O dissídio de Pirangueiro de Turismo de Pesca 2024 já saiu. Veja aqui o salário mínimo, piso salarial e salário médio em todos os estados, capitais e principais cidades brasileiras de acordo com a convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados em carteira com o CBO 511510 no cargo de Pirangueiro de Turismo de Pesca.

Estado com maior salário médio

Rio Grande do Sul

R$ 3.960,00

(últimos 12 meses)

Estado que mais contrata

Mato Grosso do Sul

46 admissões

(últimos 12 meses)

Cidade com maior salário médio

Corumbá - MS

R$ 1.389,03

Cidade que mais contrata

Corumbá - MS

32 admissões

Descrição sumária do cargo

O colaborador no cargo de Condutor de turismo de pesca conduz clientes em atividades turísticas de pesca, prestando informações sobre as atividades, fazendo organização da logística, examinando funcionamento dos veículos a serem utilizados, providenciando alojamento e alimentação, apresentando, ao grupo de clientes, características da região, auxiliando o grupo na escolha e na montagem do equipamento de pesca, ajudando grupo no manuseio dos peixes, zelando pela segurança do grupo, monitorando a utilização de equipamentos de orientação, e motivando o grupo para concluir a atividade turística Realiza manutenção básica de equipamentos.

Auxilia nas vendas de passeios Cumpre legislação e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho, de prevenção contra incêndios e de preservação ambiental

O que faz um Pirangueiro de Turismo de Pesca

O Condutor de turismo de pesca orienta clientes, apresentando-lhes o conjunto de informações (briefing) da atividade turística de pesca Apresenta os equipamentos usados e a vestimenta adequada à realização da atividade.

Alerta sobre os riscos da prática da atividade.

Informa clientes sobre as questões relativas à conservação do meio ambiente Obtém dos clientes a concordância no cumprimento das regras e dos procedimentos relativos à realização da atividade de pesca.

Verifica a quantidade de clientes que confirmaram a participação na atividade turística de pesca e examina o tipo de passeio, o período de realização e outros detalhes da atividade contratada, para iniciar a organização da logística Define roteiros, selecionando locais propícios à pesca.

Elabora agenda.

Providencia os veículos aquáticos (embarcações) e terrestres (veículos automotores) a serem utilizados e verifica suas condições de funcionamento Seleciona equipamentos, preparando-os para a atividade.

Providencia iscas vivas.

Divide grupos de clientes, de acordo com a atividade contratada e considerando a capacidade de alojamento das instalações Interpreta condições climáticas, para sugerir novos roteiros, rotas e trajetos Presta apoio aos clientes, demonstrando os procedimentos a serem adotados durante a realização da atividade.

Auxilia os clientes na escolha e na montagem do equipamento de pesca (vara, carretilha ou molinete, linha, iscas de pesca vivas e artificiais e outros itens) Ajuda clientes no manuseio dos peixes, explicando como retirá-los da água, como retirar o anzol, entre outros procedimentos Conduz clientes na atividade turística, apresentando-lhes as características da região, indicando locais propícios para pesca, e informando sobre os locais próprios para banhos ou mergulhos.

Descreve fatos históricos ocorridos na região Prepara local para alimentação do grupo.

Alerta clientes sobre a execução dos procedimentos de segurança Decide sobre mudança de percurso ou utilização de rota de fuga, no caso de inundações ou outras ocorrências Providencia resgate e presta primeiros socorros, no caso de acidentes.

Alerta o grupo para a presença de animais ferozes ou peçonhentos e de insetos no local Atenta para sinais de aproximação de outros veículos Dá suporte ao grupo, monitorando-o na utilização de equipamentos de orientação, tais como GPS-Sistema de Posicionamento Global (Global Position System), bússolas e mapas.

Atenta para sinais de desgaste físico e emocional, motivando o grupo a concluir a atividade turística Após conclusão da atividade turística, indica ao grupo outros roteiros turísticos Auxilia nas vendas de passeios, fornecendo informações detalhadas sobre uma atividade turística específica, e divulgando serviços turísticos por e-mail, redes sociais, revistas especializadas e outros meios de comunicação.

Estabelece parcerias Participa em eventos, tais como feiras e palestras Realiza manutenção básica de equipamentos, verificando as suas condições após o uso, fazendo sua lavagem e sua lubrificação, efetuando pequenos reparos, e executando seu acondicionamento Solicita serviços de manutenção corretiva de equipamentos Atua na proteção do meio ambiente, orientando o grupo de clientes para cumprimento das normas ambientais durante as atividades turísticas.

Trabalha com segurança, verificando disponibilidade e condições de uso de equipamentos de segurança Examina a vida útil de cada equipamento e providencia sua substituição, quando necessário Utiliza Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e Equipamentos de Proteção Coletiva (EPC).

Funções do Condutor de turismo de pesca

O profissional Pirangueiro de Turismo de Pesca deve trabalhar com segurança, orientar clientes/pessoas, organizar o operacional/logística, demonstrar competências pessoais, auxiliar nas vendas de passeios, dar suporte a clientes/pessoas, conduzir clientes/pessoas, realizar manutenção de equipamentos.

Condições de trabalho da profissão

Condutores de turismo a maioria dos profissionais da FO trabalha como profissional autônomo e em equipe. O condutor de pesca trabalha sem supervisão e o condutor de aventura com supervisão ocasional. O trabalho é exercido, na maioria das vezes, a céu aberto, em veículos variados, em horários irregulares e, de forma presencial. Normalmente, são nativos dos locais onde atuam, portanto, possuem grande conhecimento da localidade. Há, em nível nacional, normas da ABNT para regular este seguimento do turismo.

Exigências do mercado de trabalho para a profissão

Atividades exercidas por um Condutor de turismo de pesca

Um Condutor de turismo de pesca deve selecionar equipamentos para realização da atividade turística, decidir sobre mudança de percurso, providenciar substituição de equipamentos, indicar outros passeios turísticos a clientes/pessoas, descrever fatos históricos do local/região, orientar sobre os riscos, orientar sobre os procedimentos específicos para realização da atividade, atentar para sinais de desgaste físico e emocional, preparar local para alimentação de clientes/pessoas, atentar para sinais de aproximação de outros veículos, providenciar resgate, orientar sobre o uso de equipamentos, verificar a vida útil dos equipamentos, auxiliar clientes/pessoas na montagem do equipamento de pesca (nó, linha, isca...), verificar as condições de funcionamento dos veículos para realização das atividades (embarcações/veículos terrestres...), orientar sobre as regras necessárias à realização da atividade, orientar sobre vestimenta adequada à realização da atividade, lubrificar equipamentos, verificar disponibilidade de equipamentos de segurança (tipo e quantidade), identificar a atividade turística contratada (tipo de passeio, horário...), demonstrar capacidade de transmitir confiança, preparar equipamentos para a realização da atividade turística, estabelecer parcerias, conduzir veículos para realização de atividades turísticas, indicar locais propícios para banhos/mergulhos, solicitar manutenção de equipamentos, motivar clientes/pessoas a iniciar/concluir a atividade turística, obter dos clientes/pessoas a concordância no seguimento das regras, participar de eventos (feiras, palestras...), "apresentar aos clientes/pessoas o ""briefing"" da atividade turística", definir embarcação, utilizar rota de fuga e/ou emergência, demonstrar capacidade de tomar decisões, identificar quantidade de pessoas para realização da atividade turística, auxiliar clientes/pessoas no manuseio dos peixes (retirar da água, retirar anzol...), indicar locais propícios para pesca, demonstrar capacidade de liderança, operar equipamentos para realização de atividades turísticas, alertar clientes/pessoas sobre a execução dos procedimentos de segurança, demonstrar capacidade de trabalhar em equipe, interpretar condições climáticas, lavar os equipamentos após o uso, verificar as condições de uso dos equipamentos de segurança, definir roteiros, demonstrar capacidade de organização, fornecer informações detalhadas sobre uma atividade turística específica, auxiliar clientes/pessoas na seleção do equipamento de pesca, demonstrar os procedimentos a serem adotados durante a realização da atividade, realizar pequenos reparos em equipamentos, monitorar clientes/pessoas na utilização de equipamentos de orientação (bússolas, gps, mapas...), elaborar agenda, orientar clientes/pessoas sobre as questões relativas à conservação do meio ambiente, demonstrar capacidade de interagir com pessoas, dividir grupos de acordo com a atividade contratada (capacidade do equipamento/local), divulgar serviços turísticos (e-mail, redes sociais, revistas especializadas...), utilizar epi e epc, providenciar iscas vivas, selecionar locais propícios à pesca, acondicionar equipamentos, demonstrar iniciativa, apresentar as características do lugar/região aos clientes/pessoas, sugerir novos roteiros, rotas e trajetos, verificar as condições e quantidades de equipamentos após o uso, prestar primeiros socorros, providenciar alimentação e bebidas para a atividade contratada, alertar para a presença de animais (ferozes, peçonhentos, insetos...), demonstrar habilidade no trato com pessoas, demonstrar capacidade de comunicação.

Aumento do piso salarial e reajuste 2024 da categoria

O reajuste salarial 2024 para Pirangueiro de Turismo de Pesca ficou em 3.70%, obedecendo os índices de inflação do INPC - Índice Nacional de Preços ao Consumidor no período de um ano, esse é o critério para estipular o piso salarial 2024 e o início das negociações salariais entre o sindicato dos trabalhadores no cargo de Pirangueiro de Turismo de Pesca e os sindicatos patronais.

Em algumas localidades houve aumento real do salário, ou seja, acima do índice de correção salarial e acima até mesmo do reajuste médio da categoria dos Condutores de turismo que ficou em 3.70% para 2024.

Uma observação importante é que nem sempre o aumento salarial do Pirangueiro de Turismo de Pesca em 2024 está atrelado a acordos e convenções coletivas, o salário base pode ser estipulado de acordo com o salário mínimo 2024 ou o piso salarial mínimo regional se houver.

Reajuste e valor do vale refeição 2024

O reajuste médio do vale refeição 2024 para Pirangueiro de Turismo de Pesca ficou em 5.30% de acordo com acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios registrados no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho do SRT - Subsecretaria de Relações do Trabalho.

Com isso o valor médio do vale refeição para 2024 observado em instrumentos coletivos de todo Brasil ficou em R$ 26,00 por dia efetivamente trabalhado.

Como é feito o cálculo dos reajustes e pisos salariais dos Condutores de turismo 2024

O salário de Pirangueiro de Turismo de Pesca mostrado aqui é resultado do levantamento de 85 salários em admissões de empresas de todo o Brasil em 2024, além de dissídios, convenções e acordos coletivos da categoria em sindicatos nacionais ou regionais de Condutores de turismo que foram registrados no sistema Mediador da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, que registra os instrumentos coletivos.

Encontre o seu estado logo abaixo e saiba quanto ganha um Pirangueiro de Turismo de Pesca com salários atualizados em 2024. A ordem dos salários obedece a sigla dos estados em ordem alfabética. Confira:

Dissídio salarrial de Pirangueiro de Turismo de Pesca CBO 511510 salário

Valor do salário na CCT 2024 de Pirangueiro de Turismo de Pesca em todos os estados

Dados de dissídios coletivos para Pirangueiro de Turismo de Pesca por estado
UF Jornada Piso Média Teto Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
Mato Grosso do Sul 44h 1.348,56 1.400,83 1.976,89 6,37 5.60%
Mato Grosso 44h 1.996,07 2.073,43 2.926,09 9,42 6.80%
São Paulo 44h 2.776,40 2.884,00 4.069,99 13,11 5.50%

Fonte: Dados CAGED, PNAD e instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego que mencionem a profissão de Pirangueiro de Turismo de Pesca.

Dissídio de Pirangueiro de Turismo de Pesca por cidade

Quanto ganha um Pirangueiro de Turismo de Pesca nas principais cidades

Salários segundo dados do CAGED e instrumentos coletivos registrados que citem a profissão de Pirangueiro de Turismo de Pesca na localidade
Cidade Carga Horária Piso Salarial Média Salarial Maior Salário Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
Corumbá, MS 44 1.337,21 1.389,03 1.960,24 6,31 4.40%
Paranaita, MT 44 2.012,82 2.090,83 2.950,65 9,50 5.70%

Os valores de piso salarial e porcentagem de dissídio referem-se a média observada em instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego com abrangência na cidade ou na região e que citem a profissão de Pirangueiro de Turismo de Pesca. Instrumentos coletivos: Acordos, convenções ou dissídios coletivos.

Empresas que mais contratam Pirangueiro de Turismo de Pesca no Brasil

Pisos salariais por setores das empresas
Segmento Piso Média Teto Dissídio 2024 (%)
Transporte aquaviário para passeios turísticos 1.327,41 1.378,85 1.945,88 6.70%
Hotéis 1.899,34 1.972,95 2.784,29 8.00%
Construção de rodovias e ferrovias 2.722,48 2.828,00 3.990,96 7.90%
Treinamento em desenvolvimento profissional e gerencial 1.310,22 1.361,00 1.920,69 4.60%
Agências de viagens 1.312,97 1.363,86 1.924,72 6.30%
Campings 1.940,78 2.016,00 2.845,04 5.80%
Outras atividades de serviços prestados principalmente às empresas não especificadas anteriormente 1.810,50 1.880,67 2.654,05 8.30%
Comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios 3.369,41 3.500,00 4.939,31 7.40%
Transporte rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudanças, intermunicipal, interestadual e internacional 3.812,25 3.960,00 5.588,47 6.50%
Fonte: Contratações formais indicadas pelas empresas ao sistema Novo CAGED e convenções coletivas patronais.