O dissídio de Derrubador de Árvores 2024 já saiu. Veja aqui o salário mínimo, piso salarial e salário médio em todos os estados, capitais e principais cidades brasileiras de acordo com a convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados em carteira com o CBO 632120 no cargo de Derrubador de Árvores.

Estado com maior salário médio

Roraima

R$ 2.145,56

(últimos 12 meses)

Estado que mais contrata

Minas Gerais

5.507 admissões

(últimos 12 meses)

Cidade com maior salário médio

Brasnorte - MT

R$ 3.608,76

Cidade que mais contrata

São Paulo - SP

881 admissões

Descrição sumária do cargo

O colaborador no cargo de Operador de motosserra opera motosserras - de portes e potências diversas - para extração florestal, em projetos agroflorestais e de manejo florestal sustentável Demarca áreas de extração de madeira em floresta.

Pode movimentar a madeira extraída para os pátios reservados de carregamento Prepara, abastece, regula e mantém motosserra e instrumentos auxiliares de corte Cumpre procedimentos estabelecidos pelo manejo, normas regulamentadoras do Serviço Florestal Brasileiro e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho, de prevenção de incêndios e de preservação ambiental.

O que faz um Derrubador de Árvores

O Operador de motosserra demarca áreas de extração de madeira em floresta, respeitando o manejo florestal e guiando-se por mapa fornecido pela equipe de planejamento da extração Trabalha em equipe e pode contar com ajudante, para realização das atividades.

Realiza avaliação visual da qualidade e do aproveitamento do tronco da árvore, verificando se não tem rachadura, podridão ou outro defeito natural.

Examina se a árvore é portadora de ninho de pássaro ameaçado de extinção ou outro fator que possa impedir sua derrubada Executa o teste de oco, detectando a existência e a dimensão de ocos e podridões, para decisão sobre a árvore ser derrubada ou descartada.

Prepara trilhas de arraste, bem como trilha de escape, para o caso de a árvore pender para lado não planejado Identifica pontos de corte para facilitar o arraste.

Realiza os cortes direcional e de abate das árvores marcadas, utilizando motosserra, cunhas e outros instrumentos de corte.

Desgalha as árvores Corta as árvores em toras.

Organiza e acondiciona toras e galhos cortados, seguindo o plano de derrubada.

Pode usar equipamentos e veículos mecanizados de colheita florestal, para movimentar a madeira extraída com destino aos pátios reservados de carregamento de caminhões, tratores, vagões ou embarcações Prepara, abastece, regula e mantém motosserra e instrumentos auxiliares de corte – como cunhas, foices, machados, entre outros -, realizando manutenção preventiva-operacional Mantém equipamentos e instrumentos de trabalho organizados e acondicionados.

Zela pela segurança, identificando áreas com riscos de incêndios e de ataques por animais, sinalizando locais com risco de acidentes, e utilizando Equipamentos de Proteção Individual (EPI), tais como bota com bico de aço, capacete com viseira, protetor auricular e colete de sinalização Pode apagar incêndios em florestas Prepara e porta maleta de pronto socorro, podendo prestar ajuda em caso de acidentes.

.

Funções do Operador de motosserra

O profissional Derrubador de Árvores deve reflorestar Áreas, transportar Árvores, toras e toretes, realizar medições, inventariar florestas, empregar medidas de segurança, condicionar solo para plantio, demonstrar competências pessoais, extrair madeira.

Condições de trabalho da profissão

Extrativistas e reflorestadores de espécies produtoras de madeira atuam em empresas de extração e beneficiamento de madeira e seus derivados como empregados com carteira assinada. Organizam-se em equipe, como supervisão permanente, no horário diurno e a céu aberto. Todos estão sujeitos à variação climática e o operador de motosserra trabalha em posição desconfortável e exposto a ruído intenso.

Exigências do mercado de trabalho para a profissão

Atividades exercidas por um Operador de motosserra

Um Operador de motosserra deve localizar formigueiros, capinar mato, enfileirar restos de galhos entre leiras, marcar terreno, afiar corrente de motosserra, dar prova de coragem, sinalizar árvores selecionadas, demonstrar senso de direção, desgalhar árvores, treinar colegas de trabalho, trabalhar em equipe, cortar árvores em toras, coletar amostras de solo, selecionar árvores dominantes, relatar ocorrências de incêndios, pragas, desmatamentos e intempéries, regular equipamentos, descascar toras, indicar áreas de derrubada de árvores com placas de advertência, examinar planta topográfica, atentar para detalhes, observar direção de vento, identificar áreas de extração, detectar riscos de acidentes, selecionar árvores grossas, médias e finas, separar madeira conforme utilização, anotar medidas coletadas, plantar mudas de árvores, covear terreno, apagar incêndios em florestas, acondicionar toras e toretes, descarregar árvores, toras e toretes em caminhões, balsas, vagões e jangadas, observar presença de ganchos em toras, registrar treinamento de colegas, dar prova de resistência física, classificar toras conforme diâmetro e comprimento, fertilizar solo, amarrar cabos de aço em pilhas e toras, marcar pontos de cortes em árvores, empilhar árvores, toras e toretes, conferir inclinação de árvores, demonstrar raciocínio quantitativo, baldear toras e toretes de campo para estrada, roçar vegetação nativa, separar roletes de madeira, cubar toras e toretes, conferir distâncias entre equipes em áreas de extração, medir pilhas de árvores, toras e toretes baldeados, guardar equipamentos, derrubar árvores mapeadas, aceirar plantações, replantar mudas em covas não plantadas, amolar foice e machadinha, carregar árvores, toras e toretes em caminhões, balsas, vagões e jangadas, limpar pilhas de toras e toretes.

Aumento do piso salarial e reajuste 2024 da categoria

O reajuste salarial 2024 para Derrubador de Árvores ficou em 6.10%, obedecendo os índices de inflação do INPC - Índice Nacional de Preços ao Consumidor no período de um ano, esse é o critério para estipular o piso salarial 2024 e o início das negociações salariais entre o sindicato dos trabalhadores no cargo de Derrubador de Árvores e os sindicatos patronais.

Em algumas localidades houve aumento real do salário, ou seja, acima do índice de correção salarial e acima até mesmo do reajuste médio da categoria dos Extrativistas e reflorestadores de espécies produtoras de madeira que ficou em 6.10% para 2024.

Uma observação importante é que nem sempre o aumento salarial do Derrubador de Árvores em 2024 está atrelado a acordos e convenções coletivas, o salário base pode ser estipulado de acordo com o salário mínimo 2024 ou o piso salarial mínimo regional se houver.

Reajuste e valor do vale refeição 2024

O reajuste médio do vale refeição 2024 para Derrubador de Árvores ficou em 8.20% de acordo com acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios registrados no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho do SRT - Subsecretaria de Relações do Trabalho.

Com isso o valor médio do vale refeição para 2024 observado em instrumentos coletivos de todo Brasil ficou em R$ 21,00 por dia efetivamente trabalhado.

Como é feito o cálculo dos reajustes e pisos salariais dos Extrativistas e reflorestadores de espécies produtoras de madeira 2024

O salário de Derrubador de Árvores mostrado aqui é resultado do levantamento de 25836 salários em admissões de empresas de todo o Brasil em 2024, além de dissídios, convenções e acordos coletivos da categoria em sindicatos nacionais ou regionais de Extrativistas e reflorestadores de espécies produtoras de madeira que foram registrados no sistema Mediador da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, que registra os instrumentos coletivos.

Encontre o seu estado logo abaixo e saiba quanto ganha um Derrubador de Árvores com salários atualizados em 2024. A ordem dos salários obedece a sigla dos estados em ordem alfabética. Confira:

Dissídio salarrial de Derrubador de Árvores CBO 632120 salário

Valor do salário na CCT 2024 de Derrubador de Árvores em todos os estados

Dados de dissídios coletivos para Derrubador de Árvores por estado
UF Jornada Piso Média Teto Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
Minas Gerais 43h 1.577,35 1.638,48 2.312,28 7,55 4.40%
São Paulo 44h 1.707,77 1.773,96 2.503,47 8,09 8.20%
Pará 43h 1.786,06 1.855,29 2.618,24 8,54 5.30%
Paraná 44h 1.776,67 1.845,53 2.604,47 8,42 5.60%
Santa Catarina 44h 1.745,71 1.813,37 2.559,08 8,26 5.00%
Mato Grosso 44h 1.921,17 1.995,62 2.816,28 9,10 5.00%
Maranhão 44h 1.376,52 1.429,87 2.017,88 6,53 4.10%
Rio Grande do Sul 44h 1.648,31 1.712,20 2.416,30 7,81 5.00%
Bahia 44h 1.718,81 1.785,42 2.519,64 8,16 4.20%
Goiás 44h 1.626,16 1.689,19 2.383,83 7,76 6.30%
Mato Grosso do Sul 44h 1.596,93 1.658,82 2.340,98 7,61 4.60%
Rio de Janeiro 43h 1.655,57 1.719,73 2.426,94 7,97 7.00%
Rio Grande do Norte 44h 1.784,04 1.853,18 2.615,27 8,43 6.90%
Espírito Santo 43h 1.542,26 1.602,03 2.260,84 7,50 6.00%
Rondônia 44h 1.754,42 1.822,42 2.571,85 8,32 4.20%
Amapá 44h 1.789,45 1.858,80 2.623,20 8,46 5.70%
Piauí 43h 1.634,34 1.697,68 2.395,81 7,81 4.70%
Ceará 44h 1.945,13 2.020,51 2.851,41 9,20 5.50%
Amazonas 44h 1.760,60 1.828,83 2.580,91 8,36 8.10%
Pernambuco 43h 1.610,51 1.672,93 2.360,88 7,71 7.70%
Tocantins 44h 1.567,95 1.628,72 2.298,50 7,41 5.20%
Acre 44h 1.899,55 1.973,18 2.784,61 8,98 4.20%
Paraíba 44h 1.726,71 1.793,63 2.531,23 8,17 5.90%
Distrito Federal 44h 1.562,59 1.623,15 2.290,64 7,44 6.90%
Roraima 44h 2.065,50 2.145,56 3.027,87 9,77 6.00%
Alagoas 44h 1.641,69 1.705,32 2.406,59 7,79 4.80%
Sergipe 44h 1.458,79 1.515,33 2.138,48 6,89 7.90%

Fonte: Dados CAGED, PNAD e instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego que mencionem a profissão de Derrubador de Árvores.

Dissídio de Derrubador de Árvores por cidade

Quanto ganha um Derrubador de Árvores nas principais cidades

Salários segundo dados do CAGED e instrumentos coletivos registrados que citem a profissão de Derrubador de Árvores na localidade
Cidade Carga Horária Piso Salarial Média Salarial Maior Salário Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo, SP 44 1.722,48 1.789,24 2.525,03 8,15 8.00%
João Pinheiro, MG 44 1.519,04 1.577,91 2.226,79 7,19 7.70%
Belém, PA 43 1.806,53 1.876,55 2.648,24 8,75 5.80%
Natal, RN 44 1.737,81 1.805,16 2.547,50 8,21 5.50%
Araraquara, SP 44 1.482,45 1.539,90 2.173,15 7,00 5.80%
Paragominas, PA 44 1.700,32 1.766,22 2.492,54 8,04 6.90%
Grajau, MA 44 1.332,04 1.383,67 1.952,67 6,29 5.00%
Rio de Janeiro, RJ 44 1.718,38 1.784,98 2.519,02 8,20 6.90%
Santarém, PA 44 1.774,44 1.843,21 2.601,19 8,39 6.90%
Montes Claros, MG 44 1.388,88 1.442,70 2.035,99 6,59 4.50%
Aparecida do Taboado, MS 43 1.689,30 1.754,77 2.476,38 8,17 7.20%
Curitiba, PR 44 1.955,18 2.030,96 2.866,15 9,23 7.10%
Itapeva, SP 44 1.555,10 1.615,37 2.279,66 7,35 7.10%
Tome-Acu, PA 43 1.542,93 1.602,73 2.261,82 7,40 8.10%
Fortaleza, CE 44 1.990,75 2.067,90 2.918,29 9,41 7.50%
Mazagão, AP 44 1.655,34 1.719,50 2.426,60 7,82 6.40%
Belo Horizonte, MG 44 1.783,54 1.852,67 2.614,54 8,46 4.70%
Contagem, MG 43 1.936,91 2.011,98 2.839,37 9,29 5.90%
Manaus, AM 44 1.755,38 1.823,41 2.573,25 8,36 4.30%
Porto Alegre, RS 44 1.469,02 1.525,96 2.153,48 6,94 6.10%
Ibaiti, PR 44 1.569,92 1.630,77 2.301,39 7,41 7.10%
Olhos D Agua, MG 43 1.375,87 1.429,20 2.016,92 6,58 7.90%
Balsas, MA 44 1.373,14 1.426,36 2.012,92 6,48 5.10%
Sinop, MT 44 1.976,98 2.053,60 2.898,10 9,33 5.00%
Martinho Campos, MG 43 1.507,90 1.566,34 2.210,47 7,29 5.90%
Caçador, SC 44 1.775,20 1.844,00 2.602,31 8,45 5.80%
General Carneiro, PR 44 1.990,82 2.067,98 2.918,40 9,40 8.10%
Pedra Branca do Amapari, AP 44 1.955,44 2.031,22 2.866,52 9,23 7.80%
Colniza, MT 44 1.903,81 1.977,60 2.790,84 8,99 4.30%
Curvelo, MG 42 1.492,47 1.550,32 2.187,85 7,35 6.80%

Os valores de piso salarial e porcentagem de dissídio referem-se a média observada em instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego com abrangência na cidade ou na região e que citem a profissão de Derrubador de Árvores. Instrumentos coletivos: Acordos, convenções ou dissídios coletivos.

Empresas que mais contratam Derrubador de Árvores no Brasil

Pisos salariais por setores das empresas
Segmento Piso Média Teto Dissídio 2024 (%)
Atividades de apoio à produção florestal 1.609,04 1.671,40 2.358,73 4.80%
Extração de madeira em florestas plantadas 1.632,13 1.695,39 2.392,58 8.10%
Produção de carvão vegetal - florestas plantadas 1.431,58 1.487,07 2.098,59 4.50%
Construção de estações e redes de distribuição de energia elétrica 1.952,91 2.028,60 2.862,82 5.50%
Construção de rodovias e ferrovias 1.718,10 1.784,69 2.518,61 6.90%
Transporte rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudanças, intermunicipal, interestadual e internacional 1.680,90 1.746,04 2.464,07 7.00%
Serviços de engenharia 1.801,29 1.871,11 2.640,56 7.50%
Construção de edifícios 1.871,50 1.944,04 2.743,48 7.70%
Comércio varejista de madeira e artefatos 1.635,62 1.699,01 2.397,70 4.90%
Obras de terraplenagem 1.870,68 1.943,19 2.742,28 5.00%
Serviço de preparação de terreno, cultivo e colheita 1.564,73 1.625,38 2.293,78 6.20%
Atividades paisagísticas 1.599,34 1.661,33 2.344,52 7.80%
Extração de madeira em florestas nativas 1.953,45 2.029,16 2.863,62 5.40%
Comércio atacadista de madeira e produtos derivados 1.718,45 1.785,05 2.519,12 7.70%
Cultivo de eucalipto 1.628,35 1.691,47 2.387,05 7.20%
Serviço de poda de árvores para lavouras 1.524,48 1.583,56 2.234,77 4.60%
Manutenção de redes de distribuição de energia elétrica 1.637,50 1.700,96 2.400,45 7.50%
Transporte rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudanças, municipal 1.597,98 1.659,91 2.342,52 6.50%
Atividades de apoio à agricultura não especificadas anteriormente 1.663,74 1.728,22 2.438,91 6.50%
Atividades de limpeza não especificadas anteriormente 1.560,80 1.621,29 2.288,01 6.70%
Fonte: Contratações formais indicadas pelas empresas ao sistema Novo CAGED e convenções coletivas patronais.