O dissídio de Tecnólogo em Soldagem 2024 já saiu. Veja aqui o salário mínimo, piso salarial e salário médio em todos os estados, capitais e principais cidades brasileiras de acordo com a convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados em carteira com o CBO 314625 no cargo de Tecnólogo em Soldagem.

Estado com maior salário médio

São Paulo

R$ 4.151,41

(últimos 12 meses)

Estado que mais contrata

São Paulo

36 admissões

(últimos 12 meses)

Cidade que mais contrata

Americana - SP

17 admissões

Descrição sumária do cargo

O colaborador no cargo de Tecnólogo em soldagem planeja, projeta, qualifica e supervisiona processos de soldagem Coordena a realização de ensaios mecânicos e metalúrgicos relacionados com processos de soldagem.

Realiza inspeção e avaliação do processo de soldagem Pode auditar processo, conforme normas Pode prestar assistência técnica, no que se refere aos processos de soldagem e aos produtos soldados.

Conduz pesquisas e projetos para aperfeiçoamento e inovação nos processos de soldagem Propõe alterações em projetos de conjuntos soldados, realizando os cálculos necessários Supervisiona equipes, avaliando seu desempenho.

Qualifica profissionais em soldagem Elabora registro de qualificação de soldador (RQS) Elabora instruções e manuais técnicos.

Cumpre normas técnicas, procedimentos de controle de qualidade e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho, de prevenção contra incêndios e de preservação ambiental

O que faz um Tecnólogo em Soldagem

O Tecnólogo em soldagem planeja processos de soldagem, interpretando projetos e consultando normas técnicas Define os processos de soldagem aplicáveis aos projetos e elabora o plano de qualificação dos procedimentos de soldagem.

Define equipamentos de soldagem.

Elabora o plano de soldagem e define os procedimentos de execução e inspeção Estima consumíveis e outros insumos.

Seleciona os procedimentos para cada atividade e verifica as condições de segurança do ambiente Elabora programação da produção e define plano e sequência dos serviços.

Projeta processos de soldagem, definindo normas e ensaios aplicáveis e elaborando procedimentos de soldagem.

Elabora procedimentos de condições de secagem, estocagem e manuseio dos consumíveis de soldagem Elabora procedimentos de tratamento térmico.

Elabora planos de inspeção e testes e planos de corte e conformação.

Elabora projetos e desenhos de dispositivos auxiliares para conjuntos soldados Elabora orçamento de conjuntos soldados Qualifica processos de soldagem, acompanhando a execução dos procedimentos de qualificação dos produtos fabricados e inspecionando a qualificação da soldagem.

Coordena ensaios aplicáveis e, especialmente, ensaios mecânicos e metalográficos Acompanha a execução dos ensaios e avalia os resultados Elabora documentos comprobatórios da qualificação da soldagem.

Supervisiona processos de soldagem, tendo em vista a qualidade e a produtividade dos serviços Define demanda de mão de obra qualificada.

Analisa capacidade da infraestrutura para os processos Coordena as atividades de execução de acordo com o cronograma e a programação da produção Coordena as operações de tratamento térmico.

Realiza inspeção e avaliação do processo de soldagem No que se refere à matéria-prima e aos consumíveis de soldagem, realiza inspeção, analisa certificados, e verifica homologação Inspeciona a montagem de juntas.

Acompanha e inspeciona a soldagem nas diferentes etapas dos trabalhos produtivos Avalia resultados dos gráficos de tratamento térmico Coordena a realização de ensaios destrutivos e não destrutivos.

Convoca órgão de fiscalização Emite relatórios de inspeção Acompanha auditoria e fiscalização do processo de soldagem Pode auditar processos de soldagem, conforme normas Pode prestar assistência técnica, no que se refere aos processos de soldagem e aos produtos soldados.

Presta orientações técnicas ao cliente Presta consultoria em soldagem Supervisiona equipes de trabalho, fazendo avaliação de desempenho no trabalho e gerenciando o desenvolvimento profissional das equipes Qualifica profissionais em soldagem, definindo planos de capacitação e elaborando treinamentos em soldagem Seleciona os profissionais a serem requalificados e capacita os profissionais Realiza análise crítica do desempenho da mão de obra, tendo em vista avaliar a eficácia dos programas de capacitação Elabora registro de qualificação de soldador (RQS) Elabora instruções e manuais técnicos Conduz pesquisas e projetos para aperfeiçoamento e inovação nos processos de soldagem, desenvolvendo aplicações para máquinas inteligentes, com princípios de automação e robótica, e desenvolvendo ou aperfeiçoando técnicas, métodos, máquinas e equipamentos para operar com novos materiais, tais como aços de alta resistência, combinados com revestimentos galvanizados, alumínio, aços inoxidáveis, e outros materiais não ferrosos Propõe redução de custos e aumento de produtividade Desenvolve melhorias em processos e aplicações de soldagem Realiza estudos – tais como de cronoanálise de processos, de redução de deformação e distorção, dentre outros, para o aprimoramento da soldagem em aplicações diversificadas Propõe alterações em projetos de conjuntos soldados, realizando os cálculos necessários Trabalha com segurança, orientando e fiscalizando o uso de equipamentos de proteção individual e coletiva Aplica normas de gestão ambiental, mantendo os processos alinhados a conceitos e práticas de desenvolvimento sustentável .

Funções do Tecnólogo em soldagem

O profissional Tecnólogo em Soldagem deve qualificar profissionais em soldagem, demonstrar competências pessoais, qualificar procedimentos de soldagem, inspecionar os processos, supervisionar os processos de produção, planejar o trabalho a ser executado.

Condições de trabalho da profissão

Técnicos em metalurgia (estruturas metálicas) atuam principalmente nas indústrias de produtos metálicos e construção civil, nas áreas da indústria naval, petroquímica, aeronáutica e automobilística. Exercem suas atividades tanto na produção industrial quanto nas de manutenção, ferramentaria, fabricantes de insumos e equipamentos. Podem trabalhar por conta própria, como autônomos ou como assalariados, com registro em carteira. Trabalham em equipe, sob supervisão ocasional ou permanente e supervisionam tarefas realizadas por profissionais especializados do setor. Algumas das atividades exercidas estão sujeitas a altas temperaturas, radiação, ruído intenso e material tóxico, em outras atividades trabalham com sobrecarga horária de trabalho, principalmente em finalização de produtos sobre encomenda e obras.

Exigências do mercado de trabalho para a profissão

Atividades exercidas por um Tecnólogo em soldagem

Um Tecnólogo em soldagem deve demonstrar capacidade de síntese, interpretar projetos (estruturas metálicas, caldeiraria e conjuntos soldados), contornar situações adversas, definir plano de capacitação de profissionais em soldagem, elaborar o plano de qualificação de procedimentos de soldagem, adequar processo de fabricação conforme normas, selecionar os procedimentos para cada atividade, inspecionar a soldagem da qualificação, desenvolver melhorias em processos e aplicações de soldagem, consultar normas técnicas aplicáveis à execução do projeto, definir os procedimentos de execução e inspeção, estabelecer prioridades, desenhar dispositivos auxiliares para conjuntos soldados, coordenar as atividades de execução de acordo com o cronograma e a programação, avaliar qualidade de produtos e serviços, inspecionar a matéria prima e consumíveis de soldagem, demonstrar acuidade visual, realizar estudos (estudo de cronoanálise de processos, estudo de redução de deformação e distorção, etc), prestar orientações técnicas ao cliente, administrar o tempo, verificar montagem de acordo com o projeto, verificar o aspecto visual e dimensional da soldagem, capacitar profissionais em soldagem, elaborar plano de inspeção e testes, elaborar orçamento de conjuntos soldados, coordenar os ensaios mecânicos e metalográficos, elaborar treinamento em soldagem, verificar as identificações da soldagem, supervisionar a aplicação dos processos de fabricação e montagem, analisar capacidade da infraestrutura de fabricação, elaborar instruções e manuais técnicos, definir equipamentos de soldagem, definir demanda de mão de obra qualificada, controlar o consumo do material, propor aumento de produtividade, auditar processos de soldagem conforme normas, trabalhar em equipe, definir os processos de soldagem, coordenar as equipes na execução dos serviços (estrutura metálica, caldeiraria e conjuntos soldados), delegar funções, verificar a conclusão da soldagem, propor alterações em projeto de conjuntos soldados, coordenar a execução da soldagem, definir ensaios aplicáveis, elaborar procedimento de tratamento térmico, demonstrar capacidade de resolução de problemas, verificar as condições de segurança (ambiente e equipamentos de proteção individual), demonstrar criatividade, convocar um órgão de fiscalização, demonstrar capacidade de observação, acompanhar a soldagem da qualificação, elaborar documentos comprobatórios da qualificação, elaborar plano de corte e conformação, acompanhar auditoria e fiscalização do processo de soldagem, coordenar os ensaios aplicáveis, acompanhar a execução dos ensaios, realizar análise crítica do desempenho da mão de obra, selecionar profissionais a serem requalificados, inspecionar a montagem das juntas, propor redução de custos, demonstrar capacidade de liderança, elaborar procedimentos de condições de secagem, estocagem e manuseio dos consumíveis de soldagem, demonstrar capacidade de acatar sugestões, orientar pessoal quanto ao uso de equipamentos de proteção individual, coordenar as operações de tratamento térmico, demonstrar proatividade, estimar o material de consumo e aplicação, analisar certificados de matéria prima e consumíveis de soldagem, emitir relatórios de inspeção, inspecionar a soldagem de fabricação, acompanhar a soldagem de fabricação, liberar o serviço executado para inspeção do controle de qualidade, programar a produção, prestar consultoria em soldagem, demonstrar capacidade de raciocínio analítico, aplicar as normas técnicas na execução dos serviços (estrutura metálica, caldeiraria e conjuntos soldados), elaborar o plano de soldagem, verificar homologação de matéria prima e consumíveis de soldagem, elaborar registro de qualificação de soldador (rqs), definir plano/sequência de fabricação, coordenar realização de ensaios destrutivos, coordenar a realização de ensaios não destrutivos, definir a sequência de execução dos serviços (caldeiraria, soldagem, etc), demonstrar capacidade de comunicação verbal, avaliar os resultados dos gráficos de tratamento térmico, projetar dispositivos auxiliares para conjuntos soldados, avaliar os resultados dos ensaios.

Aumento do piso salarial e reajuste 2024 da categoria

O reajuste salarial 2024 para Tecnólogo em Soldagem ficou em 7.00%, obedecendo os índices de inflação do INPC - Índice Nacional de Preços ao Consumidor no período de um ano, esse é o critério para estipular o piso salarial 2024 e o início das negociações salariais entre o sindicato dos trabalhadores no cargo de Tecnólogo em Soldagem e os sindicatos patronais.

Em algumas localidades houve aumento real do salário, ou seja, acima do índice de correção salarial e acima até mesmo do reajuste médio da categoria dos Técnicos em metalurgia (estruturas metálicas) que ficou em 7.00% para 2024.

Uma observação importante é que nem sempre o aumento salarial do Tecnólogo em Soldagem em 2024 está atrelado a acordos e convenções coletivas, o salário base pode ser estipulado de acordo com o salário mínimo 2024 ou o piso salarial mínimo regional se houver.

Reajuste e valor do vale refeição 2024

O reajuste médio do vale refeição 2024 para Tecnólogo em Soldagem ficou em 4.60% de acordo com acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios registrados no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho do SRT - Subsecretaria de Relações do Trabalho.

Com isso o valor médio do vale refeição para 2024 observado em instrumentos coletivos de todo Brasil ficou em R$ 32,00 por dia efetivamente trabalhado.

Como é feito o cálculo dos reajustes e pisos salariais dos Técnicos em metalurgia (estruturas metálicas) 2024

O salário de Tecnólogo em Soldagem mostrado aqui é resultado do levantamento de 46 salários em admissões de empresas de todo o Brasil em 2024, além de dissídios, convenções e acordos coletivos da categoria em sindicatos nacionais ou regionais de Técnicos em metalurgia (estruturas metálicas) que foram registrados no sistema Mediador da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, que registra os instrumentos coletivos.

Encontre o seu estado logo abaixo e saiba quanto ganha um Tecnólogo em Soldagem com salários atualizados em 2024. A ordem dos salários obedece a sigla dos estados em ordem alfabética. Confira:

Dissídio salarrial de Tecnólogo em Soldagem CBO 314625 salário

Valor do salário na CCT 2024 de Tecnólogo em Soldagem em todos os estados

Dados de dissídios coletivos para Tecnólogo em Soldagem por estado
UF Jornada Piso Média Teto Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo 44h 3.996,52 4.151,41 5.858,60 18,89 6.10%

Fonte: Dados CAGED, PNAD e instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego que mencionem a profissão de Tecnólogo em Soldagem.

Dissídio de Tecnólogo em Soldagem por cidade

Quanto ganha um Tecnólogo em Soldagem nas principais cidades

Salários segundo dados do CAGED e instrumentos coletivos registrados que citem a profissão de Tecnólogo em Soldagem na localidade
Cidade Carga Horária Piso Salarial Média Salarial Maior Salário Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
Americana, SP 44 4.868,16 5.056,84 7.136,36 22,99 6.40%
Diadema, SP 44 2.356,39 2.447,72 3.454,29 11,17 5.60%

Os valores de piso salarial e porcentagem de dissídio referem-se a média observada em instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego com abrangência na cidade ou na região e que citem a profissão de Tecnólogo em Soldagem. Instrumentos coletivos: Acordos, convenções ou dissídios coletivos.

Empresas que mais contratam Tecnólogo em Soldagem no Brasil

Pisos salariais por setores das empresas
Segmento Piso Média Teto Dissídio 2024 (%)
Construção de edifícios 4.868,16 5.056,84 7.136,36 5.00%
Perfurações e sondagens 1.895,70 1.969,17 2.778,95 7.70%
Atividades de consultoria em gestão empresarial, exceto consultoria técnica específica 3.850,76 4.000,00 5.644,92 8.10%
Provedores de acesso às redes de comunicações 1.359,32 1.412,00 1.992,66 5.10%
Fabricação de artigos de serralheria, exceto esquadrias 1.395,90 1.450,00 2.046,28 6.70%
Serviços de engenharia 2.406,72 2.500,00 3.528,08 5.40%
Fabricação de ferramentas 3.360,34 3.490,58 4.926,01 7.10%
Locação de mão-de-obra temporária 4.933,18 5.124,38 7.231,68 4.20%
Fabricação de máquinas e equipamentos para terraplenagem, pavimentação e construção, peças e acessórios, exceto tratores 5.535,46 5.750,00 8.114,57 6.90%
Produção de artefatos estampados de metal 7.884,67 8.190,26 11.558,34 6.80%
Montagem de estruturas metálicas 4.428,37 4.600,00 6.491,66 5.20%
Fabricação de outras peças e acessórios para veículos automotores não especificadas anteriormente 7.675,52 7.973,00 11.251,74 5.20%
Fabricação de estruturas metálicas 1.347,76 1.400,00 1.975,72 5.00%
Fabricação de outras máquinas e equipamentos de uso geral , peças e acessórios 8.632,43 8.967,00 12.654,50 7.80%
Fonte: Contratações formais indicadas pelas empresas ao sistema Novo CAGED e convenções coletivas patronais.