O dissídio de Trabalhador na Floricultura (flores e Folhagens de Corte) 2024 já saiu. Veja aqui o salário mínimo, piso salarial e salário médio em todos os estados, capitais e principais cidades brasileiras de acordo com a convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados em carteira com o CBO 622405 no cargo de Trabalhador na Floricultura (flores e Folhagens de Corte).

Estado com maior salário médio

Santa Catarina

R$ 1.992,95

(últimos 12 meses)

Estado que mais contrata

Minas Gerais

1.295 admissões

(últimos 12 meses)

Cidade com maior salário médio

Artur Nogueira - SP

R$ 1.788,65

Cidade que mais contrata

Andradas - MG

989 admissões

Descrição sumária do cargo

O colaborador no cargo de Trabalhador no cultivo de flores e folhagens de corte cultiva flores e folhagens de corte, executando a preparação do solo, o plantio, o manejo, a colheita, a pós-colheita e o beneficiamento inicial para comercialização da produção Atua em cultivo a céu aberto, cultivo sob telado e cultivo em estufas convencionais, semiautomatizadas ou automatizadas.

Opera máquinas e equipamentos convencionais, bem como sistemas produtivos automatizados Constrói e repara pequenas instalações Realiza manutenção de baixa complexidade em veículos, equipamentos e máquinas.

Cumpre legislação, normas técnicas e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho e de preservação ambiental

O que faz um Trabalhador na Floricultura (flores e Folhagens de Corte)

O Trabalhador no cultivo de flores e folhagens de corte auxilia no desenvolvimento de novos cultivos de flores e folhagens de corte, visando à produção de espécies mais resistentes e diferenciadas em formatos e em cores Colabora na realização de controles edafoclimático e fitossanitário.

Atua com sistemas de cultivo a céu aberto, cultivo sob mantas, lonas e telas, e cultivo em estufas convencionais, semiautomatizadas ou automatizadas.

Participa na definição do local do plantio de flores e folhagens de corte Auxilia na seleção de sistemas e de tipos de cultivo e cultivares.

Seleciona instrumental e materiais Coleta amostras do solo, para realização de análise laboratorial.

Espalha corretivos no solo, de acordo com os resultados da análise.

Prepara o solo, arando, subsolando, nivelando, abrindo canteiros e covas, esterilizando e sulcando Prepara a área a ser plantada, manejando solo e substratos.

Seleciona, produz e aplica insumos específicos, como adubos, soluções nutritivas e fertilizantes.

Pode instalar quebra-ventos Coleta amostras de sementes e mudas para análise laboratorial Seleciona sementes e mudas para o plantio, com base nos resultados da análise.

Realiza o plantio de sementes, mudas, bulbos e rizomas Aplica técnicas de estaquia de caule e de enxertia Controla temperatura e umidade do solo.

Controla temperatura, ventilação, luminosidade e umidade do ambiente Monitora o desenvolvimento e o crescimento das plantas, substituindo as danificadas ou mortas.

Irriga a plantação de maneira convencional ou com o uso de bombas, redes de tubulação, aspersores e sistemas automatizados em geral Controla e combate o aparecimento de doenças e pragas em cultivos Pode pulverizar defensivos agrícolas em flores e plantas.

Poda e desbrota plantas Fixa hastes ou redes de sustentação em plantas Reveste botões de rosa com redes de proteção individual.

Verifica o ponto de colheita de plantas Realiza o corte e a colheita Hidrata e adiciona soluções para conservação de flores e folhagens.

Processa o beneficiamento inicial de flores e folhagens - de modo convencional ou automatizado -, lavando, limpando, classificando e separando de acordo com qualidade e variedade Pesa flores Conta flores e folhagens Acondiciona flores e folhagens em bandejas, caixas e embalagens, geralmente de plástico, de papelão ou de madeira Identifica o produto embalado.

Conserva plantas em câmara fria e em temperatura ambiente, conforme as características e as necessidades das espécies Acondiciona flores e folhagens em veículos de transporte - incluindo os climatizados -, encaminhando-as para comercialização Opera máquinas, equipamentos e instrumentos, utiliza sistemas produtivos manuais ou automatizados, e opera sistemas de irrigação e logísticos Pode trabalhar com equipamentos mecânicos e/ou elétricos, tais como guilhotina, serra elétrica, desfolhador de hastes e confeccionador de maços Constrói pequenas instalações agrícolas, como viveiros, coberturas, barreiras e áreas de cultivo protegido em geral Realiza reparos e manutenção de baixa complexidade em instalações, veículos, equipamentos e máquinas agrícolas Zela pela limpeza, higienização e organização das áreas de beneficiamento e de armazenagem Trabalha com segurança, prevenindo acidentes e utilizando equipamentos de proteção individual Atua de acordo com programa de sustentabilidade ambiental, lavando, armazenando e encaminhando embalagens vazias de defensivos agrícolas e insumos para reciclagem.

Funções do Trabalhador no cultivo de flores e folhagens de corte

O profissional Trabalhador na Floricultura (flores e Folhagens de Corte) deve colher flores, folhagens e plantas ornamentais, plantar mudas, sementes, bulbos, rizomas e estacas, construir estufas e telas de sombreamento, demonstrar competências pessoais, manejar cultivo de flores, folhagens e plantas, realizar atividades de manutenção e segurança, preparar local para plantio, acondicionar flores, folhagens e plantas para comercialização.

Condições de trabalho da profissão

Trabalhadores agrícolas no cultivo de flores e plantas ornamentais trabalham tanto na condição de assalariado como por conta própria, geralmente em produção familiar. São homens e mulheres das mais variadas faixas etárias, incluindo várias gerações de uma mesma família, que se dedicam ao plantio de flores e plantas ornamentais. Na divisão de trabalho, freqüentemente as mulheres se dedicam mais à colheita das flores, que exige habilidade manual e delicadeza. Trabalham em equipe e, em algumas atividades, em posições desconfortáveis por longos períodos, sujeitos a materiais tóxicos, ao sol, e à poeira.

Exigências do mercado de trabalho para a profissão

Atividades exercidas por um Trabalhador no cultivo de flores e folhagens de corte

Um Trabalhador no cultivo de flores e folhagens de corte deve esterilizar áreas de plantio, demonstrar habilidade manual, abrir sulcos, subsolar terreno, aplicar técnicas anti-erosivas, realizar reparos em equipamentos e máquinas, semear flores e plantas, acondicionar flores, folhagens e plantas em câmaras frigoríficas, misturar produtos químicos para solução imunizadora, apanhar flores e folhagens, limpar mananciais de captação de água, controlar luminosidade de ambiente, coletar amostras de mudas para análise laboratorial, fixar hastes ou redes de sustentação em plantas, monitorar desenvolvimento de mudas e plantas, hidratar flores, folhagens e plantas, coletar sementes, remover ervas daninhas, arar terreno, retirar resíduos de mudas, bulbos e sementes, nivelar terreno, revestir botões de rosa com redes de proteção individual (camisinha), notificar falhas em equipamentos e máquinas, lavar equipamentos e utensílios, instalar rede elétrica e painel de controle, identificar produto embalado, desbrotar plantas, limpar flores, folhagens e plantas colhidas, higienizar galpão de seleção, carregar flores, folhagens e plantas, embalar flores e folhagens, estender tela de sombreamento, concentrar-se em atividades de trabalho, abrir covas, confeccionar redes de sustentação de plantas, aparar caules de flores e folhagens, dar prova de resistência física, contar flores, folhagens e plantas, estender plástico, trabalhar em posições especiais, instalar quebra-ventos naturais, fixar calhas coletoras de água, encerar flores e folhagens, cultivar bulbos, rizomas e mudas através de divisão de touceiras, podar plantas, trabalhar em equipe, classificar flores, repor mudas danificadas ou mortas, controlar umidade de ambiente e solo, irrigar flores e plantas, selecionar mudas para plantio, preparar substratos, acondicionar flores, folhagens e plantas em veículos de transporte, lubrificar máquinas, inspecionar funcionamento de equipamentos e máquinas, aplicar soluções nutritivas para enraizamento de galhos e estacas, preparar canteiros, classificar folhagens, descartar embalagens de produtos tóxicos, construir estruturas de sustentação para cobertura de plástico, construir mesas de sustentação de flores e plantas, realizar tríplice-lavagem em embalagens de produtos tóxicos, possuir acuidade visual, adicionar soluções para conservação de folhagens e flores de corte, adubar flores e plantas, trabalhar em ambientes com temperatura elevada, enxertar planta doadora em planta cavalo, organizar flores, folhagens e plantas de acordo com qualidade e variedade, colocar hastes de plantas colhidas em tubetes, encher recipientes (vasos, sacos plásticos) com substrato, pesar flores de corte, instalar sistema de pulverização, verificar ponto de colheita de plantas, detectar pragas e doenças em cultivos, comunicar problemas de cultivo para produtor e/ou técnico agrícola, controlar temperatura de solo e ambiente, enraizar folhas, galhos e estacas de plantas, manifestar iniciativa, guardar equipamentos e utensílios, construir estruturas de sustentação para tela de sombreamento, distribuir adubo em terreno, inspecionar presença de animais nocivos ao cultivo, instalar sistema de ferti-irrigação, auxiliar em escolha de áreas de cultivo, coletar amostras de solo para análise laboratorial, pulverizar defensivos agrícolas em flores e plantas, transplantar mudas e plantas.

Aumento do piso salarial e reajuste 2024 da categoria

O reajuste salarial 2024 para Trabalhador na Floricultura (flores e Folhagens de Corte) ficou em 7.40%, obedecendo os índices de inflação do INPC - Índice Nacional de Preços ao Consumidor no período de um ano, esse é o critério para estipular o piso salarial 2024 e o início das negociações salariais entre o sindicato dos trabalhadores no cargo de Trabalhador na Floricultura (flores e Folhagens de Corte) e os sindicatos patronais.

Em algumas localidades houve aumento real do salário, ou seja, acima do índice de correção salarial e acima até mesmo do reajuste médio da categoria dos Trabalhadores agrícolas no cultivo de flores e plantas ornamentais que ficou em 7.40% para 2024.

Uma observação importante é que nem sempre o aumento salarial do Trabalhador na Floricultura (flores e Folhagens de Corte) em 2024 está atrelado a acordos e convenções coletivas, o salário base pode ser estipulado de acordo com o salário mínimo 2024 ou o piso salarial mínimo regional se houver.

Reajuste e valor do vale refeição 2024

O reajuste médio do vale refeição 2024 para Trabalhador na Floricultura (flores e Folhagens de Corte) ficou em 7.00% de acordo com acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios registrados no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho do SRT - Subsecretaria de Relações do Trabalho.

Com isso o valor médio do vale refeição para 2024 observado em instrumentos coletivos de todo Brasil ficou em R$ 27,00 por dia efetivamente trabalhado.

Como é feito o cálculo dos reajustes e pisos salariais dos Trabalhadores agrícolas no cultivo de flores e plantas ornamentais 2024

O salário de Trabalhador na Floricultura (flores e Folhagens de Corte) mostrado aqui é resultado do levantamento de 2491 salários em admissões de empresas de todo o Brasil em 2024, além de dissídios, convenções e acordos coletivos da categoria em sindicatos nacionais ou regionais de Trabalhadores agrícolas no cultivo de flores e plantas ornamentais que foram registrados no sistema Mediador da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, que registra os instrumentos coletivos.

Encontre o seu estado logo abaixo e saiba quanto ganha um Trabalhador na Floricultura (flores e Folhagens de Corte) com salários atualizados em 2024. A ordem dos salários obedece a sigla dos estados em ordem alfabética. Confira:

Dissídio salarrial de Trabalhador na Floricultura (flores e Folhagens de Corte) CBO 622405 salário

Valor do salário na CCT 2024 de Trabalhador na Floricultura (flores e Folhagens de Corte) em todos os estados

Dados de dissídios coletivos para Trabalhador na Floricultura (flores e Folhagens de Corte) por estado
UF Jornada Piso Média Teto Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
Minas Gerais 44h 1.396,11 1.450,22 2.046,60 6,66 6.40%
São Paulo 44h 1.559,51 1.619,96 2.286,13 7,37 5.20%
Pernambuco 44h 1.298,53 1.348,86 1.903,55 6,17 4.10%
Rio Grande do Sul 44h 1.703,07 1.769,08 2.496,58 8,06 6.20%
Paraná 43h 1.838,66 1.909,92 2.695,34 8,88 6.80%
Ceará 44h 1.339,59 1.391,51 1.963,74 6,40 4.80%
Santa Catarina 44h 1.918,59 1.992,95 2.812,51 9,06 7.00%
Rio de Janeiro 43h 1.494,42 1.552,34 2.190,71 7,21 6.70%
Mato Grosso 44h 1.689,46 1.754,93 2.476,61 7,98 6.20%
Distrito Federal 44h 1.363,76 1.416,62 1.999,17 6,44 8.30%
Espírito Santo 44h 1.572,07 1.633,00 2.304,54 7,51 5.30%

Fonte: Dados CAGED, PNAD e instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego que mencionem a profissão de Trabalhador na Floricultura (flores e Folhagens de Corte).

Dissídio de Trabalhador na Floricultura (flores e Folhagens de Corte) por cidade

Quanto ganha um Trabalhador na Floricultura (flores e Folhagens de Corte) nas principais cidades

Salários segundo dados do CAGED e instrumentos coletivos registrados que citem a profissão de Trabalhador na Floricultura (flores e Folhagens de Corte) na localidade
Cidade Carga Horária Piso Salarial Média Salarial Maior Salário Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
Andradas, MG 43 1.361,91 1.414,69 1.996,45 6,51 6.40%
Igarassu, PE 44 1.296,51 1.346,76 1.900,59 6,12 6.80%
Itapeva, MG 44 1.535,70 1.595,22 2.251,22 7,25 7.50%
Holambra, SP 44 1.557,66 1.618,03 2.283,41 7,35 4.90%
Ibiúna, SP 44 1.574,61 1.635,64 2.308,26 7,43 7.60%
Aguas da Prata, SP 44 1.373,62 1.426,86 2.013,63 6,49 6.20%
Munhoz, MG 44 1.668,62 1.733,29 2.446,07 7,97 6.50%
Campinas, SP 44 1.594,32 1.656,11 2.337,15 7,60 5.20%
Mogi das Cruzes, SP 44 1.542,09 1.601,86 2.260,59 7,28 6.20%
Paranapanema, SP 44 1.556,76 1.617,09 2.282,09 7,35 5.80%
Gravata, PE 43 1.298,83 1.349,17 1.903,99 6,31 7.00%
Alfredo Vasconcelos, MG 44 1.298,83 1.349,17 1.903,99 6,13 6.10%
Bragança Paulista, SP 44 1.444,79 1.500,79 2.117,96 6,82 5.40%
Senador Amaral, MG 44 1.303,61 1.354,14 1.911,00 6,17 5.20%
Nova Petrópolis, RS 44 1.669,25 1.733,94 2.446,99 7,88 7.60%
Serra Negra, SP 44 1.581,25 1.642,53 2.317,99 7,47 7.50%
São Benedito, CE 44 1.369,46 1.422,54 2.007,53 6,47 6.20%
Artur Nogueira, SP 44 1.721,91 1.788,65 2.524,19 8,13 5.80%
Mogi-Mirim, SP 44 1.597,69 1.659,61 2.342,09 7,54 7.70%
Nova Prata, RS 44 1.977,88 2.054,53 2.899,42 9,34 7.70%
Atibaia, SP 44 1.567,11 1.627,85 2.297,27 7,40 4.90%
Brasília, DF 44 1.363,76 1.416,62 1.999,17 6,44 5.90%
Jaboticabal, SP 44 1.631,76 1.695,00 2.392,03 7,70 7.10%
Ribeirão Pires, SP 44 1.462,12 1.518,79 2.143,35 6,90 8.30%
Volta Redonda, RJ 44 1.541,73 1.601,49 2.260,07 7,28 8.10%
Curitiba, PR 44 2.122,97 2.205,25 3.112,11 10,02 6.70%
Icara, SC 44 1.825,02 1.895,75 2.675,34 8,62 6.70%
Belo Horizonte, MG 44 1.600,43 1.662,45 2.346,11 7,62 6.50%
Cabo de Santo Agostinho, PE 44 1.302,52 1.353,00 1.909,39 6,15 6.80%
Parobe, RS 43 1.600,76 1.662,80 2.346,59 7,70 7.10%

Os valores de piso salarial e porcentagem de dissídio referem-se a média observada em instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego com abrangência na cidade ou na região e que citem a profissão de Trabalhador na Floricultura (flores e Folhagens de Corte). Instrumentos coletivos: Acordos, convenções ou dissídios coletivos.

Empresas que mais contratam Trabalhador na Floricultura (flores e Folhagens de Corte) no Brasil

Pisos salariais por setores das empresas
Segmento Piso Média Teto Dissídio 2024 (%)
Cultivo de flores e plantas ornamentais 1.428,89 1.484,27 2.094,65 7.20%
Comércio varejista de plantas e flores naturais 1.654,02 1.718,12 2.424,67 6.30%
Comércio atacadista de sementes, flores, plantas e gramas 1.349,88 1.402,19 1.978,82 5.50%
Atividades de apoio à agricultura não especificadas anteriormente 1.375,89 1.429,22 2.016,95 5.80%
Cultivo de outras fibras de lavoura temporária não especificadas anteriormente 1.553,22 1.613,41 2.276,90 6.30%
Cultivo de milho 1.557,51 1.617,87 2.283,19 6.60%
Cultivo de outras plantas de lavoura temporária não especificadas anteriormente 1.422,64 1.477,77 2.085,48 7.70%
Horticultura, exceto morango 1.575,80 1.636,88 2.310,01 8.00%
Criação de bovinos para corte 1.594,02 1.655,80 2.336,71 4.60%
Cultivo de laranja 1.616,58 1.679,23 2.369,79 5.40%
Produção de mudas e outras formas de propagação vegetal, certificadas 1.542,82 1.602,61 2.261,65 5.80%
Atividades de consultoria em gestão empresarial, exceto consultoria técnica específica 1.631,76 1.695,00 2.392,03 6.50%
Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios - supermercados 2.249,01 2.336,18 3.296,88 4.30%
Comércio varejista de madeira e artefatos 1.363,52 1.416,36 1.998,81 8.10%
Atividades paisagísticas 1.534,04 1.593,50 2.248,80 4.20%
Cultivo de morango 1.741,78 1.809,29 2.553,32 5.60%
Cultivo de algodão herbáceo 1.467,14 1.524,00 2.150,71 5.70%
Comércio varejista de outros produtos 1.660,81 1.725,18 2.434,63 6.80%
Serviço de preparação de terreno, cultivo e colheita 1.507,30 1.565,71 2.209,58 4.40%
Imunização e controle de pragas urbanas 1.565,02 1.625,68 2.294,21 5.00%
Fonte: Contratações formais indicadas pelas empresas ao sistema Novo CAGED e convenções coletivas patronais.