O dissídio de Analista de Telecomunicação 2024 já saiu. Veja aqui o salário mínimo, piso salarial e salário médio em todos os estados, capitais e principais cidades brasileiras de acordo com a convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados em carteira com o CBO 212410 no cargo de Analista de Telecomunicação.

Estado com maior salário médio

Rio de Janeiro

R$ 5.575,66

(últimos 12 meses)

Estado que mais contrata

São Paulo

11.462 admissões

(últimos 12 meses)

Cidade com maior salário médio

Osasco - SP

R$ 9.566,61

Cidade que mais contrata

São Paulo - SP

6.839 admissões

Descrição sumária do cargo

O colaborador no cargo de Analista de redes e de comunicação de dados planeja, projeta e implementa redes de computadores e comunicação de dados computacionais, aplicando conhecimentos de arquitetura de sistemas de computação, sistemas distribuídos, ambiente operacional de rede e segurança da informação, dentre outros dos campos de ciências da computação, de tecnologia de informação e comunicação e afins Concebe redes e comunicação de dados, definindo alternativas físicas de implantação.

Realiza a manutenção de redes e comunicação de dados Pode supervisionar o trabalho de equipes Presta consultoria técnica na área de redes e comunicação de dados.

Dissemina conhecimento e participa de fóruns de discussão na área de tecnologia da informação Elabora documentação técnica de redes e comunicação de dados Cumpre procedimentos, normas técnicas, normas de qualidade e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho e de preservação ambiental.

O que faz um Analista de Telecomunicação

O Analista de redes e de comunicação de dados realiza pesquisa de padrões, técnicas e ferramentas disponíveis no mercado, utilizando estratégias e métodos apropriados, a fim de obter subsídios para projetos e outras atividades relacionadas às redes de computadores e comunicação de dados computacionais (redes e comunicação de dados) Avalia novas tecnologias e compara alternativas tecnológicas.

Analisa funcionalidades e avalia desempenho de produtos já existentes.

Interage com áreas afins Concebe redes e comunicação de dados, consultando documentação técnica e fontes alternativas de informação.

Define alternativas físicas de implantação Planeja redes e comunicação de dados, elaborando estudos de viabilidade técnica e econômica.

Participa do processo de aprovação de infraestrutura e das definições de níveis de segurança.

Define requisitos técnicos para contratação de produtos e serviços Escolhe ferramentas de testes.

Dimensiona requisitos e funcionalidades e especifica a arquitetura de redes.

Avalia propostas de fornecedores Projeta redes e comunicação de dados, detalhando objetivos, arquitetura e topologia de redes, definindo protocolos de comunicação, e descrevendo etapas operacionais requeridas Atua adaptando soluções à necessidade do cliente ou apresentando alternativas de solução.

Elabora propostas técnicas referentes às soluções adotadas Implementa redes e comunicação de dados, utilizando estações de trabalho, “softwares” e outros recursos tecnológicos específicos Aplica conhecimentos de arquitetura de sistemas de computação, sistemas distribuídos, ambiente operacional de rede e segurança da informação, dentre outros dos campos de ciências da computação, de tecnologia da informação e comunicação e afins.

Instala aplicativos, “drivers” e outros tipos de “software” e realiza as configurações pertinentes, inclusive as que dizem respeito aos sistemas operacionais em que os recursos irão funcionar Realiza simulações em ambiente controlado.

Aciona suporte de terceiros, quando necessário Constrói ambientes de teste, elabora casos de testes e testa redes e comunicação de dados, para localizar problemas de servidores, de infraestrutura e instalações, de acesso e de comunicação e corrigir erros Realiza manutenção de redes e comunicação de dados, administrando recursos e ambiente operacional de redes, monitorando desempenho de comunicação de dados, organizando perfil de acesso às informações, e controlando acesso aos dados e aos recursos.

Identifica e corrige falhas e executa revisões técnicas, utilizando equipamentos e “software” de análise de rede Efetua auditoria de redes e comunicação de dados Especifica procedimentos para recuperação de ambiente operacional de redes e comunicação de dados.

Inventaria “hardware” e “software” Presta consultoria técnica na área de redes e comunicação de dados Pode desenvolver aplicações para resolver problemas de compartilhamento de informações entre sistemas dentro de uma organização.

Pode avaliar a utilidade de pacotes de aplicativos já existentes ou em fase de desenvolvimento e adaptá-los a um ambiente operacional específico de redes e comunicação de dados Dissemina conhecimento e participa de fóruns de discussão da área de tecnologia da informação, com focalização em redes e comunicação de dados Pode supervisionar equipe, avaliando seu desempenho Pode ministrar treinamentos sobre redes e comunicação de dados para equipes técnicas e usuários Descreve processos e elabora diagramas, relatórios e outros documentos técnicos de sua área de competência.

Emite pareceres técnicos Documenta SLA–Acordo de Níveis de Serviços (Service Level Agreement) Documenta estrutura, capacidade, desempenho, soluções disponíveis e níveis de serviços de redes e comunicação de dados Mantém instalações em perfeito estado de conservação Atua de modo ecologicamente adequado, adotando equipamentos e métodos de baixo consumo de energia Zela pela saúde e segurança no trabalho, prevenindo acidentes e aplicando recomendações de ergonomia.

Funções do Analista de redes e de comunicação de dados

O profissional Analista de Telecomunicação deve desenvolver sistemas de tecnologia da informação, estabelecer padrões para ambiente de tecnologia da informação, pesquisar inovações em tecnologia da informação, comunicar-se, elaborar documentação de sistemas de tecnologia da informação, oferecer soluções para ambientes de tecnologia da informação, administrar ambiente de tecnologia da informação, prestar suporte técnico ao cliente/usuário, demonstrar competências pessoais.

Condições de trabalho da profissão

Analistas de tecnologia da informação exercem suas atividades em qualquer setor da atividade econômica, tais como a indústria, o comércio, os serviços, a agropecuária ou a administração pública. Podem trabalhar em empresas públicas ou privadas, em geral de médio e grande portes. Seu trabalho se desenvolve, majoritariamente em equipe, de forma cooperativa, com supervisão ocasional. Não há predominância de um tipo de vínculo de trabalho: os profissionais podem ser assalariados ou trabalhador por conta-própria e trabalham em período diurno.

Exigências do mercado de trabalho para a profissão

Atividades exercidas por um Analista de redes e de comunicação de dados

Um Analista de redes e de comunicação de dados deve realizar auditoria de sistemas, desenvolver arquitetura de sistemas e informações, participar da aprovação de infraestrutura, software e rede, avaliar desempenho do produto, especificar procedimentos para recuperação de ambiente operacional, demonstrar capacidade de organização, propor mudanças de processos e funções, demonstrar iniciativa, descrever processos (fluxo de atividades), estabelecer padrões de software, comparar alternativas tecnológicas, administrar perfil de acesso às informações, definir nomenclatura padrão, elaborar especificação técnica, inventariar software e hardware, prestar consultoria técnica, elaborar diagramas (caso de uso, fluxo de dados, mapa de site etc.), planejar testes de sistemas e ambientes, corrigir falhas nos sistemas, apresentar alternativas de solução, executar procedimentos para melhoria de performance dos sistemas, documentar capacidade e performance, avaliar novas tecnologias, orientar áreas de apoio, negociar alternativas com clientes ou fornecedores, montar protótipo dos sistemas, definir metodologias a serem adotadas, participar da definição de níveis de segurança de tecnologia da informação, escolher ferramentas de desenvolvimento, desenvolver raciocínio abstrato, demonstrar capacidade de trabalhar sob pressão, consultar fontes alternativas de informações, adequar soluções a necessidade do cliente, registrar ocorrências, demonstrar flexibilidade, identificar falhas nos sistemas, evidenciar concentração, documentar acordo de níveis de serviço (sla), demonstrar capacidade de antecipar cenário futuro, implantar sistemas, elaborar estudos de viabilidade técnica e econômica, realizar simulações em ambiente controlado, administrar recursos de rede, controlar acesso aos dados e recursos, participar de fóruns de discussão, pesquisar padrões, técnicas e ferramentas disponíveis no mercado, analisar funcionalidade do produto, trabalhar em equipe, administrar ambiente operacional, dimensionar requisitos e funcionalidade dos sistemas, avaliar proposta de fornecedores, definir requisitos técnicos para contratação de produtos e serviços, monitorar performance dos sistemas, demonstrar capacidade de síntese, documentar estrutura da rede, especificar a arquitetura dos sistemas, acionar suporte de terceiros, identificar necessidade do cliente, demonstrar empatia com público-alvo, consultar documentação técnica, divulgar solução, demonstrar criatividade, construir ambiente de teste, definir alternativas físicas de implantação, configurar software e hardware, documentar níveis de serviços, elaborar propostas técnicas comerciais, demonstrar senso analítico, emitir pareceres técnicos, elaborar relatórios técnicos, divulgar documentação, desenvolver raciocínio lógico, instalar software, documentar soluções disponíveis, testar sistemas, desenvolver capacidade de memorização, realizar revisões técnicas.

Aumento do piso salarial e reajuste 2024 da categoria

O reajuste salarial 2024 para Analista de Telecomunicação ficou em 5.20%, obedecendo os índices de inflação do INPC - Índice Nacional de Preços ao Consumidor no período de um ano, esse é o critério para estipular o piso salarial 2024 e o início das negociações salariais entre o sindicato dos trabalhadores no cargo de Analista de Telecomunicação e os sindicatos patronais.

Em algumas localidades houve aumento real do salário, ou seja, acima do índice de correção salarial e acima até mesmo do reajuste médio da categoria dos Analistas de tecnologia da informação que ficou em 5.20% para 2024.

Uma observação importante é que nem sempre o aumento salarial do Analista de Telecomunicação em 2024 está atrelado a acordos e convenções coletivas, o salário base pode ser estipulado de acordo com o salário mínimo 2024 ou o piso salarial mínimo regional se houver.

Reajuste e valor do vale refeição 2024

O reajuste médio do vale refeição 2024 para Analista de Telecomunicação ficou em 9.60% de acordo com acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios registrados no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho do SRT - Subsecretaria de Relações do Trabalho.

Com isso o valor médio do vale refeição para 2024 observado em instrumentos coletivos de todo Brasil ficou em R$ 38,00 por dia efetivamente trabalhado.

Como é feito o cálculo dos reajustes e pisos salariais dos Analistas de tecnologia da informação 2024

O salário de Analista de Telecomunicação mostrado aqui é resultado do levantamento de 25221 salários em admissões de empresas de todo o Brasil em 2024, além de dissídios, convenções e acordos coletivos da categoria em sindicatos nacionais ou regionais de Analistas de tecnologia da informação que foram registrados no sistema Mediador da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, que registra os instrumentos coletivos.

Encontre o seu estado logo abaixo e saiba quanto ganha um Analista de Telecomunicação com salários atualizados em 2024. A ordem dos salários obedece a sigla dos estados em ordem alfabética. Confira:

Dissídio salarrial de Analista de Telecomunicação CBO 212410 salário

Valor do salário na CCT 2024 de Analista de Telecomunicação em todos os estados

Dados de dissídios coletivos para Analista de Telecomunicação por estado
UF Jornada Piso Média Teto Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo 42h 5.309,04 5.514,81 7.782,66 26,49 6.60%
Minas Gerais 42h 4.047,75 4.204,63 5.933,70 19,88 7.90%
Rio de Janeiro 41h 5.367,63 5.575,66 7.868,54 27,14 7.90%
Paraná 41h 3.449,21 3.582,89 5.056,28 17,29 8.20%
Rio Grande do Sul 42h 4.326,95 4.494,65 6.342,99 21,29 7.30%
Santa Catarina 42h 3.927,50 4.079,72 5.757,43 19,28 6.30%
Distrito Federal 41h 5.289,88 5.494,90 7.754,56 26,92 5.30%
Ceará 42h 3.894,25 4.045,17 5.708,67 19,09 6.80%
Bahia 42h 3.165,62 3.288,31 4.640,57 15,55 5.00%
Goiás 43h 3.120,42 3.241,35 4.574,30 15,08 4.40%
Espírito Santo 41h 4.876,44 5.065,44 7.148,50 24,66 6.80%
Pernambuco 42h 3.514,37 3.650,58 5.151,81 17,38 4.30%
Mato Grosso 43h 3.301,11 3.429,05 4.839,18 15,82 8.30%
Pará 43h 3.483,05 3.618,04 5.105,89 17,01 6.60%
Mato Grosso do Sul 43h 3.122,09 3.243,10 4.576,76 14,93 5.20%
Amazonas 42h 3.695,54 3.838,76 5.417,38 18,25 7.60%
Maranhão 42h 3.546,98 3.684,45 5.199,61 17,54 5.50%
Tocantins 44h 2.004,27 2.081,95 2.938,12 9,54 5.90%
Paraíba 43h 2.335,23 2.425,74 3.423,28 11,20 4.30%
Rio Grande do Norte 42h 2.710,02 2.815,05 3.972,69 13,30 5.00%
Piauí 43h 3.074,55 3.193,71 4.507,06 14,87 8.20%
Rondônia 44h 2.312,23 2.401,84 3.389,55 11,03 4.30%
Sergipe 43h 3.113,36 3.234,02 4.563,95 15,02 8.10%
Alagoas 43h 2.882,89 2.994,63 4.226,10 14,07 7.20%
Amapá 43h 2.346,35 2.437,29 3.439,58 11,21 5.90%
Acre 43h 1.795,92 1.865,52 2.632,68 8,59 6.10%

Fonte: Dados CAGED, PNAD e instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego que mencionem a profissão de Analista de Telecomunicação.

Dissídio de Analista de Telecomunicação por cidade

Quanto ganha um Analista de Telecomunicação nas principais cidades

Salários segundo dados do CAGED e instrumentos coletivos registrados que citem a profissão de Analista de Telecomunicação na localidade
Cidade Carga Horária Piso Salarial Média Salarial Maior Salário Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo, SP 41 5.770,68 5.994,34 8.459,39 28,92 7.50%
Rio de Janeiro, RJ 41 5.582,21 5.798,56 8.183,11 28,30 6.40%
Barueri, SP 41 5.360,60 5.568,36 7.858,23 26,94 7.50%
Belo Horizonte, MG 42 4.576,29 4.753,65 6.708,50 22,57 5.40%
Brasília, DF 41 5.289,88 5.494,90 7.754,56 26,92 5.50%
Curitiba, PR 42 4.305,80 4.472,68 6.311,99 21,26 5.30%
Porto Alegre, RS 42 4.864,75 5.053,29 7.131,36 24,20 4.60%
Campinas, SP 41 5.469,11 5.681,07 8.017,30 27,65 7.30%
Fortaleza, CE 42 4.065,12 4.222,67 5.959,16 20,06 6.50%
Pinhais, PR 38 1.985,34 2.062,29 2.910,37 10,92 6.40%
Salvador, BA 42 3.466,42 3.600,77 5.081,51 17,16 4.30%
Uberlândia, MG 42 4.104,65 4.263,74 6.017,12 20,52 8.00%
Goiânia, GO 43 3.542,56 3.679,86 5.193,12 17,22 6.30%
Vitoria, ES 40 5.561,28 5.776,82 8.152,42 28,61 5.10%
Florianópolis, SC 42 4.381,40 4.551,21 6.422,80 21,75 7.00%
Recife, PE 42 3.878,75 4.029,08 5.685,96 19,29 7.30%
Santana de Parnaíba, SP 42 4.940,98 5.132,48 7.243,11 24,42 4.80%
Belém, PA 42 3.702,43 3.845,93 5.427,49 18,31 4.10%
Campo Grande, MS 43 3.264,86 3.391,39 4.786,03 15,63 4.20%
Cuiabá, MT 43 3.581,98 3.720,81 5.250,92 17,37 5.10%
Niterói, RJ 41 5.274,71 5.479,15 7.732,34 27,00 7.10%
Sorocaba, SP 41 3.372,54 3.503,25 4.943,89 17,19 8.20%
Joinville, SC 43 4.149,06 4.309,87 6.082,22 20,17 8.30%
Londrina, PR 43 3.138,13 3.259,76 4.600,26 15,02 6.40%
Santo André, SP 41 4.026,11 4.182,15 5.901,97 20,36 7.80%
São Bernardo do Campo, SP 42 4.717,29 4.900,12 6.915,20 23,10 8.20%
Blumenau, SC 42 5.432,71 5.643,27 7.963,95 26,80 5.30%
Manaus, AM 42 3.871,91 4.021,97 5.675,93 19,19 5.30%
São José dos Campos, SP 42 4.254,92 4.419,83 6.237,40 21,17 5.30%
Jaguariúna, SP 39 4.163,73 4.325,10 6.103,71 22,31 4.50%

Os valores de piso salarial e porcentagem de dissídio referem-se a média observada em instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego com abrangência na cidade ou na região e que citem a profissão de Analista de Telecomunicação. Instrumentos coletivos: Acordos, convenções ou dissídios coletivos.

Empresas que mais contratam Analista de Telecomunicação no Brasil

Pisos salariais por setores das empresas
Segmento Piso Média Teto Dissídio 2024 (%)
Suporte técnico, manutenção e outros serviços em tecnologia da informação 4.272,60 4.438,20 6.263,32 4.70%
Serviços de comunicação multimídia - scm 3.485,36 3.620,44 5.109,28 7.40%
Consultoria em tecnologia da informação 5.585,49 5.801,97 8.187,92 6.30%
Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador customizáveis 5.481,86 5.694,32 8.036,00 5.20%
Serviços combinados de escritório e apoio administrativo 4.446,86 4.619,21 6.518,77 6.40%
Serviços de telefonia fixa comutada - stfc 5.662,56 5.882,02 8.300,89 6.20%
Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador não-customizáveis 4.856,19 5.044,40 7.118,81 4.50%
Comércio varejista especializado de equipamentos e suprimentos de informática 4.046,47 4.203,30 5.931,82 4.20%
Atividades de consultoria em gestão empresarial, exceto consultoria técnica específica 4.879,32 5.068,43 7.152,72 4.60%
Tratamento de dados, provedores de serviços de aplicação e serviços de hospedagem na internet 5.550,76 5.765,89 8.137,00 4.50%
Locação de mão-de-obra temporária 5.083,46 5.280,48 7.451,97 8.00%
Atividades de teleatendimento 3.006,38 3.122,90 4.407,13 4.80%
Provedores de acesso às redes de comunicações 2.204,06 2.289,48 3.230,98 7.00%
Agências de publicidade 3.605,18 3.744,90 5.284,92 8.20%
Outras atividades de telecomunicações não especificadas anteriormente 3.690,80 3.833,84 5.410,44 7.50%
Manutenção de estações e redes de telecomunicações 3.962,14 4.115,70 5.808,20 4.20%
Serviços de engenharia 4.449,16 4.621,60 6.522,14 5.10%
Atividades de intermediação e agenciamento de serviços e negócios em geral, exceto imobiliários 5.969,31 6.200,67 8.750,57 5.90%
Comércio atacadista de componentes eletrônicos e equipamentos de telefonia e comunicação 7.058,04 7.331,59 10.346,56 5.60%
Portais, provedores de conteúdo e outros serviços de informação na internet 4.248,77 4.413,44 6.228,38 7.00%
Fonte: Contratações formais indicadas pelas empresas ao sistema Novo CAGED e convenções coletivas patronais.