Salário de Marcador de Preços 2021 - Reajute salarial atual

Convenção coletiva Marcador de Preços 2021 para todos os estados e capitais brasileiras. Encontre o valor do piso salarial de Marcador de Preços pelo sindicato, bem como o reajuste salarial desse ano e o aumento salarial em todas as principais localidades da profissão CBO 784115.

O dissídio de Marcador de Preços 2021 já saiu. Veja aqui o salário mínimo, piso salarial e salário médio em todos os estados, capitais e principais cidades brasileiras de acordo com a convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados em carteira com o CBO 784115 no cargo de Marcador de Preços.

Categorias profissionais do Marcador de Preços CBO 784115

— Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais.
—— Trabalhadores de funções transversais.
——— Embaladores e alimentadores de produção.
———— Trabalhadores de embalagem e de etiquetagem.

Atividades exercidas por um Marcador de Preços no cargo

preparar máquinas para empacotar e envasar, demonstrar competências pessoais, enfardar produtos, realizar pequenos reparos, preparar local de trabalho, embalar produtos e acessórios manualmente.

Aumento do piso salarial e reajuste 2021 da categoria

O reajuste salarial 2021 para Marcador de Preços ficou em 4.90%, obedecendo os índices de inflação do INPC - Índice Nacional de Preços ao Consumidor no período de um ano, esse é o critério para estipular o piso salarial 2021 e o início das negociações salariais entre o sindicato dos trabalhadores no cargo de Marcador de Preços e os sindicatos patronais.

Em algumas localidades houve aumento real do salário, ou seja, acima do índice de correção salarial e acima até mesmo do reajuste médio da categoria dos Trabalhadores de embalagem e de etiquetagem que ficou em 4.90% para 2021.

Uma observação importante é que nem sempre o aumento salarial do Marcador de Preços em 2021 está atrelado a acordos e convenções coletivas, o salário base pode ser estipulado de acordo com o salário mínimo 2021 ou o piso salarial mínimo regional se houver.

Como é feito o cálculo dos reajustes e pisos salariais dos Trabalhadores de embalagem e de etiquetagem 2021

O salário de Marcador de Preços mostrado aqui é resultado do levantamento de 2120 salários em admissões de empresas de todo o Brasil em 2021, além de dissídios, convenções e acordos coletivos da categoria em sindicatos nacionais ou regionais de Trabalhadores de embalagem e de etiquetagem que foram registrados no sistema Mediador da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, que registra os instrumentos coletivos.

Encontre o seu estado logo abaixo e saiba quanto ganha um Marcador de Preços com salários atualizados em 2021. A ordem dos salários obedece a sigla dos estados em ordem alfabética. Confira:

Dissídio salarrial de Marcador de Preços CBO 784115 salário

Valor do salário no dissídio de Marcador de Preços 2021 em todos os estados

Acre

O salário de Marcador de Preços no Acre de 2021 foi calculado por uma amostragem de 2 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado do Acre é R$ 1.128,60 com uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1045,00.
  • Rio Branco - AC

  • O salário médio na cidade de Rio Branco é R$ 1045,00.
  • Piso salarial 2021: R$ 1045,00.

Alagoas

Não encontramos dados salariais para o estado de Alagoas.

Maceió - AL

Não encontramos dados salariais para a cidade de Maceió.

Amazonas

O salário de Marcador de Preços no Amazonas de 2021 foi calculado por uma amostragem de 3 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado do Amazonas é R$ 1.371,00 com uma jornada de trabalho de 43 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.303,90.
  • Manaus - AM

  • O salário médio na cidade de Manaus é R$ 1.371,00.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.304,72.

Amapá

O salário de Marcador de Preços no Amapá de 2021 foi calculado por uma amostragem de 5 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado do Amapá é R$ 1.103,86 com uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.049,83.
  • Macapá - AP

  • O salário médio na cidade de Macapá é R$ 1.103,86.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.050,50.

Bahia

O salário de Marcador de Preços na Bahia de 2021 foi calculado por uma amostragem de 74 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado da Bahia é R$ 1.419,86 com uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.350,36.
  • Salvador - BA

  • O salário médio na cidade de Salvador é R$ 1.210,40.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.151,88.

Ceará

O salário de Marcador de Preços no Ceará de 2021 foi calculado por uma amostragem de 20 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado do Ceará é R$ 1.162,14 com uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.105,26.
  • Fortaleza - CE

  • O salário médio na cidade de Fortaleza é R$ 1.102,75.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.049,43.

Distrito Federal

O salário de Marcador de Preços no Distrito Federal de 2021 foi calculado por uma amostragem de 22 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o Distrito Federal é R$ 1.191,54 com uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.133,22.
  • Brasília - DF

  • O salário médio na cidade de Brasília é R$ 1.191,54.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.133,93.

Espírito Santo

O salário de Marcador de Preços no Espírito Santo de 2021 foi calculado por uma amostragem de 44 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o Espírito Santo é R$ 1.191,54 com uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.085,38.
  • Vitória - ES

  • O salário médio na capital Vitória é R$ 1045,00.
  • Piso salarial 2021: R$ 1045,00.

Goiás

O salário de Marcador de Preços em Goiás de 2021 foi calculado por uma amostragem de 44 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado de Goiás é R$ 1.629,22 com uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.549,47.
  • Goiânia - GO

  • O salário médio na capital Vitória é R$ 1.305,16.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.242,06.

Maranhão

O salário de Marcador de Preços no Maranhão de 2021 foi calculado por uma amostragem de 17 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado do Maranhão é R$ 1.386,12 com uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.318,27.
  • São Luís - MA

  • O salário médio na capital São Luís é R$ 1.468,00.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.397,03.

Minas Gerais

O salário de Marcador de Preços em Minas Gerais de 2021 foi calculado por uma amostragem de 212 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado de Minas Gerais é R$ 1.228,28 com uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.168,16.
  • Belo Horizonte - MG

  • O salário médio na cidade de Belo Horizonte é R$ 1.237,74.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.177,90.

Mato Grosso do Sul

O salário de Marcador de Preços no Mato Grosso do Sul de 2021 foi calculado por uma amostragem de 43 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado do Mato Grosso do Sul é R$ 1.535,95 com uma jornada de trabalho de 43 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.460,78.
  • Campo Grande - MS

  • O salário médio na cidade de Campo Grande é R$ 1.149,41.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.093,84.

Mato Grosso

O salário de Marcador de Preços no Mato Grosso de 2021 foi calculado por uma amostragem de 172 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado do Mato Grosso é R$ 1.375,22 com uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.307,91.
  • Cuiabá - MT

  • O salário médio na cidade de Cuiabá é R$ 1.356,37.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.290,80.

Pará

O salário de Marcador de Preços na Pará em 2021 foi calculado por uma amostragem de 25 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado do Pará é R$ 1.201,00 para uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.142,22.
  • Balém - PA

  • O salário médio na capital Belém é R$ 1.225,17.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.165,94.

Paraíba

O salário de Marcador de Preços na Paraíba de 2021 foi calculado por uma amostragem de 22 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado da Paraíba é R$ 1.052,30 para uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1045,00.
  • João Pessoa - PB

  • O salário médio na capital João Pessoa é R$ 1.058,48.
  • Piso salarial 2021: R$ 1045,00.

Pernambuco

O salário de Marcador de Preços no Pernambuco de 2021 foi calculado por uma amostragem de 17 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado do Pernambuco é R$ 1.449,29 para uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.378,35.
  • Recife - PE

  • O salário médio na capital Recife é R$ 1.094,32.
  • Piso salarial 2021: R$ 1045,00.

Piauí

O salário de Marcador de Preços no Piauí de 2021 foi calculado por uma amostragem de 4 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado do Piauí é R$ 1.101,79 para uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.047,86.
  • Teresina - PI

  • O salário médio na capital Teresina é R$ 1.190,15.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.132,61.

Paraná

O salário de Marcador de Preços no Paraná de 2021 foi calculado por uma amostragem de 116 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado do Paraná é R$ 1.479,77 para uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.407,34.
  • Curitiba - PR

  • O salário médio na capital Curitiba é R$ 1.405,79.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.337,83.

Rio de Janeiro

O salário de Marcador de Preços no Rio de Janeiro de 2021 foi calculado por uma amostragem de 228 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado do Rio de Janeiro é R$ 1.224,48 para uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.164,55.
  • Rio de Janeiro - RJ

  • O salário médio na cidade do Rio de Janeiro é R$ 1.681,67.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.600,37.

Rio Grande do Norte

O salário de Marcador de Preços no Rio Grande do Norte de 2021 foi calculado por uma amostragem de 4 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado do Rio Grande do Norte é R$ 1.446,60 para uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.375,79.
  • Natal - RN

  • O salário médio na cidade de Natal é R$ 1.045,00.
  • Piso salarial 2021: R$ 1045,00.

Rondônia

O salário de Marcador de Preços em Rondônia de 2021 foi calculado por uma amostragem de 10 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado de Rondônia é R$ 1.419,39 para uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.349,92.
  • Porto Velho - RO

  • O salário médio na cidade de Porto Velho é R$ 1.482,64.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.410,96.

Roraima

Não encontramos dados salariais para o estado de Roraima.

Boa Vista - RR

Não encontramos dados salariais para a cidade de Boa Vista.

Rio Grande do Sul

O salário de Marcador de Preços no Rio Grande do Sul de 2021 foi calculado por uma amostragem de 183 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado do Rio Grande do Sul é R$ 1.437,97 para uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.367,59.
  • Porto Alegre - RS

  • O salário médio na cidade de Porto Alegre é R$ 1.759,83.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.674,75.

Santa Catarina

O salário de Marcador de Preços em Santa Catarina de 2021 foi calculado por uma amostragem de 182 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado de Santa Catarina é R$ 1.441,34 para uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.370,79.
  • Florianópolis - SC

  • O salário médio na cidade de Florianópolis é R$ 1045,00.
  • Piso salarial 2021: R$ 1045,00.

Sergipe

O salário de Marcador de Preços no Sergipe de 2021 foi calculado por uma amostragem de 5 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado de Sergipe é R$ 1.137,20 para uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.081,54.
  • Aracajú - SE

  • O salário médio na cidade de Aracajú é R$ 1045,00.
  • Piso salarial 2021: R$ 1045,00.

São Paulo

O salário de Marcador de Preços em São Paulo de 2021 foi calculado por uma amostragem de 649 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado de São Paulo é R$ 1.627,29 para uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.547,64.
  • São Paulo - SP

  • O salário médio na cidade de São Paulo é R$ 1.727,56.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.644,04.

Tocantins

O salário de Marcador de Preços no Tocantins de 2021 foi calculado por uma amostragem de 17 salários de profissionais contratados e envolvidos em convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio de Marcador de Preços em todo o estado.

  • A média do salário em todo o estado do Tocantins é R$ 1.351,54 para uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.
  • Piso salarial 2021: R$ 1.285,39.
  • Tocantins - TO

  • O salário médio na cidade de Palmas é R$ 1045,00.
  • Piso salarial 2021: R$ 1045,00.

Top 10 segmentos de empresas que mais contratam Marcador de Preços

Setores de empresas que mais contratam Marcador de Preços no momento. Muitas dessas empresas não contratam só Marcador de Preços como também outros profissionais Trabalhadores de embalagem e de etiquetagem.

  1. Confecção de Peças do Vestuário, Exceto Roupas íntimas e as Confeccionadas Sob Medida
  2. Fabricação de Massas Alimentícias
  3. Fabricação de Embalagens de Material Plástico
  4. Preparação e Fiação de Fibras de Algodão
  5. Atividades de Pós-Colheita
  6. Cultivo de Soja
  7. Fabricação de Cosméticos, Produtos de Perfumaria e de Higiene Pessoal
  8. Facção de Peças do Vestuário, Exceto Roupas íntimas
  9. Atividades de Apoio à Agricultura não Especificadas Anteriormente
  10. Fabricação de Calçados de Couro

Aumentos e reajustes de cargos relacionados ao Marcador de Preços