O dissídio de Alimentador de Linha de Produção 2024 já saiu. Veja aqui o salário mínimo, piso salarial e salário médio em todos os estados, capitais e principais cidades brasileiras de acordo com a convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados em carteira com o CBO 784205 no cargo de Alimentador de Linha de Produção.

Estado com maior salário médio

São Paulo

R$ 1.884,29

(últimos 12 meses)

Estado que mais contrata

São Paulo

687.403 admissões

(últimos 12 meses)

Cidade com maior salário médio

Alto Garças - MT

R$ 2.758,90

Cidade que mais contrata

São Paulo - SP

116.836 admissões

Descrição sumária do cargo

O colaborador no cargo de Alimentador de linha de produção abastece a linha de produção com materiais, matérias-primas ou embalagens, para manter o fluxo operacional e evitar perdas e paradas no processo produtivo Prepara o trabalho, verificando ordens de serviço.

Separa materiais com defeitos para reaproveitamento Organiza a área de trabalho Cumpre procedimentos operacionais, normas técnicas, normas de qualidade e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho e de preservação ambiental.

O que faz um Alimentador de Linha de Produção

O Alimentador de linha de produção prepara o trabalho de alimentação da linha de produção de uma indústria, verificando ordens de serviço Seleciona e identifica matérias-primas, embalagens ou materiais, transferindo-os do almoxarifado ou estoque para a área de produção.

Confere os itens, depositando-os em caixa ou recipiente – com tamanho proporcional ao volume -, junto ao posto de trabalho.

Abastece a linha de produção com matérias-primas, embalagens ou materiais, colocando-os na máquina ou equipamento Realiza testes operacionais e inicia a produção.

Monitora a quantidade de itens na linha de produção, realimentando-a para manter o fluxo contínuo da produção Identifica matérias-primas, embalagens ou materiais com defeitos, separando-os e os repondo, para continuidade da produção.

Pode introduzir, em sistemas computacionais de gestão de linhas de produção, informações sobre a quantidade de itens no posto de trabalho.

Pode, eventualmente, operar máquinas e equipamentos de baixa complexidade Pode detectar falhas no funcionamento de máquinas e equipamentos, comunicando aos responsáveis por serviços de manutenção e auxiliando na realização de ações corretivas emergenciais.

Separa materiais conformes e não-conformes, conferindo-os visualmente para identificar os defeitos.

Encaminha os itens não-conformes, mas que podem ser reciclados, para o setor responsável pelo reaproveitamento Solicita, em sistema informatizado, baixa e reposição dos demais itens, sem possibilidade de reaproveitamento Organiza e mantém limpa a área de trabalho, acondicionando materiais.

Recolhe e faz descarte de resíduos, seguindo procedimentos da empresa.

Funções do Alimentador de linha de produção

O profissional Alimentador de Linha de Produção deve organizar a Área de serviço, alimentar máquinas, separar materiais para reaproveitamento (scrap), preparar materiais para alimentação da linha de produção, demonstrar competências pessoais, abastecer linha de produção.

Condições de trabalho da profissão

Alimentadores de linhas de produção os cargos dessa família CBO podem exercer suas atividades em empresas dos ramos de fabricação de produtos alimentares e bebidas, de artigos de borracha e plástico, de máquinas e equipamentos e de aparelhos e materiais elétricos. São empregados na condição de trabalhadores assalariados, com carteira assinada. Atuam em postos de trabalho e desempenham suas funções sob supervisão permanente. Trabalham em ambientes fechados, em rodízio de turnos, nos períodos diurno e noturno. Podem trabalhar em posições desconfortáveis e, em algumas situações, podem estar sujeitos à exposição de materiais tóxicos, ruído intenso e altas temperaturas.

Exigências do mercado de trabalho para a profissão

Atividades exercidas por um Alimentador de linha de produção

Um Alimentador de linha de produção deve colocar matéria-prima na máquina, separar materiais conformes e não-conformes, recolher resíduos, utilizar equipamento de proteção individual (epi), depositar materiais nos estorbins (caixas de marfinites), manter as operações diárias, carregar materiais defeituosos para de área de reaproveitamento (scrap), monitorar desenvolvimento do processo, monitorar quantidade de materiais na linha de produção, controlar o estresse, reconhecer limitações pessoais, identificar materiais com defeitos, realizar testes operacionais, sinalizar defeitos dos materiais, trabalhar em sintonia com outras operações, limpar área de trabalho, depositar materiais, em caixas identificadas, iniciar produção, identificar materiais, com número de série, controlar o tempo de trabalho, separar materiais, carregar materiais para a linha de produção, acondicionar materiais, identificar materiais não-conformes, identificar depósitos para materiais, re-alimentar linha de produção, transportar materiais entre áreas de estoque, almoxarifado e pré-fôrma (molda materiais para atender requisitos)., checar ordem de trabalho, solicitar baixa dos materiais, no sistema, repor materiais com defeitos, preencher formulários de solicitação de materiais danificados, conferir a frequência de uso dos materiais, conferir materiais, enviar materiais não-conformes para estoque e almoxarifado, solicitar reposição de materiais, trabalhar em equipe, selecionar materiais de trabalho, conferir visualmente os materiais, demonstrar iniciativa.

Aumento do piso salarial e reajuste 2024 da categoria

O reajuste salarial 2024 para Alimentador de Linha de Produção ficou em 6.40%, obedecendo os índices de inflação do INPC - Índice Nacional de Preços ao Consumidor no período de um ano, esse é o critério para estipular o piso salarial 2024 e o início das negociações salariais entre o sindicato dos trabalhadores no cargo de Alimentador de Linha de Produção e os sindicatos patronais.

Em algumas localidades houve aumento real do salário, ou seja, acima do índice de correção salarial e acima até mesmo do reajuste médio da categoria dos Alimentadores de linhas de produção que ficou em 6.40% para 2024.

Uma observação importante é que nem sempre o aumento salarial do Alimentador de Linha de Produção em 2024 está atrelado a acordos e convenções coletivas, o salário base pode ser estipulado de acordo com o salário mínimo 2024 ou o piso salarial mínimo regional se houver.

Reajuste e valor do vale refeição 2024

O reajuste médio do vale refeição 2024 para Alimentador de Linha de Produção ficou em 8.40% de acordo com acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios registrados no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho do SRT - Subsecretaria de Relações do Trabalho.

Com isso o valor médio do vale refeição para 2024 observado em instrumentos coletivos de todo Brasil ficou em R$ 27,00 por dia efetivamente trabalhado.

Como é feito o cálculo dos reajustes e pisos salariais dos Alimentadores de linhas de produção 2024

O salário de Alimentador de Linha de Produção mostrado aqui é resultado do levantamento de 1952017 salários em admissões de empresas de todo o Brasil em 2024, além de dissídios, convenções e acordos coletivos da categoria em sindicatos nacionais ou regionais de Alimentadores de linhas de produção que foram registrados no sistema Mediador da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, que registra os instrumentos coletivos.

Encontre o seu estado logo abaixo e saiba quanto ganha um Alimentador de Linha de Produção com salários atualizados em 2024. A ordem dos salários obedece a sigla dos estados em ordem alfabética. Confira:

Dissídio salarrial de Alimentador de Linha de Produção CBO 784205 salário

Valor do salário na CCT 2024 de Alimentador de Linha de Produção em todos os estados

Dados de dissídios coletivos para Alimentador de Linha de Produção por estado
UF Jornada Piso Média Teto Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo 44h 1.813,98 1.884,29 2.659,16 8,65 7.10%
Paraná 44h 1.713,88 1.780,31 2.512,42 8,16 4.40%
Santa Catarina 44h 1.748,15 1.815,90 2.562,65 8,34 6.20%
Minas Gerais 43h 1.512,42 1.571,04 2.217,09 7,23 5.90%
Rio Grande do Sul 44h 1.699,17 1.765,03 2.490,86 8,10 7.40%
Goiás 43h 1.472,86 1.529,94 2.159,10 7,04 7.00%
Mato Grosso 44h 1.645,23 1.708,99 2.411,78 7,83 6.20%
Rio de Janeiro 43h 1.699,77 1.765,65 2.491,73 8,17 4.50%
Mato Grosso do Sul 43h 1.500,25 1.558,39 2.199,25 7,23 6.70%
Pernambuco 44h 1.445,92 1.501,96 2.119,60 6,90 7.20%
Bahia 44h 1.401,24 1.455,55 2.054,12 6,69 4.70%
Ceará 44h 1.356,85 1.409,43 1.989,03 6,46 5.50%
Espírito Santo 43h 1.475,67 1.532,87 2.163,23 7,06 7.90%
Pará 43h 1.403,48 1.457,87 2.057,39 6,75 6.90%
Amazonas 44h 1.587,77 1.649,30 2.327,55 7,58 4.10%
Rondônia 43h 1.487,37 1.545,02 2.180,38 7,13 5.40%
Distrito Federal 44h 1.449,03 1.505,19 2.124,17 6,87 5.30%
Paraíba 44h 1.332,09 1.383,71 1.952,74 6,34 8.00%
Tocantins 43h 1.385,89 1.439,61 2.031,62 6,63 6.30%
Maranhão 43h 1.402,67 1.457,04 2.056,22 6,70 4.30%
Rio Grande do Norte 44h 1.327,12 1.378,56 1.945,46 6,31 7.00%
Alagoas 44h 1.344,82 1.396,94 1.971,41 6,42 6.60%
Sergipe 43h 1.341,33 1.393,31 1.966,29 6,41 7.90%
Piauí 44h 1.364,42 1.417,30 2.000,14 6,46 6.00%
Acre 44h 1.343,19 1.395,25 1.969,01 6,37 7.90%
Roraima 43h 1.400,68 1.454,96 2.053,29 6,73 6.50%
Amapá 44h 1.346,11 1.398,28 1.973,29 6,38 6.20%

Fonte: Dados CAGED, PNAD e instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego que mencionem a profissão de Alimentador de Linha de Produção.

Dissídio de Alimentador de Linha de Produção por cidade

Quanto ganha um Alimentador de Linha de Produção nas principais cidades

Salários segundo dados do CAGED e instrumentos coletivos registrados que citem a profissão de Alimentador de Linha de Produção na localidade
Cidade Carga Horária Piso Salarial Média Salarial Maior Salário Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo, SP 43 1.859,21 1.931,27 2.725,46 8,95 6.60%
Curitiba, PR 43 1.712,31 1.778,67 2.510,12 8,18 7.90%
Guarulhos, SP 44 1.780,78 1.849,80 2.610,49 8,45 6.40%
Joinville, SC 43 1.812,70 1.882,95 2.657,28 8,75 7.00%
Campinas, SP 44 1.872,59 1.945,17 2.745,08 8,91 7.00%
Manaus, AM 44 1.596,43 1.658,31 2.340,25 7,62 5.20%
Sorocaba, SP 43 1.897,89 1.971,45 2.782,16 9,16 6.20%
São Bernardo do Campo, SP 44 1.822,54 1.893,18 2.671,71 8,69 6.00%
Jundiaí, SP 44 1.943,16 2.018,48 2.848,53 9,24 7.30%
Contagem, MG 43 1.549,73 1.609,79 2.271,78 7,40 7.90%
Barueri, SP 44 1.735,04 1.802,29 2.543,44 8,24 7.00%
Caxias do Sul, RS 44 1.747,77 1.815,51 2.562,10 8,32 6.60%
Rio de Janeiro, RJ 43 2.090,03 2.171,03 3.063,83 10,05 5.10%
Santo André, SP 44 1.743,69 1.811,27 2.556,13 8,27 6.10%
Belo Horizonte, MG 44 1.541,04 1.600,77 2.259,05 7,33 6.70%
Goiânia, GO 44 1.456,02 1.512,45 2.134,41 6,95 4.20%
São José dos Pinhais, PR 43 1.763,61 1.831,96 2.585,31 8,56 4.20%
Itaquaquecetuba, SP 44 1.783,12 1.852,23 2.613,92 8,43 6.90%
Ribeirão Preto, SP 44 1.807,14 1.877,18 2.649,13 8,61 6.50%
Indaiatuba, SP 44 1.868,88 1.941,31 2.739,63 8,90 8.10%
Londrina, PR 44 1.724,94 1.791,79 2.528,63 8,20 4.20%
São Carlos, SP 44 1.759,03 1.827,20 2.578,60 8,35 7.30%
Mogi das Cruzes, SP 44 1.879,26 1.952,10 2.754,86 8,94 6.00%
Recife, PE 43 1.507,02 1.565,43 2.209,18 7,22 7.30%
Uberlândia, MG 43 1.572,45 1.633,40 2.305,10 7,52 7.40%
Anápolis, GO 44 1.481,39 1.538,80 2.171,61 7,05 6.20%
Brasília, DF 44 1.449,03 1.505,19 2.124,17 6,87 7.80%
Aparecida de Goiânia, GO 43 1.462,71 1.519,40 2.144,22 7,01 5.00%
Diadema, SP 44 1.883,45 1.956,45 2.761,00 8,93 5.10%
Maringá, PR 44 1.725,96 1.792,85 2.530,13 8,21 6.50%

Os valores de piso salarial e porcentagem de dissídio referem-se a média observada em instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego com abrangência na cidade ou na região e que citem a profissão de Alimentador de Linha de Produção. Instrumentos coletivos: Acordos, convenções ou dissídios coletivos.

Empresas que mais contratam Alimentador de Linha de Produção no Brasil

Pisos salariais por setores das empresas
Segmento Piso Média Teto Dissídio 2024 (%)
Locação de mão-de-obra temporária 1.749,96 1.817,78 2.565,31 7.50%
Abate de aves 1.591,14 1.652,81 2.332,50 7.00%
Frigorífico - abate de bovinos 1.491,94 1.549,76 2.187,07 5.00%
Fabricação de embalagens de material plástico 1.700,62 1.766,53 2.492,98 7.70%
Fabricação de móveis com predominância de madeira 1.693,02 1.758,64 2.481,85 7.60%
Frigorífico - abate de suínos 1.605,91 1.668,15 2.354,15 4.40%
Fabricação de outros produtos alimentícios 1.637,55 1.701,02 2.400,53 8.20%
Fabricação de outras peças e acessórios para veículos automotores não especificadas anteriormente 1.860,38 1.932,49 2.727,18 7.90%
Fabricação de produtos de carne 1.572,52 1.633,47 2.305,20 5.50%
Fabricação de produtos de panificação industrial 1.690,07 1.755,57 2.477,51 4.20%
Fabricação de artefatos de material plástico para outros usos 1.753,47 1.821,43 2.570,45 5.40%
Fabricação de alimentos para animais 1.675,30 1.740,23 2.455,86 4.70%
Fabricação de outros produtos de metal 1.779,29 1.848,25 2.608,31 4.70%
Fabricação de madeira laminada e de chapas de madeira compensada, prensada e aglomerada 1.671,10 1.735,86 2.449,70 4.40%
Fabricação de cosméticos, produtos de perfumaria e de higiene pessoal 1.676,71 1.741,69 2.457,93 6.30%
Fabricação de artefatos de material plástico para usos industriais 1.782,69 1.851,78 2.613,29 4.30%
Confecção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas e as confeccionadas sob medida 1.546,32 1.606,26 2.266,80 4.50%
Fabricação de laticínios 1.569,27 1.630,09 2.300,44 7.90%
Fabricação de outros produtos têxteis 1.547,69 1.607,67 2.268,80 7.20%
Serviços combinados de escritório e apoio administrativo 1.599,11 1.661,08 2.344,17 4.90%
Fonte: Contratações formais indicadas pelas empresas ao sistema Novo CAGED e convenções coletivas patronais.