O dissídio de Auxiliar de Laboratorista (indústria) 2024 já saiu. Veja aqui o salário mínimo, piso salarial e salário médio em todos os estados, capitais e principais cidades brasileiras de acordo com a convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados em carteira com o CBO 301105 no cargo de Auxiliar de Laboratorista (indústria).

Estado com maior salário médio

Amapá

R$ 3.758,20

(últimos 12 meses)

Estado que mais contrata

São Paulo

4.129 admissões

(últimos 12 meses)

Cidade com maior salário médio

Taboão da Serra - SP

R$ 6.816,97

Cidade que mais contrata

São Paulo - SP

531 admissões

Descrição sumária do cargo

O colaborador no cargo de Técnico de laboratório industrial realiza ensaios físicos, químicos, metalográficos e biológicos para a indústria, efetuando amostragem de materiais, executando a análise e validando os resultados Registra e informa os resultados.

Participa no desenvolvimento de novos produtos e de fornecedores Controla a qualidade da matéria-prima e de produtos acabados e em processo Garante a calibração dos equipamentos utilizados nos ensaios.

Cumpre normas técnicas, procedimentos de qualidade e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho e de preservação ambiental

O que faz um Auxiliar de Laboratorista (indústria)

O Técnico de laboratório industrial organiza as condições para a realização dos ensaios, provendo o laboratório dos materiais de consumo, preparando materiais e equipamentos, selecionando substâncias reagentes, preparando e padronizando soluções para análise Realiza amostragem de materiais, aplicando métodos de amostragem.

Coleta, prepara e preserva amostra, conforme especificações, normas e procedimentos.

Efetua descarte ou reaproveitamento da amostra, conforme procedimentos estabelecidos Realiza os ensaios físicos, químicos, metalográficos e biológicos, interpretando especificações e normas técnicas de ensaios e definindo metodologia de análise.

Executa a análise Monitora e valida resultados obtidos na análise, em bancada ou analisadores em linha.

Registra e informa os resultados.

Participa no desenvolvimento de novos produtos, levantando suas características, auxiliando na sua especificação, realizando testes e monitorando os resultados Organiza a produção em lote-piloto e escala.

Participa na avaliação de novos fornecedores.

Colabora no desenvolvimento de metodologias de análises, pesquisando normas e métodos atualizados, tal como a possibilidade de automação de ensaios com uso de instrumentação computadorizada, redes e ambientes gráficos de programação Testa, otimiza, valida e implementa as metodologias de análise Elabora, testa, revisa e padroniza procedimentos.

Elabora instruções de trabalho Controla a qualidade da matéria-prima e de produtos acabados e em processo, aplicando métodos estatísticos e de metrologia, além de métodos e técnicas normalizadas de análises e ensaios Interpreta resultados e emite relatórios de controle de qualidade.

Participa no sistema da qualidade da empresa, atuando no processo de melhoria contínua, atendendo aos procedimentos definidos pelo sistema de garantia da qualidade, atualizando normas de procedimentos internos de análise, ensaio, processos e produtos, colaborando nas auditorias internas e externas da qualidade, e monitorando a qualidade dos fornecedores Garante a calibração dos equipamentos, monitorando validade de calibração, solicitando manutenção e reparo nos equipamentos e selecionando prestadores de serviços de calibração.

Pode efetuar calibração de equipamentos em laboratórios de calibração credenciados, aplicando métodos específicos, definindo tipo de padrão para calibração, registrando dados de calibração, aplicando normas e critérios de aceitação de calibração, interpretando resultados em relação ao padrão, e realizando manutenção e reparo nos equipamentos Zela pela segurança, utilizando Equipamentos de Proteção Individual (EPI), atuando na prevenção de acidentes e manuseando os materiais de análise com base em normas de segurança Mantém a organização, a limpeza e a higiene no local de trabalho.

Conduz análises para auxiliar no controle de emissões do processo, aplicando procedimentos de descarte e segregação de resíduos de laboratório, pesquisando métodos de recuperação, reciclagem e reaproveitamento, e otimizando métodos de tratamento de resíduos industriais, para minimizar impactos ambientais indesejáveis.

Funções do Técnico de laboratório industrial

O profissional Auxiliar de Laboratorista (indústria) deve participar no desenvolvimento de novos produtos e fornecedores, colaborar no desenvolvimento de metodologias de análises, demonstrar competências pessoais, executar ensaios físicos, químicos, metalográficos e biológicos, controlar a qualidade, participar do sistema da qualidade da empresa, realizar amostragem de materiais, garantir a calibração dos equipamentos, trabalhar segundo normas de segurança, saúde e meio ambiente.

Condições de trabalho da profissão

Técnicos de laboratório industrial o trabalho é exercido em indústrias de extração de petróleo e gás natural, de fabricação de produtos químicos, de metal, têxteis e na construção. Os profissionais são assalariados com carteira assinada. Trabalham de forma individual, sob supervisão permanente, exceto o técnico químico em petróleo que é ocasional. Os profissionais trabalham em ambiente fechado e a céu aberto. O técnico de laboratório de análises físico-químicas (materiais de construção) e o técnico químico em petróleo podem trabalhar em veículos. O horário de trabalho pode ser de turno fixo diurno ou noturno ou, ainda, no regime de rodízio. Em suas atividades, os trabalhadores ficam expostos a materiais tóxicos e inflamáveis, o técnico de laboratório indústrial também fica exposto a altas temperaturas. Trabalho subterrâneo e ruído intenso fazem parte das atividades do técnico de laboratório de análises físico-químicas (materiais de construção), assim como trabalhar em grandes alturas faz parte das atividades do técnico

Exigências do mercado de trabalho para a profissão

Atividades exercidas por um Técnico de laboratório industrial

Um Técnico de laboratório industrial deve respeitar a opinião dos outros, manter a organização, limpeza e higiene no local de trabalho, pesquisar métodos de recuperação, reciclagem e reaproveitamento de resíduos industriais, realizar testes no desenvolvimento de novos produtos, atuar com criatividade, registrar resultados, ler manuais técnicos em idioma estrangeiro, coletar as características exigidas dos novos produtos, preparar amostra conforme normas, efetuar descarte ou reaproveitamento da amostra conforme procedimentos estabelecidos, monitorar qualidade dos fornecedores, solicitar manutenção e reparo nos equipamentos, atuar com responsabilidade técnica, preservar a amostra conforme especificações e procedimentos, selecionar prestadores de serviços de calibração, empregar estatística e metrologia de nível básico, controlar a qualidade de produtos em processos, definir metodologia de análise, emitir os relatórios, trabalhar em equipe, auxiliar na especificação de produtos, otimizar custos do laboratório, minimizar impactos ambientais indesejáveis, preparar soluções para análise, colaborar nas auditorias internas e externas da qualidade, elaborar procedimentos e instruções de trabalho, organizar a produção em escala e lote-piloto, informar os resultados da análise, aplicar recursos de informática como usuário, selecionar padrão de análise para calibração, otimizar métodos de tratamentos de resíduos industriais, participar na avaliação de novos fornecedores, pesquisar normas e métodos atuais de análise, aplicar normas e critérios de aceitação de calibração, testar novas metodologias e procedimentos, conduzir análises para auxiliar no controle de emissões do processo, validar resultados obtidos em bancada ou analisadores em linha, interpretar o resultado, executar a análise, cumprir legislação e normas pertinentes, aplicar métodos e técnicas normalizadas de análises e ensaios, selecionar substâncias reagentes, revisar procedimentos e análises, agir com iniciativa, executar a calibração do equipamento para ensaio, validar metodologia de análise, atualizar normas de procedimentos internos de análise, ensaio, processos e produtos, otimizar metodologias de análises, manusear os materiais de análise, aplicando normas de segurança, registrar dados de calibração, interpretar resultados em relação ao padrão, implementar metodologias de análise, aplicar procedimentos de descarte e segregação de resíduos de laboratório, realizar manutenção e reparo nos equipamentos, monitorar resultados dos testes dos novos produtos, verificar a metodologia de ensaio, controlar a qualidade da matéria-prima, comprometer-se com os resultados da empresa, aplicar método específico de calibração, atuar no processo de melhoria contínua, coletar amostra conforma normas, definir o tipo de padrão para calibração, efetuar a calibração de equipamentos, padronizar procedimentos de análises, preparar materiais e equipamentos para ensaio, atuar como facilitador e multiplicador, atuar na prevenção de acidentes, monitorar validade de calibração de equipamentos, padronizar soluções para análise, aplicar metodologia de amostragem, monitorar resultados obtidos em bancada ou analisadores em linha, interpretar normas técnicas de ensaios e especificações, interpretar resultados da análise conforme especificação, atender aos procedimentos definidos pelo sistema de garantia da qualidade, controlar a qualidade do produto acabado, prover laboratório dos materiais de consumo, utilizar equipamentos de proteção individual estabelecidos em normas.

Aumento do piso salarial e reajuste 2024 da categoria

O reajuste salarial 2024 para Auxiliar de Laboratorista (indústria) ficou em 5.90%, obedecendo os índices de inflação do INPC - Índice Nacional de Preços ao Consumidor no período de um ano, esse é o critério para estipular o piso salarial 2024 e o início das negociações salariais entre o sindicato dos trabalhadores no cargo de Auxiliar de Laboratorista (indústria) e os sindicatos patronais.

Em algumas localidades houve aumento real do salário, ou seja, acima do índice de correção salarial e acima até mesmo do reajuste médio da categoria dos Técnicos de laboratório industrial que ficou em 5.90% para 2024.

Uma observação importante é que nem sempre o aumento salarial do Auxiliar de Laboratorista (indústria) em 2024 está atrelado a acordos e convenções coletivas, o salário base pode ser estipulado de acordo com o salário mínimo 2024 ou o piso salarial mínimo regional se houver.

Reajuste e valor do vale refeição 2024

O reajuste médio do vale refeição 2024 para Auxiliar de Laboratorista (indústria) ficou em 9.50% de acordo com acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios registrados no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho do SRT - Subsecretaria de Relações do Trabalho.

Com isso o valor médio do vale refeição para 2024 observado em instrumentos coletivos de todo Brasil ficou em R$ 33,00 por dia efetivamente trabalhado.

Como é feito o cálculo dos reajustes e pisos salariais dos Técnicos de laboratório industrial 2024

O salário de Auxiliar de Laboratorista (indústria) mostrado aqui é resultado do levantamento de 13118 salários em admissões de empresas de todo o Brasil em 2024, além de dissídios, convenções e acordos coletivos da categoria em sindicatos nacionais ou regionais de Técnicos de laboratório industrial que foram registrados no sistema Mediador da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, que registra os instrumentos coletivos.

Encontre o seu estado logo abaixo e saiba quanto ganha um Auxiliar de Laboratorista (indústria) com salários atualizados em 2024. A ordem dos salários obedece a sigla dos estados em ordem alfabética. Confira:

Dissídio salarrial de Auxiliar de Laboratorista (indústria) CBO 301105 salário

Valor do salário na CCT 2024 de Auxiliar de Laboratorista (indústria) em todos os estados

Dados de dissídios coletivos para Auxiliar de Laboratorista (indústria) por estado
UF Jornada Piso Média Teto Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo 43h 2.807,83 2.916,66 4.116,07 13,57 4.20%
Minas Gerais 43h 2.458,77 2.554,07 3.604,37 11,90 6.80%
Paraná 43h 2.436,22 2.530,64 3.571,31 11,71 7.60%
Santa Catarina 43h 2.703,45 2.808,22 3.963,05 13,05 7.80%
Rio Grande do Sul 43h 2.515,57 2.613,06 3.687,63 12,21 5.50%
Goiás 43h 2.292,25 2.381,09 3.360,27 10,95 4.80%
Rio de Janeiro 42h 2.731,14 2.836,99 4.003,65 13,47 7.90%
Pernambuco 43h 1.934,52 2.009,50 2.835,87 9,45 7.60%
Mato Grosso 44h 2.424,35 2.518,31 3.553,92 11,57 8.20%
Bahia 43h 2.492,73 2.589,34 3.654,15 12,18 4.90%
Mato Grosso do Sul 43h 2.663,50 2.766,73 3.904,50 12,88 6.70%
Espírito Santo 43h 2.271,90 2.359,95 3.330,44 11,09 6.80%
Pará 43h 2.450,09 2.545,04 3.591,64 11,85 5.60%
Ceará 43h 2.571,99 2.671,67 3.770,34 12,30 6.70%
Paraíba 44h 1.603,05 1.665,18 2.349,95 7,59 8.10%
Sergipe 41h 1.690,42 1.755,93 2.478,03 8,49 8.30%
Alagoas 44h 1.847,79 1.919,41 2.708,73 8,73 7.40%
Rio Grande do Norte 43h 1.787,52 1.856,80 2.620,37 8,65 7.40%
Amazonas 43h 2.359,16 2.450,59 3.458,35 11,30 7.80%
Distrito Federal 44h 2.434,35 2.528,70 3.568,58 11,56 6.90%
Maranhão 43h 2.083,03 2.163,76 3.053,56 10,03 7.60%
Piauí 44h 1.960,96 2.036,96 2.874,61 9,31 4.90%
Tocantins 44h 2.708,98 2.813,97 3.971,16 12,79 6.20%
Rondônia 44h 1.868,39 1.940,81 2.738,92 8,88 5.80%

Fonte: Dados CAGED, PNAD e instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego que mencionem a profissão de Auxiliar de Laboratorista (indústria).

Dissídio de Auxiliar de Laboratorista (indústria) por cidade

Quanto ganha um Auxiliar de Laboratorista (indústria) nas principais cidades

Salários segundo dados do CAGED e instrumentos coletivos registrados que citem a profissão de Auxiliar de Laboratorista (indústria) na localidade
Cidade Carga Horária Piso Salarial Média Salarial Maior Salário Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo, SP 42 3.407,21 3.539,26 4.994,71 16,96 5.10%
Rio de Janeiro, RJ 42 2.921,97 3.035,22 4.283,39 14,47 7.20%
Curitiba, PR 43 2.807,41 2.916,21 4.115,45 13,58 4.50%
Belo Horizonte, MG 42 2.719,10 2.824,49 3.986,00 13,41 5.10%
Campinas, SP 41 3.806,88 3.954,43 5.580,60 19,12 7.60%
Joinville, SC 43 2.731,68 2.837,55 4.004,43 13,28 4.90%
São Bernardo do Campo, SP 43 2.976,17 3.091,52 4.362,85 14,23 4.80%
Porto Alegre, RS 43 2.727,12 2.832,82 3.997,75 13,07 7.30%
Jaraguá do Sul, SC 44 2.737,65 2.843,75 4.013,19 13,06 6.60%
Colombo, PR 44 2.457,76 2.553,02 3.602,90 11,60 5.40%
Blumenau, SC 43 2.620,70 2.722,27 3.841,75 12,74 4.70%
Pirassununga, SP 44 2.062,69 2.142,63 3.023,75 9,83 5.40%
Goiânia, GO 42 2.170,28 2.254,39 3.181,46 10,74 4.90%
Recife, PE 41 2.037,37 2.116,33 2.986,63 10,29 6.10%
Sorocaba, SP 43 2.689,86 2.794,11 3.943,13 13,09 5.00%
Manaus, AM 43 2.361,33 2.452,85 3.461,53 11,31 7.40%
Ouro Preto, MG 42 2.374,19 2.466,21 3.480,39 11,61 4.80%
Santa Helena de Goiás, GO 44 1.737,26 1.804,59 2.546,69 8,20 6.70%
Brasília, DF 44 2.434,35 2.528,70 3.568,58 11,56 7.10%
Sertãozinho, SP 43 2.501,60 2.598,55 3.667,15 11,97 8.20%
Guarulhos, SP 43 3.981,25 4.135,55 5.836,22 19,30 5.50%
Serra, ES 43 2.573,96 2.673,72 3.773,23 12,48 5.20%
Serranópolis, GO 44 1.517,23 1.576,03 2.224,14 7,16 4.20%
Santo André, SP 43 2.950,71 3.065,07 4.325,52 14,12 8.30%
Ribeirão Preto, SP 44 2.514,83 2.612,30 3.686,56 11,98 6.80%
Mogi das Cruzes, SP 43 2.316,40 2.406,18 3.395,67 11,24 8.20%
Eusébio, CE 44 3.533,95 3.670,92 5.180,51 16,69 5.00%
Primavera do Leste, MT 42 2.225,77 2.312,04 3.262,82 10,94 8.20%
Laranjeiras, SE 42 1.980,27 2.057,02 2.902,93 9,69 5.50%
Contagem, MG 43 2.713,49 2.818,66 3.977,77 13,06 7.30%

Os valores de piso salarial e porcentagem de dissídio referem-se a média observada em instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego com abrangência na cidade ou na região e que citem a profissão de Auxiliar de Laboratorista (indústria). Instrumentos coletivos: Acordos, convenções ou dissídios coletivos.

Empresas que mais contratam Auxiliar de Laboratorista (indústria) no Brasil

Pisos salariais por setores das empresas
Segmento Piso Média Teto Dissídio 2024 (%)
Fabricação de açúcar em bruto 1.890,53 1.963,80 2.771,38 4.50%
Fabricação de álcool 1.955,99 2.031,80 2.867,34 4.80%
Testes e análises técnicas 2.397,86 2.490,79 3.515,08 7.10%
Fabricação de laticínios 1.957,38 2.033,25 2.869,38 4.40%
Locação de mão-de-obra temporária 2.862,70 2.973,65 4.196,50 7.30%
Outras atividades de ensino não especificadas anteriormente 3.140,47 3.262,19 4.603,70 4.90%
Fabricação de medicamentos alopáticos para uso humano 4.188,48 4.350,81 6.140,00 6.50%
Educação superior - graduação e pós-graduação 2.021,51 2.099,85 2.963,38 8.20%
Educação superior - graduação 2.017,53 2.095,72 2.957,55 6.30%
Construção de rodovias e ferrovias 2.318,88 2.408,76 3.399,31 6.70%
Serviços de engenharia 2.709,00 2.814,00 3.971,20 6.80%
Extração de minério de ferro 2.693,05 2.797,42 3.947,81 6.50%
Fabricação de outros produtos químicos 2.611,45 2.712,66 3.828,19 8.30%
Fabricação de óleos vegetais em bruto, exceto óleo de milho 2.605,90 2.706,90 3.820,06 6.00%
Fabricação de cervejas e chopes 3.260,13 3.386,49 4.779,11 6.50%
Pesquisa e desenvolvimento experimental em ciências físicas e naturais 3.439,83 3.573,15 5.042,54 7.30%
Preparação do leite 2.327,27 2.417,47 3.411,60 7.30%
Laboratórios clínicos 1.820,74 1.891,31 2.669,07 5.00%
Comércio varejista de produtos farmacêuticos, com manipulação de fórmulas 1.782,03 1.851,10 2.612,32 7.50%
Fabricação de cosméticos, produtos de perfumaria e de higiene pessoal 2.412,79 2.506,30 3.536,97 5.80%
Fonte: Contratações formais indicadas pelas empresas ao sistema Novo CAGED e convenções coletivas patronais.