O dissídio de Pesquisador Botânico 2024 já saiu. Veja aqui o salário mínimo, piso salarial e salário médio em todos os estados, capitais e principais cidades brasileiras de acordo com a convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados em carteira com o CBO 203025 no cargo de Pesquisador Botânico.

Estado com maior salário médio

Amazonas

R$ 32.750,00

(últimos 12 meses)

Estado que mais contrata

São Paulo

41 admissões

(últimos 12 meses)

Cidade com maior salário médio

São Paulo - SP

R$ 6.884,27

Cidade que mais contrata

São Paulo - SP

26 admissões

Descrição sumária do cargo

O colaborador no cargo de Pesquisador em biologia vegetal Desenvolve atividades de pesquisa em biologia vegetal, para identificar, classificar e estudar a estrutura, genética, fisiologia, nutrição, cultura e distribuição de espécies vegetais e os ecossistemas em que estão inseridas Coleta, trata e analisa material biológico, dados e informações, registra resultados de pesquisas.

Gera conhecimentos, aplicando e desenvolvendo métodos e técnicas de medições e observações Elabora, desenvolve e avalia projetos, coordena equipes e divulga os resultados da pesquisa em diferentes meios Pode prestar serviços de assessoria e consultoria técnica e científica e atuar no ensino e extensão universitária, lecionando, planejando cursos e eventos científicos.

Pode especializar-se em áreas específicas da biologia vegetal Cumpre e faz cumprir normas técnicas, normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho e de proteção ao meio ambiente

O que faz um Pesquisador Botânico

O Pesquisador em biologia vegetal desenvolve atividades de pesquisa em biologia vegetal, em meios terrestres e aquáticos, planejando as atividades de pesquisa, definindo metodologia a ser aplicada, coletando material biológico, dados e informações, acondicionando materiais biológicos, armazenando dados e informações, realizando experimentos científicos Programa e usa computadores para registrar, organizar, armazenar, processar e analisar dados e informações, inclusive coletados por sensoriamento remoto.

Analisa resultados de pesquisa científica da diversidade vegetal, formulando hipóteses e avaliando a aplicabilidade de resultados.

Pesquisa diferentes espécies vegetais, para identificar e caracterizar essas espécies e os ecossistemas em que estão inseridas, avaliando as consequências das interações planta-ambiente para a diversidade genética, fisiologia, morfologia, ecologia, origem e diversificação das espécies Descreve a diversidade taxonômica e morfológica das plantas brasileiras e seu potencial para a bioprospecção.

Pesquisa a importância da diversidade vegetal em prover serviços ecossistêmicos, na mitigação de efeitos decorrentes de mudanças climáticas, na contribuição para a produção agrícola, e em como as funções ambientais se recuperam em diferentes sistemas de restauração florestal Elabora projetos de pesquisa em biologia vegetal, identificando o objeto de estudo científico, realizando pesquisa bibliográfica, formulando hipóteses de trabalho, definindo a metodologia a ser aplicada, a equipe de trabalho e os recursos físicos e financeiros.

Avalia a viabilidade técnico-científica do projeto e os preceitos éticos e legais envolvidos e elabora a redação do projeto.

Identifica instituições para financiamento da pesquisa, submetendo o projeto a essas instituições Quando pertinente, obtém licença em instituições governamentais e privadas para a realização do projeto.

Coordena pesquisas em biologia vegetal, selecionando equipe de trabalho, estabelecendo parcerias e colaborações, solicitando e administrando recursos financeiros, organizando atividades de pesquisa, planejando e distribuindo as atividades entre os membros da equipe de trabalho, treinando e orientando a equipe de trabalho.

Pode atuar em equipes multidisciplinares Pode desenvolver pesquisa biológica para governos, empresas de pesquisa, indústrias médicas, farmacêuticas e de alimentos, agronegócio, entre outros Divulga resultados de pesquisa em biologia vegetal, redigindo trabalhos técnicos e científicos para divulgação em meios especializados, inclusive em inglês, submetendo trabalho científico para publicação, apresentando trabalhos em eventos científicos, proferindo palestras, elaborando relatórios técnico-científicos, ministrando cursos e seminários, redigindo e submetendo patentes a registro, escrevendo artigos para sociedade não científica, concedendo entrevistas.

Elabora relatórios técnicos e de pesquisa, comunicando os resultados para as partes interessadas ou para o público em geral Elabora normas e procedimentos técnicos Presta assessoria e consultoria técnica e científica em biologia vegetal, assessorando instituições na solução de problemas técnicos e científicos e na formulação de políticas públicas.

Emite parecer técnico e científico para instituições de fomento à pesquisa, pareceres técnicos e científicos sobre trabalhos submetidos à publicação Avalia monografias, dissertações, teses e cursos.

Desenvolve relações colaborativas entre departamentos ou com organizações externas Pode atuar na área do ensino, planejando aulas, cursos e eventos científicos, elaborando material didático e multimeios, preparando atividades práticas em campo e laboratório, avaliando o desempenho de alunos, divulgando cursos e eventos científicos Pode especializar-se em áreas específicas da biologia vegetal.

Pode atuar em curadoria e conservação, em museus e demais instalações voltadas à biologia vegetal Mantém-se atualizado na sua área de atuação.

Funções do Pesquisador em biologia vegetal

O profissional Pesquisador Botânico deve elaborar projetos de pesquisa em ciências biológicas, comunicar-se, prestar assessoria e consultoria técnica e científica em ciências biológicas, coordenar pesquisas em ciências biológicas, divulgar resultados de pesquisa em ciências biológicas, planejar aulas, cursos e eventos científicos, desenvolver atividades de pesquisa em ciências biológicas, demonstrar competências pessoais.

Condições de trabalho da profissão

Pesquisadores das ciências biológicas trabalham em empresas e instituições de pesquisas públicas ou privadas e em universidades, nas áreas de saúde humana, animal e vegetal e em pesquisa e desenvolvimento. O trabalho é desenvolvido, na maioria das vezes, em equipe multidisciplinar, com supervisão ocasional. Essas equipes são da própria instituição (intrainstitucionais) ou, dependendo do projeto, podem ser formadas por participantes vinculados a mais de uma instituição (interinstitucionais). O vínculo de trabalho mais freqüente é o de assalariado com carteira assinada. Trabalham em horários regulares e podem estar expostos aos efeitos de materiais tóxicos, radiação e risco biológico.

Exigências do mercado de trabalho para a profissão

Atividades exercidas por um Pesquisador em biologia vegetal

Um Pesquisador em biologia vegetal deve demonstrar liderança, realizar experimentos científicos, analisar resultados de pesquisa científica, elaborar relatórios técnico-científicos, assessorar instituições na solução de problemas técnicos e científicos, registrar informações e dados coletados, treinar equipe de trabalho, conceder entrevistas, avaliar projetos de pesquisa em ciências biológicas, obter licença em instituições governamentais e privadas, orçar custos do projeto, coletar dados e informações complementares, submeter projeto às comissões de ética, redigir patentes, trabalhar com objetividade, ministrar cursos e seminários, submeter trabalho científico para publicação, coletar material biológico, estabelecer parcerias e colaborações, definir metodologia, submeter patentes a registro, demonstrar curiosidade científica, demonstrar persistência, evidenciar sociabilidade, demonstrar sensibilidade, realizar pesquisa bibliográfica, trabalhar em equipe, redigir projeto de pesquisa, elaborar normas e procedimentos técnicos, tratar dados e informações, avaliar monografias, dissertações, teses e cursos, desenvolver fluência verbal, demonstrar flexibilidade, avaliar preceitos éticos e legais do projeto, definir estrutura de aulas, cursos e eventos científicos, selecionar equipe de trabalho, armazenar dados, informações e materiais biológicos coletados, coletar dados e informações biológicos e metodológicos, avaliar viabilidade do projeto, identificar objeto de estudo científico, analisar aplicabilidade de resultados, emitir parecer técnico-científico para instituições de fomento à pesquisa, evidenciar criatividade, revelar iniciativa, preparar atividades práticas em campo e laboratório, emitir pareceres técnico-científicos sobre trabalhos submetidos à publicação, elaborar material didático, desenvolver expressão escrita, definir tema de aulas, cursos e eventos científicos, solicitar recursos financeiros, orientar equipe de trabalho, desenvolver raciocínio lógico, desenvolver senso crítico, redigir trabalhos técnicos e científicos para divulgação em meios especializados, proferir palestras, definir nível de aulas, cursos e eventos científicos, apresentar trabalhos em eventos científicos, submeter projeto a instituições para financiamento de pesquisa, escrever artigos para sociedade não científica, identificar instituições para financiamento de pesquisa, administrar recursos financeiros, organizar atividades de pesquisa, divulgar cursos e eventos científicos, planejar atividades de equipe de trabalho, formular hipóteses de trabalho, assessorar instituições em formulação de políticas públicas, organizar dados e informações.

Aumento do piso salarial e reajuste 2024 da categoria

O reajuste salarial 2024 para Pesquisador Botânico ficou em 5.70%, obedecendo os índices de inflação do INPC - Índice Nacional de Preços ao Consumidor no período de um ano, esse é o critério para estipular o piso salarial 2024 e o início das negociações salariais entre o sindicato dos trabalhadores no cargo de Pesquisador Botânico e os sindicatos patronais.

Em algumas localidades houve aumento real do salário, ou seja, acima do índice de correção salarial e acima até mesmo do reajuste médio da categoria dos Pesquisadores das ciências biológicas que ficou em 5.70% para 2024.

Uma observação importante é que nem sempre o aumento salarial do Pesquisador Botânico em 2024 está atrelado a acordos e convenções coletivas, o salário base pode ser estipulado de acordo com o salário mínimo 2024 ou o piso salarial mínimo regional se houver.

Reajuste e valor do vale refeição 2024

O reajuste médio do vale refeição 2024 para Pesquisador Botânico ficou em 5.20% de acordo com acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios registrados no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho do SRT - Subsecretaria de Relações do Trabalho.

Com isso o valor médio do vale refeição para 2024 observado em instrumentos coletivos de todo Brasil ficou em R$ 34,00 por dia efetivamente trabalhado.

Como é feito o cálculo dos reajustes e pisos salariais dos Pesquisadores das ciências biológicas 2024

O salário de Pesquisador Botânico mostrado aqui é resultado do levantamento de 80 salários em admissões de empresas de todo o Brasil em 2024, além de dissídios, convenções e acordos coletivos da categoria em sindicatos nacionais ou regionais de Pesquisadores das ciências biológicas que foram registrados no sistema Mediador da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, que registra os instrumentos coletivos.

Encontre o seu estado logo abaixo e saiba quanto ganha um Pesquisador Botânico com salários atualizados em 2024. A ordem dos salários obedece a sigla dos estados em ordem alfabética. Confira:

Dissídio salarrial de Pesquisador Botânico CBO 203025 salário

Valor do salário na CCT 2024 de Pesquisador Botânico em todos os estados

Dados de dissídios coletivos para Pesquisador Botânico por estado
UF Jornada Piso Média Teto Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo 42h 5.906,82 6.135,75 8.658,96 29,46 4.60%
Minas Gerais 43h 5.185,14 5.386,10 7.601,03 25,17 4.40%

Fonte: Dados CAGED, PNAD e instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego que mencionem a profissão de Pesquisador Botânico.

Dissídio de Pesquisador Botânico por cidade

Quanto ganha um Pesquisador Botânico nas principais cidades

Salários segundo dados do CAGED e instrumentos coletivos registrados que citem a profissão de Pesquisador Botânico na localidade
Cidade Carga Horária Piso Salarial Média Salarial Maior Salário Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo, SP 41 6.627,41 6.884,27 9.715,28 33,90 6.90%

Os valores de piso salarial e porcentagem de dissídio referem-se a média observada em instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego com abrangência na cidade ou na região e que citem a profissão de Pesquisador Botânico. Instrumentos coletivos: Acordos, convenções ou dissídios coletivos.

Empresas que mais contratam Pesquisador Botânico no Brasil

Pisos salariais por setores das empresas
Segmento Piso Média Teto Dissídio 2024 (%)
Pesquisa e desenvolvimento experimental em ciências físicas e naturais 6.449,77 6.699,75 9.454,88 8.10%
Produção de mudas e outras formas de propagação vegetal, certificadas 4.097,85 4.256,67 6.007,14 6.50%
Outras atividades profissionais, científicas e técnicas não especificadas anteriormente 5.070,16 5.266,67 7.432,48 6.40%
Atividades associativas não especificadas anteriormente 8.499,77 8.829,20 12.460,03 8.10%
Serviços de engenharia 6.353,75 6.600,00 9.314,12 4.90%
Atividades de associações de defesa de direitos sociais 2.189,15 2.274,00 3.209,14 8.30%
Locação de mão-de-obra temporária 3.904,02 4.055,33 5.723,01 4.10%
Atividades de apoio à produção florestal 2.406,72 2.500,00 3.528,08 6.20%
Comércio atacadista de defensivos agrícolas, adubos, fertilizantes e corretivos do solo 5.825,23 6.051,00 8.539,35 4.20%
Atividades técnicas relacionadas à engenharia e arquitetura não especificadas anteriormente 5.776,13 6.000,00 8.467,38 6.10%
Agências de publicidade 8.560,71 8.892,50 12.549,36 5.50%
Outras atividades de serviços prestados principalmente às empresas não especificadas anteriormente 3.850,76 4.000,00 5.644,92 6.40%
Cultivo de algodão herbáceo 2.239,21 2.326,00 3.282,52 5.20%
Fabricação de máquinas e equipamentos para a agricultura e pecuária, peças e acessórios, exceto para irrigação 6.684,43 6.943,50 9.798,88 6.50%
Cultivo de outras plantas de lavoura temporária não especificadas anteriormente 3.850,76 4.000,00 5.644,92 8.20%
Construção de rodovias e ferrovias 7.701,51 8.000,00 11.289,84 4.50%
Fabricação de produtos farmoquímicos 3.294,32 3.422,00 4.829,23 7.30%
Cultivo de soja 2.888,07 3.000,00 4.233,69 6.50%
Produção de sementes certificadas de forrageiras para formação de pasto 8.182,86 8.500,00 11.995,46 6.50%
Produção de sementes certificadas, exceto de forrageiras para pasto 1.925,38 2.000,00 2.822,46 5.40%
Fonte: Contratações formais indicadas pelas empresas ao sistema Novo CAGED e convenções coletivas patronais.