O dissídio de Agente de Contrrole de Dengue 2024 já saiu. Veja aqui o salário mínimo, piso salarial e salário médio em todos os estados, capitais e principais cidades brasileiras de acordo com a convenção coletiva, acordo coletivo ou dissídio do sindicato de profissionais registrados em carteira com o CBO 515140 no cargo de Agente de Contrrole de Dengue.

Estado com maior salário médio

Acre

R$ 2.867,24

(últimos 12 meses)

Estado que mais contrata

São Paulo

334 admissões

(últimos 12 meses)

Cidade com maior salário médio

Capixaba - AC

R$ 2.815,20

Cidade que mais contrata

Araguaína - TO

94 admissões

Descrição sumária do cargo

O colaborador no cargo de Agente de combate às endemias realiza atividades de vigilância, prevenção e controle de doenças endêmicas e promoção da saúde Participa no mapeamento social e demográfico e no planejamento das ações em saúde, em sua área geográfica de atuação.

Visita domicílios, ao lado do Agente Comunitário de Saúde, para realizar ações de prevenção e controle de doenças e agravos à saúde Vistoria domicílios, terrenos e edificações em geral para eliminar focos de vetores Divulga informações para a comunidade sobre sinais, sintomas, riscos e agentes transmissores de doenças e sobre medidas de prevenção individuais e coletivas.

Cumpre diretrizes do Sistema Único de Saúde, procedimentos técnicos, protocolos e normas de biossegurança, e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho e de preservação ambiental

O que faz um Agente de Contrrole de Dengue

O Agente de combate às endemias participa, com os demais membros da equipe multiprofissional em saúde da família, no mapeamento social e demográfico em sua microárea geográfica de atuação Participa no planejamento e na definição de estratégias de prevenção e controle de doenças para a microárea geográfica, junto aos demais membros da equipe multiprofissional e, sempre que possível, aos representantes da população local.

Realiza, de forma integrada com o Agente Comunitário de Saúde, visitas domiciliares com periodicidade estabelecida no planejamento da equipe e conforme as necessidades de saúde da população, para o monitoramento da situação das famílias e indivíduos do território.

Realiza ações de prevenção e controle de doenças e agravos à saúde, em interação com o Agente Comunitário de Saúde e a equipe de atenção básica Vistoria residências, depósitos, terrenos baldios e estabelecimentos comerciais, para buscar focos endêmicos.

Inspeciona caixas d’água, calhas e telhados Rastreia foco de doenças específicas, por meio de visita ao local e de coleta de amostras de vetores endêmicos.

Aplica larvicidas e inseticidas.

Faz recenseamento de animais e participa das ações de vacinação de cães e gatos para prevenção e controle da raiva Atua no controle de roedores e na prevenção de acidentes por cobras, escorpiões e aranhas.

Realiza ações para prevenir e controlar doenças, como dengue, chagas, leishmaniose e malária.

Divulga informações à comunidade sobre sinais, sintomas, riscos e agentes transmissores de doenças e sobre medidas de prevenção individuais e coletivas Participa da promoção de educação sanitária e ambiental, orientando sobre uso da água, condições de higiene, conservação de alimentos e descarte de lixo Executa ações de campo para pesquisa entomológica, malacológica ou coleta de reservatórios de doenças.

Coleta e registra dados detalhados das ações realizadas em sistema informatizado do Ministério da Saúde, que serão utilizados para controle e planejamento das ações de saúde Realiza, com os demais membros da equipe multiprofissional em saúde da família, a consolidação e a análise de dados obtidos nas visitas domiciliares Participa na avaliação e na revisão do planejamento de ações em saúde na microárea geográfica de atuação, junto aos demais membros da equipe multiprofissional e, sempre que possível, aos representantes da população local.

.

Funções do Agente de combate às endemias

O profissional Agente de Contrrole de Dengue deve rastrear focos de doenças específicas, demonstrar competências pessoais, orientar a comunidade para promoção da saúde, participar de campanhas preventivas, assistir pacientes, promover educação sanitária e ambiental, promover comunicação, incentivar atividades comunitárias, executar tarefas administrativas, visitar domicílios, realizar ações de controle de endemias.

Condições de trabalho da profissão

Trabalhadores em serviços de promoção e apoio à saúde em sua maioria, são empregados formais com carteira assinada, ou autônomos que atuam no ramo da saúde e serviço social. Trabalham em equipe, sob supervisão permanente e ocasional em horários diurnos e em rodízio de turnos. Trabalham em local fechado ou a céu aberto, dependendo da necessidade. Frequentemente são expostos às variações de temperatura, materiais tóxicos, doenças contagiosas e risco de acidentes com materiais perfurocortantes.

Exigências do mercado de trabalho para a profissão

Atividades exercidas por um Agente de combate às endemias

Um Agente de combate às endemias deve demonstrar capacidade de administrar conflitos, avaliar condições de saúde dos animais, orientar sobre conservação do meio ambiente, participar de cursos de capacitação, realizar coleta de amostras de vetores endêmicos (larvas, carrapatos e etc..), realizar manutenção de equipamentos, orientar comunidade sobre prevenção da dengue (dia d), participar de reuniões profissionais, demonstrar capacidade de organizar o tempo, pulverizar ambientes, orientar sobre criação de animais, interagir com escolas, demonstrar auto controle, demonstrar liderança, solicitar conserto de equipamentos, atender notificações de animais peçonhentos/sinantrópicos, identificar sinais e sintomas, encaminhar reclamações da população, elaborar relatórios, realizar inspeção domiciliar, demonstrar capacidade de observação, distribuir material educativo, demonstrar capacidade de respeitar cultura, tradição, costumes e crenças, demonstrar paciência, divulgar campanhas de saúde, realizar controle mecânico/manual de criadouras (eliminar focos), aplicar larvicida (realizar bloqueio químico em criadouros), demonstrar capacidade de conviver com doenças e morte, vacinar contra-raiva (cães e gatos), preencher mapa/boletim diário, instalar iscas e armadilhas, demonstrar capacidade de conquistar a confiança, orientar sobre medidas de prevenção ao aparecimento de focos de vetores, demonstrar capacidade de trabalhar em equipe, demonstrar respeito às pessoas, esclarecer sobre a disposição do lixo, realizar censo animal para controle de raiva e leishmaniose, identificar espaços para realização de eventos, visitar local de foco (casa, escola, bairro e aldeia), demonstrar capacidade de identificar limites, consultar mapas e plantas baixas do município, usar e.p.i., orientar sobre limpeza e os cuidados com caixa d'água e reservatórios, orientar sobre cuidados com os animais, preencher ficha domiciliar, verificar a existência de animais, preparar a calda (inseticida), dialogar com a população, demonstrar capacidade de improvisação, demonstrar capacidade de saber ouvir, informar aos órgãos competentes, demonstrar capacidade de estabelecer prioridades, demonstrar coordenação motora, nebulizar ambientes, flambar ambientes (vassoura de fogo), realizar inventário para avaliação de densidade larvária (adl), ministrar palestras, demonstrar segurança, demonstrar capacidade de lidar com estresse, realizar arrastões para redução de criadouros, demonstrar capacidade de impor respeito, avaliar condições do ambiente, verificar fontes de risco.

Aumento do piso salarial e reajuste 2024 da categoria

O reajuste salarial 2024 para Agente de Contrrole de Dengue ficou em 7.80%, obedecendo os índices de inflação do INPC - Índice Nacional de Preços ao Consumidor no período de um ano, esse é o critério para estipular o piso salarial 2024 e o início das negociações salariais entre o sindicato dos trabalhadores no cargo de Agente de Contrrole de Dengue e os sindicatos patronais.

Em algumas localidades houve aumento real do salário, ou seja, acima do índice de correção salarial e acima até mesmo do reajuste médio da categoria dos Trabalhadores em serviços de promoção e apoio à saúde que ficou em 7.80% para 2024.

Uma observação importante é que nem sempre o aumento salarial do Agente de Contrrole de Dengue em 2024 está atrelado a acordos e convenções coletivas, o salário base pode ser estipulado de acordo com o salário mínimo 2024 ou o piso salarial mínimo regional se houver.

Reajuste e valor do vale refeição 2024

O reajuste médio do vale refeição 2024 para Agente de Contrrole de Dengue ficou em 8.80% de acordo com acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios registrados no Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho do SRT - Subsecretaria de Relações do Trabalho.

Com isso o valor médio do vale refeição para 2024 observado em instrumentos coletivos de todo Brasil ficou em R$ 18,00 por dia efetivamente trabalhado.

Como é feito o cálculo dos reajustes e pisos salariais dos Trabalhadores em serviços de promoção e apoio à saúde 2024

O salário de Agente de Contrrole de Dengue mostrado aqui é resultado do levantamento de 1229 salários em admissões de empresas de todo o Brasil em 2024, além de dissídios, convenções e acordos coletivos da categoria em sindicatos nacionais ou regionais de Trabalhadores em serviços de promoção e apoio à saúde que foram registrados no sistema Mediador da Secretaria da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, que registra os instrumentos coletivos.

Encontre o seu estado logo abaixo e saiba quanto ganha um Agente de Contrrole de Dengue com salários atualizados em 2024. A ordem dos salários obedece a sigla dos estados em ordem alfabética. Confira:

Dissídio salarrial de Agente de Contrrole de Dengue CBO 515140 salário

Valor do salário na CCT 2024 de Agente de Contrrole de Dengue em todos os estados

Dados de dissídios coletivos para Agente de Contrrole de Dengue por estado
UF Jornada Piso Média Teto Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
São Paulo 40h 1.921,21 1.995,67 2.816,35 9,89 8.10%
Santa Catarina 40h 2.539,54 2.637,96 3.722,77 13,17 5.60%
Paraná 40h 2.401,30 2.494,36 3.520,12 12,39 4.60%
Rio Grande do Sul 41h 2.548,01 2.646,76 3.735,19 13,05 8.00%
Rio de Janeiro 40h 2.601,48 2.702,30 3.813,57 13,46 4.10%
Minas Gerais 41h 2.571,08 2.670,73 3.769,02 13,13 4.10%
Tocantins 40h 2.596,15 2.696,77 3.805,76 13,48 7.60%
Mato Grosso do Sul 44h 2.647,51 2.750,12 3.881,05 12,50 7.90%
Pará 43h 1.781,53 1.850,58 2.611,59 8,59 8.30%
Roraima 40h 2.706,42 2.811,31 3.967,41 14,06 8.00%
Acre 44h 2.760,26 2.867,24 4.046,34 13,07 5.50%
Mato Grosso 41h 2.260,57 2.348,19 3.313,83 11,45 7.20%

Fonte: Dados CAGED, PNAD e instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego que mencionem a profissão de Agente de Contrrole de Dengue.

Dissídio de Agente de Contrrole de Dengue por cidade

Quanto ganha um Agente de Contrrole de Dengue nas principais cidades

Salários segundo dados do CAGED e instrumentos coletivos registrados que citem a profissão de Agente de Contrrole de Dengue na localidade
Cidade Carga Horária Piso Salarial Média Salarial Maior Salário Sal/Hora Dissídio 2024 (%)
Araguaína, TO 40 2.596,15 2.696,77 3.805,76 13,48 4.30%
Dourados, MS 44 2.647,51 2.750,12 3.881,05 12,50 4.60%
Barra Mansa, RJ 40 2.674,93 2.778,60 3.921,24 13,89 6.80%
Jales, SP 36 1.484,13 1.541,65 2.175,63 8,45 6.40%
Belém, PA 44 1.610,17 1.672,57 2.360,39 7,66 5.20%
Rio das Pedras, SP 44 1.538,81 1.598,45 2.255,78 7,34 7.60%
Boa Vista, RR 40 2.706,42 2.811,31 3.967,41 14,06 7.50%
Piracicaba, SP 44 1.527,58 1.586,78 2.239,32 7,21 7.40%
Curitiba, PR 40 2.551,95 2.650,86 3.740,97 13,25 5.80%
Chapeco, SC 40 2.570,46 2.670,08 3.768,10 13,35 4.90%
Capixaba, AC 44 2.710,16 2.815,20 3.972,89 12,80 7.30%
Balneário Camboriú, SC 40 2.544,75 2.643,38 3.730,42 13,22 4.90%
Francisco Beltrão, PR 40 2.673,52 2.777,14 3.919,19 13,89 6.00%
Rio de Janeiro, RJ 41 2.409,22 2.502,59 3.531,73 12,27 6.40%
São José dos Campos, SP 40 1.746,07 1.813,75 2.559,61 8,97 6.40%
Gaspar, SC 40 2.592,37 2.692,85 3.800,23 13,46 4.90%
Conselheiro Lafaiete, MG 40 2.718,63 2.824,00 3.985,31 14,12 5.90%
Pedra Azul, MG 40 2.522,02 2.619,76 3.697,09 13,10 4.90%
Pouso Alegre, MG 40 2.541,50 2.640,00 3.725,65 13,20 5.80%
Carazinho, RS 42 2.522,84 2.620,62 3.698,29 12,62 5.70%
Itaúna, MG 40 2.600,54 2.701,33 3.812,20 13,51 5.40%
Boa Esperança do Sul, SP 40 1.359,32 1.412,00 1.992,66 7,06 7.10%
Sorocaba, SP 40 2.541,50 2.640,00 3.725,65 13,20 4.40%
Osasco, SP 40 2.757,30 2.864,16 4.041,99 14,32 7.60%
Juiz de Fora, MG 40 2.627,74 2.729,59 3.852,08 13,65 4.70%
Tremembé, SP 44 2.557,86 2.657,00 3.749,64 12,08 6.80%
Bombinhas, SC 40 2.528,02 2.626,00 3.705,89 13,13 8.00%

Os valores de piso salarial e porcentagem de dissídio referem-se a média observada em instrumentos coletivos registrados no sistema Mediador do Ministério do Trabalho e Emprego com abrangência na cidade ou na região e que citem a profissão de Agente de Contrrole de Dengue. Instrumentos coletivos: Acordos, convenções ou dissídios coletivos.

Empresas que mais contratam Agente de Contrrole de Dengue no Brasil

Pisos salariais por setores das empresas
Segmento Piso Média Teto Dissídio 2024 (%)
Administração pública em geral 2.507,10 2.604,27 3.675,22 7.20%
Atividades de atendimento em pronto-socorro e unidades hospitalares para atendimento a urgências 2.635,96 2.738,13 3.864,13 6.10%
Imunização e controle de pragas urbanas 1.605,29 1.667,51 2.353,24 4.30%
Comércio varejista de produtos saneantes domissanitários 1.483,26 1.540,75 2.174,35 5.70%
Serviços de engenharia 1.654,29 1.718,41 2.425,06 4.60%
Atividades de apoio à gestão de saúde 2.296,06 2.385,05 3.365,85 5.60%
Atividades de atendimento hospitalar, exceto pronto-socorro e unidades para atendimento a urgências 2.157,38 2.240,99 3.162,56 8.10%
Atividades de associações de defesa de direitos sociais 2.662,03 2.765,20 3.902,33 6.40%
Serviço de manejo de animais 1.848,58 1.920,23 2.709,89 4.70%
Atividades de teleatendimento 2.965,08 3.080,00 4.346,59 7.50%
Limpeza em prédios e em domicílios 1.646,39 1.710,20 2.413,49 6.20%
Educação superior - graduação 3.073,38 3.192,50 4.505,35 7.70%
Coleta de resíduos não-perigosos 1.649,79 1.713,73 2.418,47 8.00%
Transporte rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudanças, intermunicipal, interestadual e internacional 2.176,64 2.261,00 3.190,79 7.20%
Obras de alvenaria 1.505,65 1.564,00 2.207,16 5.10%
Construção de edifícios 1.570,53 1.631,40 2.302,28 7.20%
Fornecimento e gestão de recursos humanos para terceiros 2.437,53 2.532,00 3.573,23 6.40%
Regulação das atividades de saúde, educação, serviços culturais e outros serviços sociais 1.270,75 1.320,00 1.862,82 7.40%
Educação infantil - pré-escola 1.910,94 1.985,00 2.801,29 4.10%
Atividade médica ambulatorial restrita a consultas 2.638,25 2.740,50 3.867,48 6.30%
Fonte: Contratações formais indicadas pelas empresas ao sistema Novo CAGED e convenções coletivas patronais.