O dissídio de Coordenador de Obras (construção Civil) 2024 já saiu. Veja aqui o salário mínimo, piso salarial e salário médio em todos os estados, capitais e principais cidades brasileiras de acordo com a convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados em carteira com o CBO 141305 no cargo de Coordenador de Obras (construção Civil).

Estado com maior salário médio

Pará

R$ 10.915,46

(últimos 12 meses)

Estado que mais contrata

São Paulo

2.950 admissões

(últimos 12 meses)

Cidade com maior salário médio

Itaituba - PA

R$ 21.101,81

Cidade que mais contrata

São Paulo - SP

1.174 admissões

Descrição sumária do cargo

O colaborador no cargo de Gerente de produção e operações da construção civil e obras públicas planeja, organiza, coordena e controla as atividades operacionais e de produção de construção civil e obras públicas de empresa, sob a direção de um diretor ou gerente geral Define as técnicas construtivas, os métodos para lidar com novos materiais, as normas e os critérios de aceitação de serviços.

Realiza a entrega de obra, supervisionando o processo de vistoria Avalia resultados, cotejando o executado com o planejado Controla custos, prazos, qualidade e produtividade dos serviços de obra pública ou civil.

Administra força de trabalho e recursos materiais e financeiros Pode utilizar CAD-Desenho Assistido por Computador (Computer Aided Design) e BIM-Modelagem da Informação da Construção (Building Information Modeling) Cumpre legislação, normas técnicas, normas de qualidade e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho e de preservação ambiental.

O que faz um Coordenador de Obras (construção Civil)

O Gerente de produção e operações da construção civil e obras públicas presta assistência à direção da empresa de construção civil e obras públicas, durante a elaboração de plano estratégico e a negociação de metas de produção do planejamento tático Participa da elaboração de projetos de obras pública e civil - inclusive com uso de ferramentas de CAD-Desenho Assistido por Computador (Computer Aided Design) - e de seus orçamentos.

Realiza o planejamento de obras, a partir da análise de projetos, contratos e orçamentos, observando legislação relacionada à área.

Elabora cronogramas físico-financeiros Define o histograma de utilização da força de trabalho.

Define disposição física do canteiro de obras, contemplando a possibilidade de nele realizar as montagens das estruturas pré-fabricadas ou modulares, produzidas fora do local de construção (“off-site”) Pode utilizar ferramentas tecnológicas para levantamentos de campo, para auxiliar no planejamento e no gerenciamento de obras.

Organiza as atividades das equipes de produção e operação, garantindo que todas as tarefas, as operações e os processos sigam os procedimentos estabelecidos, com o objetivo de maximizar os resultados.

Define as técnicas construtivas, de acordo com o projeto de cada obra, considerando as soluções para os desafios tecnológicos inerentes às grandes obras de edificações, a complexidade e o uso de alta tecnologia na engenharia civil, os desenvolvimentos tecnológicos que permitem avançados métodos para construção de fundações e superestrutura, e os projetos de estrutura civis energeticamente eficientes e ambientalmente saudáveis Ainda, define os métodos para lidar com novos materiais, como os aplicados nas estruturas metálicas, os geossintéticos à base de polímeros, entre outros.

Define normas e critérios de aceitação de serviços.

Gerencia a execução de obra pública ou civil, mobilizando o canteiro de obras, orientando tecnicamente os subordinados e contratando serviços técnicos Coordena interfaces com terceiros e empresas consorciadas Gerencia contrato e projeto de obras pública ou civil, observando conformidade de especificações e de prazos.

No gerenciamento de contrato de obras, coordena modificações solicitadas pelo cliente e alterações de projeto durante a obra e participa da elaboração de aditivos ou alterações contratuais em razão de serviços extras Aprova medições de serviços Controla custos, prazos, qualidade e produtividade dos serviços de obra pública ou civil.

Avalia fornecedores Avalia resultados, cotejando o executado com o planejado.

Realiza a entrega de obra, supervisionando o processo de vistoria, a elaboração da documentação denominada “como construído” (“as built”), a elaboração de manual do empreendimento e a vistoria final da obra Obtém os termos de recebimento provisório e definitivo de obra Pode utilizar dos recursos de BIM-Modelagem da Informação da Construção (Building Information Modeling).

Desmobiliza o canteiro de obras Administra pessoal, definindo admissões e demissões Avalia desempenho, autoriza promoções e identifica necessidade de capacitação de integrantes das equipes.

Promove programas de treinamento, inclusive sobre saúde e segurança no trabalho Administra recursos financeiros e materiais Acompanha orçamento de obras.

Aprova especificações de materiais e equipamentos Programa compra de materiais Aprova compra ou locação de equipamentos Negocia e administra relações com fornecedores Estabelece interface com setores internos e com clientes e fornecedores externos.

Conduz reuniões de trabalho e acompanha auditorias Mantém a limpeza, a higiene e a organização de materiais em canteiro de obras Atua para preservação do meio ambiente, adotando soluções de engenharia capazes de reduzir a emissão de carbono e outros poluentes, em operações de obras pública e civil Promove a adequação do canteiro de obras às normas de segurança.

Funções do Gerente de produção e operações da construção civil e obras públicas

O profissional Coordenador de Obras (construção Civil) deve entregar obras, demonstrar competências pessoais, suprir obras, planejar obras, gerenciar contratos de obras, administrar pessoal, promover segurança das obras, executar obras, controlar obras.

Condições de trabalho da profissão

Gerentes de obras em empresa de construção a construção civil adota, regra geral, gestão por projetos, onde os gerentes de obras desempenham atividades de controle, de suprimentos, de pessoal, de planejamento etc. Geralmente, estão subordinados à diretoria e são responsáveis por uma ou mais obras. Em cada obra existem engenheiros supervisores residentes, administrativos etc. O número de supervisores varia em função do porte da obra. Em grandes empresas pode existir mais de um gerente de obras, como também pode haver um nível de alta gerência (diretores) ou gerência regional.

Exigências do mercado de trabalho para a profissão

Atividades exercidas por um Gerente de produção e operações da construção civil e obras públicas

Um Gerente de produção e operações da construção civil e obras públicas deve auditorar documentação legal de pessoal próprio e de terceiros, coordenar alterações do projeto durante obra, elaborar cronogramas físico-financeiros, demonstrar sensatez, programar compras de materiais, contratar serviços técnicos, promover contratação de funcionários, analisar contratos, definir normas e critérios de aceitação de serviços, elaborar relatórios gerenciais para diretoria, avaliar fornecedores, analisar avaliação de desempenho de funcionários, demonstrar capacidade de negociação, analisar projetos, promover motivação do pessoal, negociar com fornecedores, acompanhar planejado ´versus´ executado, otimizar produção, definir histograma de utilização de mão-de-obra e equipamentos, definir disposição física do canteiro de obras, controlar custos, definir técnicas construtivas, controlar qualidade de serviços, orientar tecnicamente os subordinados, avaliar resultados, promover limpeza e higiene dos canteiros de obra, supervisionar processo de vistoria dos órgãos competentes, adequar canteiro de obras às normas de segurança, discernir situações, supervisionar elaboração do manual do empreendimento, obter termos de recebimento provisório e definitivo de obras, analisar orçamento, mobilizar canteiro de obras, autorizar promoções de funcionários, aprovar especificações de materiais e equipamentos, participar da elaboração do projeto, controlar prazos dos serviços, administrar conflitos com fornecedores, demonstrar senso de organização, formular incentivos de produtividade, coordenar interfaces com terceiros, controlar produtividade dos serviços, aprovar medições de serviços, detectar necessidades de treinamento de mão- de-obra, coordenar prestação de contas ao cliente, promover desligamento de funcionários, desmobilizar canteiro de obras, gerar aditivos e ou alterações para serviços extra - contratuais, observar legislações relacionadas à obra, gerenciar fornecedores de materiais e serviços, orçar obras, coordenar modificações solicitadas pelo cliente, programar compra e locação de equipamentos, atender clientes, garantir segurança pessoal e coletiva, coordenar interfaces com empresas consorciadas, trabalhar em equipe, demonstrar versatilidade, aprovar compras, exercer liderança, tomar iniciativa, supervisionar vistoria final da obra, elaborar proposta para administração de obras em consórcios, acompanhar orçamento, supervisionar realização de exames médicos ocupacionais, supervisionar elaboração de ´como construído´ (as built).

Aumento do piso salarial e reajuste 2024 da categoria

O reajuste salarial 2024 para Coordenador de Obras (construção Civil) ficou em 7.50%, obedecendo os índices de inflação do INPC - Índice Nacional de Preços ao Consumidor no período de um ano, esse é o critério para estipular o piso salarial 2024 e o início das negociações salariais entre o sindicato dos trabalhadores no cargo de Coordenador de Obras (construção Civil) e os sindicatos patronais.

Em algumas localidades houve aumento real do salário, ou seja, acima do índice de correção salarial e acima até mesmo do reajuste médio da categoria dos Gerentes de obras em empresa de construção que ficou em 7.50% para 2024.

Uma observação importante é que nem sempre o aumento salarial do Coordenador de Obras (construção Civil) em 2024 está atrelado a acordos e convenções coletivas, o salário base pode ser estipulado de acordo com o salário mínimo 2024 ou o piso salarial mínimo regional se houver.

Reajuste e valor do vale refeição 2024

O reajuste médio do vale refeição 2024 para Coordenador de Obras (construção Civil) ficou em 6.50% de acordo com acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios registrados no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho do SRT - Subsecretaria de Relações do Trabalho.

Com isso o valor médio do vale refeição para 2024 observado em instrumentos coletivos de todo Brasil ficou em R$ 34,00 por dia efetivamente trabalhado.

Como é feito o cálculo dos reajustes e pisos salariais dos Gerentes de obras em empresa de construção 2024

O salário de Coordenador de Obras (construção Civil) mostrado aqui é resultado do levantamento de 9173 salários em admissões de empresas de todo o Brasil em 2024, além de dissídios, convenções e acordos coletivos da categoria em sindicatos nacionais ou regionais de Gerentes de obras em empresa de construção que foram registrados no sistema Mediador da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, que registra os instrumentos coletivos.

Encontre o seu estado logo abaixo e saiba quanto ganha um Coordenador de Obras (construção Civil) com salários atualizados em 2024. A ordem dos salários obedece a sigla dos estados em ordem alfabética. Confira:

Dissídio salarrial de Coordenador de Obras (construção Civil) CBO 141305 salário

Valor do salário na CCT 2024 de Coordenador de Obras (construção Civil) em todos os estados

Dados de dissídios coletivos para Coordenador de Obras (construção Civil) por estado
UF Jornada Piso Média Teto Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo 44h 7.726,78 8.026,25 11.326,89 36,81 6.40%
Minas Gerais 43h 6.986,34 7.257,11 10.241,45 33,37 8.00%
Rio de Janeiro 43h 10.463,33 10.868,86 15.338,46 50,73 8.20%
Santa Catarina 43h 4.990,41 5.183,82 7.315,56 23,87 7.80%
Paraná 44h 5.317,47 5.523,56 7.795,01 25,32 4.60%
Rio Grande do Sul 44h 6.167,96 6.407,01 9.041,77 29,44 4.90%
Goiás 44h 4.501,56 4.676,03 6.598,95 21,46 6.70%
Pernambuco 43h 5.674,24 5.894,16 8.318,02 27,62 4.70%
Bahia 44h 7.198,18 7.477,16 10.551,99 34,34 8.10%
Pará 43h 10.508,20 10.915,46 15.404,23 50,28 6.80%
Espírito Santo 43h 7.536,25 7.828,33 11.047,58 36,10 4.70%
Mato Grosso 44h 5.568,20 5.784,01 8.162,57 26,39 7.20%
Ceará 43h 7.675,48 7.972,96 11.251,68 37,14 6.80%
Maranhão 43h 5.558,30 5.773,72 8.148,05 27,05 4.90%
Distrito Federal 44h 8.293,08 8.614,50 12.157,04 39,37 6.00%
Mato Grosso do Sul 44h 4.476,92 4.650,43 6.562,83 21,33 5.70%
Sergipe 43h 4.175,58 4.337,41 6.121,08 20,26 5.40%
Rondônia 44h 3.409,56 3.541,70 4.998,16 16,14 6.80%
Rio Grande do Norte 44h 5.882,98 6.110,98 8.624,00 27,82 6.20%
Piauí 44h 6.106,31 6.342,97 8.951,39 28,83 4.50%
Amazonas 44h 5.692,52 5.913,15 8.344,81 27,08 6.60%
Tocantins 44h 5.095,98 5.293,49 7.470,33 24,13 8.10%
Paraíba 44h 3.844,48 3.993,48 5.635,71 18,23 7.00%
Alagoas 44h 6.912,51 7.180,41 10.133,22 32,76 5.70%
Roraima 44h 3.175,92 3.299,01 4.655,66 15,08 7.30%
Acre 44h 2.598,78 2.699,50 3.809,62 12,27 7.10%

Fonte: Dados CAGED, PNAD e instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego que mencionem a profissão de Coordenador de Obras (construção Civil).

Dissídio de Coordenador de Obras (construção Civil) por cidade

Quanto ganha um Coordenador de Obras (construção Civil) nas principais cidades

Salários segundo dados do CAGED e instrumentos coletivos registrados que citem a profissão de Coordenador de Obras (construção Civil) na localidade
Cidade Carga Horária Piso Salarial Média Salarial Maior Salário Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo, SP 44 10.167,66 10.561,73 14.905,03 48,47 8.20%
Belo Horizonte, MG 44 8.528,56 8.859,10 12.502,23 40,59 5.70%
Rio de Janeiro, RJ 42 11.412,48 11.854,79 16.729,84 55,84 4.70%
Recife, PE 42 5.696,55 5.917,33 8.350,71 28,06 4.60%
Goiânia, GO 43 4.418,09 4.589,32 6.476,59 21,15 5.30%
Curitiba, PR 44 5.784,28 6.008,46 8.479,32 27,44 6.60%
Salvador, BA 43 8.918,98 9.264,65 13.074,56 42,79 8.20%
Ribeirão Preto, SP 44 6.539,77 6.793,23 9.586,81 31,17 4.30%
Serra, ES 43 8.096,28 8.410,06 11.868,54 38,68 5.50%
Brasília, DF 44 8.293,08 8.614,50 12.157,04 39,37 5.90%
Fortaleza, CE 42 7.541,83 7.834,13 11.055,76 36,95 7.30%
Porto Alegre, RS 43 8.031,77 8.343,06 11.773,97 38,37 8.20%
Uberlândia, MG 44 5.388,10 5.596,93 7.898,55 25,67 7.40%
Barueri, SP 43 12.485,58 12.969,49 18.302,93 60,46 6.20%
Campinas, SP 44 7.946,13 8.254,10 11.648,43 37,82 8.00%
Bauru, SP 44 8.873,84 9.217,77 13.008,39 42,30 5.40%
Parauapebas, PA 43 10.200,47 10.595,81 14.953,13 49,10 4.30%
Sorocaba, SP 44 6.143,41 6.381,51 9.005,77 29,13 5.20%
Florianópolis, SC 44 5.295,47 5.500,70 7.762,76 25,29 8.20%
Manaus, AM 44 5.505,56 5.718,94 8.070,74 26,20 5.60%
Contagem, MG 44 6.326,69 6.571,89 9.274,45 30,15 6.20%
Cuiabá, MT 44 4.354,53 4.523,30 6.383,41 20,74 7.30%
São Luís, MA 44 6.688,08 6.947,29 9.804,23 31,94 5.40%
Santo André, SP 44 5.853,19 6.080,04 8.580,33 27,73 5.60%
Ipatinga, MG 43 7.129,51 7.405,83 10.451,32 34,07 5.50%
Valinhos, SP 44 2.423,00 2.516,91 3.551,94 11,44 5.40%
Mogi das Cruzes, SP 44 4.555,50 4.732,05 6.678,02 21,51 4.60%
São José dos Campos, SP 44 4.808,65 4.995,02 7.049,13 22,82 5.90%
Campo Grande, MS 43 3.821,14 3.969,24 5.601,51 18,30 6.70%
Nova Lima, MG 44 9.915,39 10.299,68 14.535,22 47,12 7.20%

Os valores de piso salarial e porcentagem de dissídio referem-se a média observada em instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego com abrangência na cidade ou na região e que citem a profissão de Coordenador de Obras (construção Civil). Instrumentos coletivos: Acordos, convenções ou dissídios coletivos.

Empresas que mais contratam Coordenador de Obras (construção Civil) no Brasil

Pisos salariais por setores das empresas
Segmento Piso Média Teto Dissídio 2024 (%)
Construção de edifícios 6.346,00 6.591,95 9.302,76 7.90%
Serviços de engenharia 6.955,60 7.225,18 10.196,39 6.50%
Construção de rodovias e ferrovias 9.775,16 10.154,02 14.329,66 7.00%
Incorporação de empreendimentos imobiliários 7.720,56 8.019,78 11.317,76 7.50%
Obras de montagem industrial 8.223,33 8.542,04 12.054,78 5.50%
Construção de estações e redes de distribuição de energia elétrica 10.964,63 11.389,59 16.073,33 6.10%
Outras obras de engenharia civil não especificadas anteriormente 11.883,88 12.344,47 17.420,88 7.60%
Instalação e manutenção elétrica 5.348,81 5.556,12 7.840,96 8.30%
Obras de alvenaria 2.692,91 2.797,28 3.947,60 8.20%
Obras de terraplenagem 4.839,19 5.026,74 7.093,89 6.10%
Outras obras de acabamento da construção 7.431,32 7.719,33 10.893,75 6.80%
Administração de obras 6.774,51 7.037,07 9.930,93 7.80%
Montagem de estruturas metálicas 8.341,55 8.664,85 12.228,09 6.90%
Instalação de máquinas e equipamentos industriais 5.238,48 5.441,50 7.679,21 6.60%
Serviços combinados de escritório e apoio administrativo 8.601,39 8.934,76 12.609,00 8.00%
Obras de urbanização - ruas, praças e calçadas 4.858,10 5.046,38 7.121,61 4.60%
Serviços especializados para construção 4.838,46 5.025,98 7.092,82 7.00%
Outras obras de instalações em construções não especificadas anteriormente 6.046,23 6.280,56 8.863,32 4.90%
Construção de redes de abastecimento de água, coleta de esgoto e construções correlatas, exceto obras de irrigação 5.505,78 5.719,17 8.071,06 6.80%
Comércio varejista de materiais de construção em geral 4.691,74 4.873,58 6.877,74 8.20%
Fonte: Contratações formais indicadas pelas empresas ao sistema Novo CAGED e convenções coletivas patronais.