O dissídio de Administrador de Materiais 2024 já saiu. Veja aqui o salário mínimo, piso salarial e salário médio em todos os estados, capitais e principais cidades brasileiras de acordo com a convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados em carteira com o CBO 142415 no cargo de Administrador de Materiais.

Estado com maior salário médio

Amazonas

R$ 6.745,45

(últimos 12 meses)

Estado que mais contrata

São Paulo

407 admissões

(últimos 12 meses)

Cidade com maior salário médio

Rio de Janeiro - RJ

R$ 6.826,04

Cidade que mais contrata

São Paulo - SP

119 admissões

Descrição sumária do cargo

O colaborador no cargo de Gerente de almoxarifado Planeja, organiza, dirige, coordena, controla e avalia as atividades operacionais da gestão do almoxarifado de uma empresa, sob a direção de um diretor ou gerente geral Desenvolve procedimentos operacionais para recebimento, classificação, movimentação, armazenagem e distribuição de material do almoxarifado.

Administra e planeja estoque Supervisiona e regulariza o recebimento dos materiais Estabelece procedimentos para classificação e armazenamento, otimizando o uso do espaço e a organização dos materiais, entre outros procedimentos, a fim de facilitar a gestão do estoque.

Monitora o estoque e a distribuição interna, estabelecendo procedimentos Administra, no setor de almoxarifado, pessoas, finanças, suprimentos, operações de produção Atua conforme normas técnicas e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho, de qualidade e de preservação ambiental.

O que faz um Administrador de Materiais

O Gerente de almoxarifado planeja, organiza, dirige, coordena, controla e avalia atividades das equipes do almoxarifado de uma empresa, garantindo que todas as tarefas, operações e processos sigam os procedimentos estabelecidos pelo setor de almoxarifado e os padrões da empresa, com o objetivo de maximizar resultados estabelecidos em metas Desenvolve procedimentos operacionais para recebimento, classificação, movimentação, armazenagem e distribuição de material do almoxarifado.

Administra e planeja estoque, monitorando a quantidade de material, orientando formas de estocagem, otimizando o espaço e inspecionando as condições de estoque.

Supervisiona o recebimento dos materiais adquiridos, monitorando a documentação, a quantidade e as especificações, para garantir que os materiais estejam de acordo com os parâmetros técnicos estabelecidos pelo departamento de compras Regulariza o recebimento, liberando o pagamento aos fornecedores e enviando a mercadoria para o estoque ou devolvendo-a, caso seja constatada alguma irregularidade.

Gerencia contratos e projetos, observando conformidade de especificações e de prazos Estabelece procedimentos para classificação e armazenamento, otimizando o uso do espaço disponível, definindo a organização dos materiais de acordo com a ordem de prioridade para saída do estoque.

Define a unidade-padrão de carga de armazenagem.

Observa questões de segurança em relação ao armazenamento, entre outros procedimentos, a fim de facilitar a identificação de produtos, a localização, a rastreabilidade do estoque, evitar obsolescência e melhorar a segurança e a qualidade no atendimento Aplica legislação referente a produtos controlados.

Monitora o estoque, verificando se as quantidades armazenadas estão de acordo com as necessidades da empresa e se os registros estão atualizados, calculando giro de estoque e verificando se a legislação pertinente está sendo aplicada.

Elabora e operacionaliza procedimentos de inventário de estoques, identificando materiais inativos Monitora índice de aproveitamento de materiais processados por terceiros, visando manter a atualização do estoque e evitar problemas no fornecimento de materiais para as áreas da empresa Monitora a distribuição interna, estabelecendo procedimentos e critérios para retirada e movimentação dos materiais e programando a execução de entregas.

Providencia descarte de resíduos e venda de sucatas e produtos descontinuados Fixa critérios de destinação em conformidade com a legislação ambiental Contrata empresas especializadas em descarte.

Define critérios de venda de sucatas e produtos inativos, processa a venda direta ou contrata leiloeiro Pode gerenciar compras, realizando parcerias com fornecedores, acompanhando os indicadores de eficiência do departamento, controlando orçamento de compras por centro de custo, fornecedores e contratos.

Presta assistência à direção da empresa ou aos seus departamentos, durante a elaboração de plano estratégico e da negociação de metas de produção do planejamento tático Administra, no setor de almoxarifado, pessoas, finanças, suprimentos, operações de produção e fornece meios para a garantia de segurança no trabalho, de saúde dos trabalhadores e de preservação ambiental Promove o desenvolvimento tecnológico e as inovações para o incremento da produtividade, utilizando tecnologia da informação e comunicação, software para a gestão do almoxarifado, entre outras tecnologias.

Relaciona-se com departamentos da empresa, com setores internos, fornecedores e com clientes e fornecedores externos, comunicando-se por escrito e verbalmente Redige comunicados e normas e elabora relatórios Reporta-se aos diretores, participando de reuniões.

Conduz e lidera reuniões de trabalho e acompanha auditorias internas e externas Cumpre e faz cumprir procedimentos éticos e de transparência, normas técnicas e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho, de qualidade e de preservação ambiental.

Funções do Gerente de almoxarifado

O profissional Administrador de Materiais deve comunicar-se, demonstrar competências pessoais, gerenciar compras, descartar resíduos, sucatas e produtos descontinuados, controlar fornecedores, administrar estoques.

Condições de trabalho da profissão

Gerentes de suprimentos os profissionais da família podem ser encontrados, principalmente, em empresas e instituições de grande porte, englobando sob suas responsabilidades as áreas de compras, almoxarifado e logística. Seu trabalho pode se desenvolver nas mais diversas atividades econômicas e é desejável que demonstrem habilidade de negociação, os trabalhadores podem estar sujeitos à fadiga e stresse, fruto do trabalho sob pressão. O vínculo de trabalho mais comum é como empregado com carteira.

Exigências do mercado de trabalho para a profissão

Atividades exercidas por um Gerente de almoxarifado

Um Gerente de almoxarifado deve liderar reuniões, contratar empresas especializadas em descartes, planejar estoques, demonstrar habilidade para negociar, supervisionar recebimento dos materiais adquiridos, participar de reuniões, revelar eficiência, orientar formas de estocagem, fixar critérios para descarte, demonstrar criatividade, controlar contratos, comunicar-se com fornecedores, contratar leiloeiro, acompanhar legislação ambiental relativa a descarte de resíduos, comunicar-se via correio eletrônico (e-mail), realizar parcerias com fornecedores, definir critérios de venda de sucata e produtos inativos, demonstrar objetividade, reportar-se a diretores, controlar orçamento de compras por centros de custos, demonstrar responsabilidade, monitorar nível de estoques, desenvolver capacidade de observação, manter-se atualizado, controlar alteração de preços, demonstrar clareza na comunicação oral e escrita, demonstrar capacidade de inovação, identificar materiais inativos, relacionar-se com os departamentos da empresa, demonstrar sensatez, processar a venda direta de sucatas e produtos inativos, demonstrar liderança, supervisionar movimentação interna dos materiais, acompanhar os indicadores de eficiência do departamento, atender auditoria interna e externa, controlar índice de aproveitamento de materiais processados para terceiros, elaborar procedimentos de inventários de estoques, programar a execução das entregas, demonstrar capacidade de trabalhar sob pressão, redigir comunicados e normas, dominar o sistema produtivo da empresa, aplicar legislação referente a produtos controlados, administrar espaço de estocagem, demonstrar capacidade de convencimento, elaborar relatórios, comunicar-se via telefone, fax e celular, expressar-se em outros idiomas, operacionalizar inventário de estoques, demonstrar raciocínio lógico, demonstrar flexibilidade, calcular giro de estoques.

Aumento do piso salarial e reajuste 2024 da categoria

O reajuste salarial 2024 para Administrador de Materiais ficou em 4.70%, obedecendo os índices de inflação do INPC - Índice Nacional de Preços ao Consumidor no período de um ano, esse é o critério para estipular o piso salarial 2024 e o início das negociações salariais entre o sindicato dos trabalhadores no cargo de Administrador de Materiais e os sindicatos patronais.

Em algumas localidades houve aumento real do salário, ou seja, acima do índice de correção salarial e acima até mesmo do reajuste médio da categoria dos Gerentes de suprimentos que ficou em 4.70% para 2024.

Uma observação importante é que nem sempre o aumento salarial do Administrador de Materiais em 2024 está atrelado a acordos e convenções coletivas, o salário base pode ser estipulado de acordo com o salário mínimo 2024 ou o piso salarial mínimo regional se houver.

Reajuste e valor do vale refeição 2024

O reajuste médio do vale refeição 2024 para Administrador de Materiais ficou em 5.50% de acordo com acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios registrados no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho do SRT - Subsecretaria de Relações do Trabalho.

Com isso o valor médio do vale refeição para 2024 observado em instrumentos coletivos de todo Brasil ficou em R$ 32,00 por dia efetivamente trabalhado.

Como é feito o cálculo dos reajustes e pisos salariais dos Gerentes de suprimentos 2024

O salário de Administrador de Materiais mostrado aqui é resultado do levantamento de 1970 salários em admissões de empresas de todo o Brasil em 2024, além de dissídios, convenções e acordos coletivos da categoria em sindicatos nacionais ou regionais de Gerentes de suprimentos que foram registrados no sistema Mediador da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, que registra os instrumentos coletivos.

Encontre o seu estado logo abaixo e saiba quanto ganha um Administrador de Materiais com salários atualizados em 2024. A ordem dos salários obedece a sigla dos estados em ordem alfabética. Confira:

Dissídio salarrial de Administrador de Materiais CBO 142415 salário

Valor do salário na CCT 2024 de Administrador de Materiais em todos os estados

Dados de dissídios coletivos para Administrador de Materiais por estado
UF Jornada Piso Média Teto Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo 44h 4.376,44 4.546,06 6.415,54 20,87 7.30%
Minas Gerais 43h 3.004,64 3.121,09 4.404,57 14,45 4.10%
Goiás 44h 2.359,70 2.451,16 3.459,15 11,21 5.10%
Rio Grande do Sul 44h 3.267,69 3.394,34 4.790,19 15,51 6.60%
Paraná 44h 2.946,79 3.061,00 4.319,77 13,99 6.70%
Mato Grosso 44h 2.795,04 2.903,37 4.097,33 13,26 7.30%
Santa Catarina 44h 3.176,65 3.299,76 4.656,72 15,04 6.10%
Bahia 43h 2.942,75 3.056,81 4.313,86 14,17 6.50%
Rio de Janeiro 43h 4.361,62 4.530,66 6.393,81 21,14 7.90%
Pará 43h 2.294,61 2.383,54 3.363,73 11,00 4.90%
Ceará 44h 2.659,72 2.762,80 3.898,94 12,64 6.50%
Pernambuco 43h 2.503,12 2.600,13 3.669,38 12,10 6.70%
Espírito Santo 43h 2.829,54 2.939,20 4.147,89 13,62 7.00%
Rondônia 44h 2.341,64 2.432,39 3.432,66 11,06 8.20%
Distrito Federal 44h 2.842,93 2.953,11 4.167,52 13,50 7.30%
Mato Grosso do Sul 43h 2.763,66 2.870,77 4.051,32 13,35 5.90%
Tocantins 44h 2.212,15 2.297,88 3.242,84 10,47 7.60%
Maranhão 43h 2.771,97 2.879,41 4.063,50 13,44 4.40%
Amazonas 44h 6.493,77 6.745,45 9.519,38 30,66 7.00%
Rio Grande do Norte 43h 1.893,71 1.967,10 2.776,03 9,06 8.10%
Amapá 44h 1.685,66 1.750,99 2.471,06 7,96 6.70%
Alagoas 43h 4.085,52 4.243,87 5.989,07 19,65 8.10%
Paraíba 44h 2.168,51 2.252,55 3.178,87 10,30 6.90%
Sergipe 44h 1.822,71 1.893,36 2.671,96 8,61 7.30%
Roraima 43h 1.947,72 2.023,20 2.855,20 9,32 6.50%
Acre 44h 1.566,39 1.627,10 2.296,21 7,40 7.50%

Fonte: Dados CAGED, PNAD e instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego que mencionem a profissão de Administrador de Materiais.

Dissídio de Administrador de Materiais por cidade

Quanto ganha um Administrador de Materiais nas principais cidades

Salários segundo dados do CAGED e instrumentos coletivos registrados que citem a profissão de Administrador de Materiais na localidade
Cidade Carga Horária Piso Salarial Média Salarial Maior Salário Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo, SP 44 4.984,13 5.177,30 7.306,36 23,78 4.30%
Goiânia, GO 44 2.099,65 2.181,03 3.077,93 9,95 8.20%
Belo Horizonte, MG 43 3.403,73 3.535,65 4.989,61 16,27 6.80%
Santana do Livramento, RS 44 1.646,94 1.710,77 2.414,29 7,78 6.40%
Brasília, DF 44 2.842,93 2.953,11 4.167,52 13,50 6.60%
Fortaleza, CE 44 2.300,81 2.389,99 3.372,82 10,93 6.10%
Salvador, BA 43 2.697,51 2.802,06 3.954,35 13,13 6.10%
Rio de Janeiro, RJ 43 6.571,36 6.826,04 9.633,11 31,50 6.10%
Porto Alegre, RS 44 3.139,43 3.261,10 4.602,17 14,88 7.70%
Manaus, AM 44 6.519,15 6.771,81 9.556,58 30,78 8.10%
Curitiba, PR 43 3.596,26 3.735,65 5.271,85 17,27 6.10%
Ribeirão Preto, SP 44 4.479,53 4.653,14 6.566,65 21,15 5.00%
Cuiabá, MT 43 3.196,17 3.320,05 4.685,35 15,39 5.80%
Uberlândia, MG 44 1.852,49 1.924,29 2.715,61 8,84 7.00%
Macapá, AP 44 1.714,09 1.780,52 2.512,73 8,09 7.90%
Aparecida de Goiânia, GO 43 2.490,72 2.587,26 3.651,21 12,02 5.60%
Campinas, SP 44 2.593,96 2.694,49 3.802,55 12,25 7.30%
Araguaína, TO 44 2.064,43 2.144,44 3.026,29 9,75 5.40%
Boa Vista, RR 43 1.947,72 2.023,20 2.855,20 9,32 5.80%
Rondonópolis, MT 43 2.933,28 3.046,97 4.299,98 14,03 5.90%
Campo Grande, MS 44 2.914,59 3.027,55 4.272,57 13,76 7.50%
Serra, ES 44 2.139,82 2.222,75 3.136,81 10,22 7.50%
Palmas, TO 44 2.411,38 2.504,83 3.534,90 11,39 5.70%
Cascavel, PR 44 2.540,33 2.638,78 3.723,93 11,99 6.60%
Sorocaba, SP 43 10.297,10 10.696,18 15.094,77 50,07 5.90%
Canoas, RS 43 1.961,96 2.038,00 2.876,09 9,42 5.20%
São José do Rio Preto, SP 44 2.876,97 2.988,47 4.217,42 13,58 7.80%
Santo André, SP 43 3.316,43 3.444,96 4.861,63 16,06 5.60%
Recife, PE 41 2.468,68 2.564,36 3.618,91 12,48 4.80%
Maringá, PR 44 3.110,54 3.231,09 4.559,81 14,72 8.20%

Os valores de piso salarial e porcentagem de dissídio referem-se a média observada em instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego com abrangência na cidade ou na região e que citem a profissão de Administrador de Materiais. Instrumentos coletivos: Acordos, convenções ou dissídios coletivos.

Empresas que mais contratam Administrador de Materiais no Brasil

Pisos salariais por setores das empresas
Segmento Piso Média Teto Dissídio 2024 (%)
Comércio varejista de materiais de construção em geral 2.324,47 2.414,56 3.407,50 6.80%
Comércio a varejo de peças e acessórios novos para veículos automotores 2.357,65 2.449,03 3.456,15 7.70%
Serviços combinados de escritório e apoio administrativo 2.277,36 2.365,62 3.338,44 4.50%
Comércio atacadista de produtos alimentícios em geral 1.833,81 1.904,88 2.688,23 6.30%
Comércio varejista de móveis 2.090,88 2.171,91 3.065,07 6.40%
Comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios 1.931,78 2.006,65 2.831,84 4.30%
Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios - supermercados 2.150,21 2.233,54 3.152,05 4.40%
Comércio por atacado de peças e acessórios novos para veículos automotores 2.335,55 2.426,06 3.423,74 6.00%
Comércio atacadista de máquinas, aparelhos e equipamentos para uso agropecuário 2.940,86 3.054,83 4.311,07 6.90%
Locação de mão-de-obra temporária 2.548,32 2.647,08 3.735,64 6.30%
Transporte rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudanças, intermunicipal, interestadual e internacional 2.695,59 2.800,07 3.951,54 7.00%
Comércio varejista de ferragens e ferramentas 2.791,44 2.899,63 4.092,04 8.20%
Restaurantes e similares 1.974,96 2.051,51 2.895,15 6.10%
Construção de edifícios 5.040,56 5.235,92 7.389,08 5.30%
Outras atividades de serviços prestados principalmente às empresas não especificadas anteriormente 4.847,83 5.035,71 7.106,55 5.70%
Comércio varejista de materiais de construção 2.646,25 2.748,81 3.879,20 4.80%
Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios - minimercados, mercearias e armazéns 1.958,73 2.034,64 2.871,35 6.60%
Confecção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas e as confeccionadas sob medida 1.979,77 2.056,50 2.902,20 6.60%
Comércio varejista de material elétrico 2.559,27 2.658,46 3.751,70 6.10%
Comércio varejista de outros produtos 3.170,51 3.293,39 4.647,73 5.10%
Fonte: Contratações formais indicadas pelas empresas ao sistema Novo CAGED e convenções coletivas patronais.