Estado com maior salário médio

Mato Grosso

R$ 2.233,85

(últimos 12 meses)

Estado que mais contrata

São Paulo

4.392 admissões

(últimos 12 meses)

Cidade com maior salário médio

Avaré - SP

R$ 4.112,25

Cidade que mais contrata

São Paulo - SP

762 admissões

Descrição sumária do cargo

O colaborador no cargo de Controlador de pragas inspeciona o local, avalia a propagação e utiliza produtos, equipamentos e técnicas no combate e no controle de pragas urbanas Repara os danos causados às instalações durante o processo de combate à praga.

Orienta os clientes para impedir que a praga novamente se instale ou se reproduza no ambiente Cumpre legislação, procedimento operacional padronizado da empresa e normas regulamentadoras de biossegurança, de saúde e segurança no trabalho e de preservação ambiental

O que faz um Aplicador de Inseticida

O Controlador de pragas inspeciona o local para identificar os focos de infestação de baratas, cupins, formigas, traças, pulgas, percevejos, roedores, escorpiões, aranhas, moscas, mosquitos ou outra praga Avalia a propagação da praga, verificando instalações hidráulicas e elétricas e demais pontos possíveis de manifestação da praga.

Isola a área afetada pela praga e verifica a técnica indicada para combatê-la, selecionando qual - polvilhamento de conduítes, aplicação de massa ou gel, distribuição de iscas, imersão de inseticidas, pulverização de superfícies ou uma outra – é a mais adequada.

Prepara os produtos a serem aplicados, seguindo protocolos de biossegurança Aplica os produtos de combate às pragas, seguindo o procedimento operacional padronizado (POP) da empresa e as normas para minimizar o impacto ao meio ambiente, à sua saúde e a do cliente.

Repara os danos causados às instalações durante o processo de combate à praga, tapando furos, reparando instalações hidráulicas e elétricas ou realizando outro tipo de conserto Recolhe as embalagens vazias para levar à empresa onde trabalha, para inutilização e descarte conforme previsto em legislação.

Orienta o cliente para a prevenção e a manutenção de espaços livres de pragas.

Alerta o cliente sobre irregularidades que ocasionam infestação Fornece ao cliente o comprovante de execução do serviço e preenche os formulários de controle.

.

Funções do Controlador de pragas

O profissional Aplicador de Inseticida deve executar atividades administrativas, atender cliente, combater pragas urbanas, demonstrar competências pessoais.

Condições de trabalho da profissão

Outros trabalhadores dos serviços atuam em empresas de eletricidade, gás e água, prestadoras de serviços de limpeza, serviços gerais e de segurança, empresas de conservação ambiental, de controle de pragas, de atividades recreativas, culturais e desportivas, serviços pessoais, agências de publicidade, dentre outras. Trabalham individualmente ou em equipe e, ocasionalmente, são supervisionados. Estes profissionais trabalham com ou como autônomos. Atuam em horários irregulares e fazem rodízio de turnos. O ambiente de trabalho pode ser fechado ou aberto. Eventualmente, são expostos a material tóxico, radiação, altas temperaturas e ruídos.

Exigências do mercado de trabalho para a profissão

Atividades exercidas por um Controlador de pragas

Um Controlador de pragas deve demonstrar autocontrole, entregar panfletos informativos das empresas, demonstrar dinamismo, avisar sobre irregularidades, isolar área, preparar massa para tampar furos, comunicar irregularidades à empresa, demonstrar atenção a detalhes, localizar o foco da infestação, verificar localização das instalações hidráulicas e elétricas, demonstrar conhecimento técnico, preencher ordem de serviço, preencher formulários, distribuir iscas, selecionar produtos a serem aplicados, retirar pó das superfícies de desinfestação, orientar sobre utilização de produtos e serviços, encaminhar documentos e registros, identificar praga e insetos para eliminação, tampar furos, polvilhar conduítes com veneno, reparar danos às instalações hidráulicas e elétricas, imergir objetos em inseticidas, preparar veneno, tratar cliente com cordialidade, requisitar material, equipamentos e utensílios, dar provas de preparo físico, aplicar gel (contra baratas e formigas), apresentar-se profissionalmente (asseio, uniforme e identificação), orientar sobre o tratamento das pragas, perfurar local para descupinização, demonstrar capacidade de trabalhar em equipe, pincelar objetos com veneno, acompanhar efeitos do tratamento, analisar objetos para tratamento, manter-se atualizado, demonstrar flexibilidade, aplicar produtos para combate das pragas, expurgar móveis e objetos de arte (câmara de gás), administrar conflitos, orientar sobre normas e regras da empresa, pulverizar superfícies com veneno.

Aumento do piso salarial e reajuste 2024 da categoria

O reajuste salarial 2024 para Aplicador de Inseticida ficou em 7.10%, obedecendo os índices de inflação do INPC - Índice Nacional de Preços ao Consumidor no período de um ano, esse é o critério para estipular o piso salarial 2024 e o início das negociações salariais entre o sindicato dos trabalhadores no cargo de Aplicador de Inseticida e os sindicatos patronais.

Em algumas localidades houve aumento real do salário, ou seja, acima do índice de correção salarial e acima até mesmo do reajuste médio da categoria dos Outros trabalhadores dos serviços que ficou em 7.10% para 2024.

Uma observação importante é que nem sempre o aumento salarial do Aplicador de Inseticida em 2024 está atrelado a acordos e convenções coletivas, o salário base pode ser estipulado de acordo com o salário mínimo 2024 ou o piso salarial mínimo regional se houver.

Reajuste e valor do vale refeição 2024

O reajuste médio do vale refeição 2024 para Aplicador de Inseticida ficou em 3.10% de acordo com acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios registrados no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho do SRT - Subsecretaria de Relações do Trabalho.

Com isso o valor médio do vale refeição para 2024 observado em instrumentos coletivos de todo Brasil ficou em R$ 21,00 por dia efetivamente trabalhado.

Como é feito o cálculo dos reajustes e pisos salariais dos Outros trabalhadores dos serviços 2024

O salário de Aplicador de Inseticida mostrado aqui é resultado do levantamento de 14283 salários em admissões de empresas de todo o Brasil em 2024, além de dissídios, convenções e acordos coletivos da categoria em sindicatos nacionais ou regionais de Outros trabalhadores dos serviços que foram registrados no sistema Mediador da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, que registra os instrumentos coletivos.

Encontre o seu estado logo abaixo e saiba quanto ganha um Aplicador de Inseticida com salários atualizados em 2024. A ordem dos salários obedece a sigla dos estados em ordem alfabética. Confira:

Dissídio salarrial de Aplicador de Inseticida CBO 519910 salário

Valor do salário na CCT 2024 de Aplicador de Inseticida em todos os estados

Dados de dissídios coletivos para Aplicador de Inseticida por estado
UF Jornada Piso Média Teto Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo 44h 1.797,68 1.867,35 2.635,26 8,55 4.60%
Minas Gerais 44h 1.671,74 1.736,54 2.450,65 7,98 8.20%
Rio de Janeiro 43h 1.606,51 1.668,77 2.355,02 7,82 7.10%
Mato Grosso 44h 2.150,50 2.233,85 3.152,48 10,19 7.80%
Paraná 44h 1.847,05 1.918,63 2.707,63 8,76 4.50%
Rio Grande do Sul 44h 1.657,04 1.721,26 2.429,09 7,84 7.50%
Goiás 43h 1.745,46 1.813,11 2.558,71 8,37 4.10%
Santa Catarina 44h 1.624,83 1.687,80 2.381,88 7,69 5.70%
Bahia 44h 1.668,60 1.733,27 2.446,05 7,93 5.20%
Espírito Santo 43h 1.498,36 1.556,43 2.196,49 7,16 7.70%
Pernambuco 44h 1.379,86 1.433,34 2.022,78 6,59 5.80%
Ceará 44h 1.355,09 1.407,61 1.986,46 6,41 5.20%
Pará 44h 1.652,97 1.717,04 2.423,13 7,85 5.50%
Mato Grosso do Sul 44h 1.836,91 1.908,10 2.692,77 8,75 7.30%
Rio Grande do Norte 44h 1.362,54 1.415,35 1.997,38 6,46 6.30%
Maranhão 44h 1.632,93 1.696,21 2.393,75 7,74 5.10%
Amazonas 43h 1.544,49 1.604,35 2.264,11 7,42 5.40%
Rondônia 44h 1.644,00 1.707,71 2.409,97 7,79 8.30%
Sergipe 44h 1.309,01 1.359,74 1.918,91 6,20 4.30%
Piauí 44h 1.516,72 1.575,50 2.223,40 7,17 6.50%
Tocantins 44h 1.957,37 2.033,24 2.869,36 9,26 5.70%
Alagoas 44h 1.333,39 1.385,06 1.954,64 6,31 5.70%
Distrito Federal 43h 1.496,02 1.554,00 2.193,06 7,18 7.80%
Paraíba 44h 1.320,61 1.371,79 1.935,91 6,24 5.30%
Amapá 44h 1.320,93 1.372,12 1.936,38 6,24 5.00%
Roraima 44h 1.387,88 1.441,67 2.034,53 6,55 5.20%
Acre 44h 1.356,26 1.408,82 1.988,17 6,40 5.80%

Fonte: Dados CAGED, PNAD e instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego que mencionem a profissão de Aplicador de Inseticida.

Dissídio de Aplicador de Inseticida por cidade

Quanto ganha um Aplicador de Inseticida nas principais cidades

Salários segundo dados do CAGED e instrumentos coletivos registrados que citem a profissão de Aplicador de Inseticida na localidade
Cidade Carga Horária Piso Salarial Média Salarial Maior Salário Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo, SP 44 1.802,18 1.872,03 2.641,86 8,54 6.50%
Rio de Janeiro, RJ 43 1.680,44 1.745,57 2.463,39 8,17 5.10%
Campinas, SP 44 1.857,19 1.929,17 2.722,50 8,83 7.80%
Goiânia, GO 43 1.580,40 1.641,65 2.316,75 7,57 4.10%
Recife, PE 43 1.344,39 1.396,50 1.970,78 6,47 5.20%
Ribeirão Preto, SP 44 1.704,62 1.770,69 2.498,85 8,08 8.30%
Curitiba, PR 44 1.870,87 1.943,38 2.742,55 8,87 7.00%
Fortaleza, CE 44 1.357,82 1.410,44 1.990,46 6,41 7.00%
Belo Horizonte, MG 43 1.749,43 1.817,23 2.564,53 8,39 7.60%
Barueri, SP 42 1.981,20 2.057,98 2.904,29 9,72 5.40%
Manaus, AM 43 1.400,31 1.454,58 2.052,75 6,74 8.00%
São José dos Campos, SP 44 1.631,69 1.694,93 2.391,93 7,74 4.20%
Santos, SP 44 1.743,60 1.811,17 2.555,98 8,24 6.50%
Serra, ES 44 1.425,40 1.480,64 2.089,53 6,79 5.80%
Natal, RN 44 1.381,90 1.435,46 2.025,76 6,53 5.60%
Cuiabá, MT 44 1.602,61 1.664,72 2.349,30 7,59 8.30%
Maceió, AL 44 1.331,79 1.383,41 1.952,30 6,30 6.20%
Piracicaba, SP 44 1.973,07 2.049,54 2.892,38 9,33 7.50%
Brasília, DF 43 1.496,02 1.554,00 2.193,06 7,18 4.80%
Palmas, TO 44 2.026,04 2.104,56 2.970,02 9,57 5.10%
Uberlândia, MG 44 1.974,64 2.051,17 2.894,67 9,34 7.50%
Vitoria, ES 44 1.409,88 1.464,53 2.066,78 6,66 5.80%
Sorocaba, SP 44 1.680,00 1.745,11 2.462,75 7,94 5.20%
Macaé, RJ 43 1.507,91 1.566,35 2.210,48 7,25 5.80%
Eusébio, CE 44 1.376,46 1.429,80 2.017,78 6,50 5.00%
Londrina, PR 44 1.847,95 1.919,57 2.708,96 8,73 7.40%
Sinop, MT 44 2.078,56 2.159,12 3.047,01 9,84 4.50%
Itajaí, SC 44 1.496,41 1.554,41 2.193,62 7,08 5.10%
Cascavel, PR 44 1.844,10 1.915,57 2.703,31 8,71 6.70%
Rio Verde, GO 43 1.806,58 1.876,60 2.648,32 8,78 4.30%

Os valores de piso salarial e porcentagem de dissídio referem-se a média observada em instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego com abrangência na cidade ou na região e que citem a profissão de Aplicador de Inseticida. Instrumentos coletivos: Acordos, convenções ou dissídios coletivos.

Empresas que mais contratam Aplicador de Inseticida no Brasil

Pisos salariais por setores das empresas
Segmento Piso Média Teto Dissídio 2024 (%)
Imunização e controle de pragas urbanas 1.638,60 1.702,11 2.402,06 5.00%
Cultivo de soja 2.398,71 2.491,68 3.516,33 5.40%
Atividades de limpeza não especificadas anteriormente 1.667,79 1.732,43 2.444,85 4.50%
Serviço de pulverização e controle de pragas agrícolas 1.799,01 1.868,74 2.637,22 8.30%
Comércio varejista de produtos saneantes domissanitários 1.665,29 1.729,84 2.441,20 5.50%
Cultivo de laranja 1.865,54 1.937,84 2.734,74 6.20%
Limpeza em prédios e em domicílios 1.562,47 1.623,03 2.290,47 6.70%
Criação de bovinos para corte 2.188,44 2.273,25 3.208,08 5.70%
Serviços de agronomia e de consultoria às atividades agrícolas e pecuárias 2.267,24 2.355,11 3.323,61 7.70%
Cultivo de café 1.620,40 1.683,20 2.375,38 8.10%
Cultivo de cana-de-açúcar 1.453,25 1.509,58 2.130,36 6.90%
Fabricação de álcool 1.745,74 1.813,40 2.559,13 7.50%
Serviço de preparação de terreno, cultivo e colheita 1.444,66 1.500,65 2.117,76 8.10%
Cultivo de milho 2.250,60 2.337,83 3.299,22 6.00%
Fabricação de açúcar em bruto 1.591,01 1.652,67 2.332,30 7.70%
Criação de outros animais 1.486,02 1.543,61 2.178,39 7.30%
Treinamento em desenvolvimento profissional e gerencial 1.958,58 2.034,49 2.871,13 5.50%
Atividades relacionadas a esgoto, exceto a gestão de redes 1.588,92 1.650,51 2.329,24 6.90%
Cultivo de mamão 1.640,07 1.703,63 2.404,22 4.20%
Outras atividades de serviços prestados principalmente às empresas não especificadas anteriormente 1.593,88 1.655,65 2.336,51 5.70%
Fonte: Contratações formais indicadas pelas empresas ao sistema Novo CAGED e convenções coletivas patronais.